21 de agosto de 2014

Prefeitura de Goiânia: Gestão é reprovada por 55,1%


Pesquisa Serpes/O POPULAR aponta que somente 7,2% dos goianienses aprovam administração de Paulo Garcia. 36,1% consideram regular

Mais da metade da população goianiense reprova a administração do prefeito Paulo Garcia (PT), que enfrenta problemas financeiros e administrativos. É o que aponta a pesquisa Serpes/O POPULAR realizada entre os dias 17 e 18 de agosto. De acordo com o levantamento, 55,1% dos entrevistados consideram o desempenho do petista à frente da Prefeitura de Goiânia péssimo (34,3%) ou ruim (20,8%).

A pesquisa aponta que o porcentual de avaliação negativa é muito maior do que a positiva. Entre os 496 entrevistados, somente 7,2% aprovam a administração municipal, sendo que 5,6% avaliaram a gestão como boa e 1,6% como ótima. Outros 36,1% disseram que o desempenho é regular e 1,6% preferiu não opinar.
No última pesquisa Serpes de avaliação da administração municipal, publicada pelo POPULAR em 9 de junho do ano passado, Paulo era aprovado por 32,4% dos entrevistados, sendo que 27,9% achavam a administração petista boa e 4,5%, ótima. O índice de reprovação era de 19,2% (11,7% de péssimo e 7,5% de ruim) e 42,6% dos entrevistados classificaram como regular.

Desde então, o Paço Municipal foi alvo de desgastes políticos e administrativos, como as denúncias dos supersalários da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), e também passou a enfrentar sérias dificuldades financeiras que vêm comprometendo serviços prestados pela Prefeitura. No início deste ano, o então secretário de Finanças, Cairo Peixoto, chegou a alertar que o descompasso das contas poderia comprometer a folha de pagamento do funcionalismo.

Uma das consequências da situação financeira ruim foi a crise da coleta de lixo, iniciada em meados de abril. Durante o auge do problema, 700 toneladas de lixo não eram coletadas diariamente como consequência da suspensão de parte dos serviços, causada pela falta de pagamento de uma das empresas que alugavam os caminhões para a Prefeitura.

Também houve problemas no serviço de tapa-buracos e nas obras do viaduto da Marginal Botafogo. Diante do quadro, a Prefeitura fez uma reforma administrativa, trocou secretários e adotou medidas para a recuperação de caixa. No entanto, a situação financeira ainda não está regularizada.

DETALHES

A maior avaliação positiva do prefeito Paulo Garcia foi registrada entre os goianienses que têm entre 16 e 24 anos. Nesta faixa etária, o petista atingiu 15,2% de aprovação, com 10,1% de bom e 5,1% de ótimo. No mesmo grupo, a reprovação chegou a 45,6%, sendo 25,3% de péssimo e 20,3% de ruim. Entre o grupo que lê e escreve, o petista atingiu 36% de reprovação (28% de péssimo e 8% de ruim). Foi o menor índice avaliação negativa registrado no levantamento.

A pesquisa também mostra que gestão petista é melhor avaliada por homens do que por mulheres. Considerando apenas entrevistados do sexo masculino o índice de aprovação é de 9% (6,3% de bom e 2,7% de ótimo) e o de reprovação, de 55,1% (30% de péssimo e 25,1% de ruim). Entre as mulheres, 5,8% aprovam (5,1% de bom e 0,8% de ótimo) e 54,9% reprovam (37,7% de péssimo e 17,2% de ruim).

Reprovação maior entre nível médio de ensino

A pesquisa Serpes/O POPULAR realizada entre os dias 17 e 18 de agosto em Goiânia mostra que a maior reprovação da administração do prefeito Paulo Garcia (PT) foi registrada entre os goianienses que têm o nível médio de ensino. A gestão municipal é avaliada como péssima por 38,4% dos entrevistados e ruim por 22,2%, o que representa um índice de 60,6% de reprovação. Considerando o mesmo recorte, a aprovação é de 8,3% (4,9% de bom e 3,4% de ótimo).

Em dois níveis de instrução (lê e escreve e curso superior) nenhum dos entrevistados avaliou a gestão de Paulo como ótima.

Entre aqueles que concluíram o ensino superior, a aprovação ficou em 4,2% (bom) e a reprovação em 52,7%, sendo que 31,9 % avaliou como péssimo e 20,8% como ruim.

Já entre os que leem e escrevem, a avaliação positiva é de 12% (bom) e a negativa, de 36% (28% de péssimo e 8% de ruim).

Dos goianienses que têm nível fundamental de instrução, 8,1% avaliam a gestão petista de forma positiva, com 7,3% de bom e 0,8% de ótimo. A reprovação neste grupo é 52,5%, sendo 31,5% de péssimo e 21% de ruim.

Fonte: Jornal O Popular (Caio Henrique Salgado)