20 de agosto de 2014

Goiás será celeiro de atletas


Governo prevê entrega de complexo para esportes olímpicos ainda este ano. Estádio, quadras poliesportivas, laboratório de alto rendimento e alojamentos têm obras aceleradas

O governo de Goiás prevê a entrega do Complexo do Centro de Excelência do Esporte ainda em 2014. As obras estão em estado adiantado e a Agetop, que coordena os trabalhos, tem estimativa de conclusão e entrada em funcionamento do Centro de Excelência para setembro e o Estádio Olímpico até dezembro.

De acordo com o diretor de Infraestrutura Esportiva e Turística da Agetop, Itamir Campos, o cronograma das obras está dentro do previsto e as providências para a instalação dos equipamentos necessários para o funcionamento já foram tomadas. “Dentro em breve atletas de alto desempenho para esportes olímpicos serão formados aqui em Goiânia, em um dos mais modernos centros de preparação do mundo e Goiás será um celeiro de novos talentos dos esportes, e veremos gente nossa triunfando nos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro”, avalia.

As obras do Centro de Excelência do Esporte foram retomadas em novembro de 2013, após ficarem quase dez anos abandonadas e o projeto quase foi descartado, em virtude de, em alguns aspectos, já ter ficado ultrapassado. “O governador Marconi Perillo conseguiu canalizar recursos para que as obras fossem retomadas e, em menos de um ano, já temos a certeza de que muito em breve tudo estará concluído”, garante o diretor Itamir, mais conhecido pelo apelido de “Gueroba”.

Esse policial militar, que era diretor do Estádio Serra Dourada e que foi alçado a um posto de maior relevância, vistoria quase todos os dias o complexo do Centro de Excelência. “É bom ver a disposição dos trabalhadores e a cada dia o complexo ganhar uma feição diferente e mostrando um pouco do que será.”

A previsão de investimentos no Centro de Excelência e no Estádio Olímpico é de aproximadamente R$ 100 milhões, em obras a cargo de duas construtoras. O complexo esportivo de alto rendimento é o mais avançado e receberá o maior volume de equipamentos.

Capacitação e pesquisa

O Centro de Excelência do Esporte terá um complexo destinado a formar atletas de variadas modalidades olímpicas. Modernas instalações para receber atletas serão disponibilizadas, como alojamentos para cerca de 160 atletas e técnicos de apoio, academias multifuncionais com equipamentos de última geração, laboratório de formação e pesquisa, lanchonete, refeitório e até um moderno auditório para 300 lugares cujas poltronas, equipamento de apoio, climatização e outros acessórios já estão no depósito aguardando para dar o trato final. O coordenador do Centro de Excelência, Osmar Pereira Pinto, confere diariamente o andamento dos trabalhos e elogia a equipe, que dá os retoques no complexo.

O engenheiro civil Petterson Nakaya é um dos responsáveis pelas obras. Sob seu comando estão aproximadamente 40 homens e mulheres, num turno frenético, de segunda a sábado, para dar conta do cronograma e entregar as obras em pouco mais de um mês. “Ainda são muitos detalhes, como vestiários, alojamentos, auditório, restaurante e tudo precisa ser minuciosamente conferido. Felizmente, temos pessoas dedicadas trabalhando conosco.”

Esperança

Uma dessas operárias, que dedica diariamente a dar a forma definitiva ao Centro de Excelência, é a auxiliar Lucinete de Moura, de 34 anos e dois filhos. “Tenho fé em Deus que ainda vou poder ver um neto meu brilhando em um esporte olímpico e treinando aqui, enchendo nosso Estado de orgulho e trazendo muitas medalhas para nós.”

Na parte mais alta do complexo estão em fase adiantada também as quatro quadras poliesportivas para treinamento dos atletas. Separação por telas e todo material à disposição para potencializar o desempenho dos atletas e equipes que vão ocupar o complexo.

Um orgulho dos engenheiros, técnicos e operários é o fato de estarem há quase 290 dias sem a ocorrência de qualquer acidente de trabalho. “A fiscalização, para que todos cumpram integralmente o protocolo de prevenção a acidentes e usem todos os equipamentos de proteção individual, é rígida e não admitimos vacilo. Não vamos macular essa obra com negligência e acidentes.” Quem garante é o mestre de obras José Amaral de Oliveira, um goiano de Itaberaí que, mesmo sendo duro na fiscalização, é amigo dos operários.

Um desses operários é Manoel Tomás da Silva, pedreiro goianiense que se enche de orgulho ao dizer que verá seu nome gravado na memória dos atletas que vão passar pelo Centro de Excelência e pelo Estádio Olímpico.

Gramado

O Estádio Olímpico fará jus a seu nome agora, com um gramado de última geração e pistas de corrida para atletismo, além de preparação para outros tipos de esportes olímpicos, como salto em distância, salto em altura e salto triplo e também arremesso de dardo, arremesso de martelo e arremesso de disco. A pista de atletismo receberá uma cobertura de primeira qualidade, que está sendo fabricada na Alemanha e com previsão de chegada em Goiânia para setembro. A cobertura emborrachada custou R$ 5 milhões.

O tablado para receber a grama já está pronto, com terra preparada, drenagem e equipamento de irrigação de última geração. Gueroba, o diretor da Agetop explica que a grama escolhida para ser plantada é da variedade Celebration, a mesma que está no Estádio Serra Dourada e nas arenas da Copa do Mundo. “A grama já está sendo cultivada na Bahia e será transportada em caminhões climatizados na época certa do plantio.”

O estádio terá capacidade para receber 12.300 espectadores, em cadeiras numeradas. No subsolo, há um estacionamento para 380 veículos. A iluminação será montada sobre quatro postes de 60 metros de altura, com plataformas de 48 refletores cada um. O engenheiro chefe das obras do estádio, Weber Lince, diz que “tem hora para chegar e não sabe que horas sai” todos os dias. “É muito trabalho, mas vale a pena.” Para garantir os espetáculos, serão montados três geradores gigantescos, a fim de não deixar o estádio sem energia elétrica.

“O governo de Goiás deixará uma marca de excelência para o esporte do Brasil e projetará Goiás no circuito esportivo de alto rendimento do mundo. Esse complexo será homologado para receber provas de nível mundial e estará preparado para dar todas as condições de disputas históricas. Será mais um motivo de orgulho para nós, goianos”, finaliza Gueroba.

Fonte: DM (HÉLMITON PRATEADO)