29 de julho de 2014

Socorro médico e mecânico: Serviços previstos nas concessões das Rodovias começam a valer


Usuários do trecho goiano da BR-050 já podem solicitar socorro médico e mecânico e o mesmo serviço estará disponível na BR-153 e BR-060 a partir do dia 5 de setembro

Os motoristas e demais usuários da BR-050 – cujo trecho goiano vai de Cristalina até Cumari (na divisa com Minas Gerais) – já podem solicitar serviços gratuitos de socorro mecânico e médico, além de apoio na segurança das pistas, como desobstrução, apreensão de animais e combate a incêndios. O mesmo trabalho começará a ser feito também na BR-060/153, a partir de 5 de setembro, desde o Distrito Federal até Itumbiara.

O atendimento aos usuários faz parte do contrato das concessionárias responsáveis por administrar as estradas concedidas à iniciativa privada pelo governo federal. A MGO Rodovias, que cuida da BR-50, desde Cristalina até Delta (no limite entre Minas Gerais e São Paulo), já instalou nove Bases Operacionais (BSO) provisórias ao longo do percurso de mais de 430 quilômetros. Cinco estão em Goiás.

Cada unidade possui equipes e viaturas do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU), disponíveis 24 horas por dia para atender as solicitações feitas pelos usuários da BR, que podem ser feitas pelo telefone 0800-940-0700. As BSOs definitivas ainda estão em construção e terão estacionamento, banheiros, fraldário, água potável, área de descanso e telefone público.

Já a Concebra, administrada pela concessionária Triunfo, responsável por quase 1,8 mil quilômetros das BRs 060/153/262 (que cortam o Distrito Federal e os Estados de Goiás e Minas Gerais), vai instalar oito SAUs em Goiás, distantes, em média, 50 quilômetros um do outro. Sete deles estão em cidades goianas, com disponibilidade de ambulância, guincho, caminhões de combate a incêndio e demais frota para inspeção.

Segundo a assessoria de imprensa da empresa, o atendimento será sem custos apenas nos primeiros meses, para incentivar os usuários a usarem os serviços e perceberem a importância do trabalho. Não foi revelada a data de início da cobrança.
Ambas as concessionárias dão andamento às obras de recuperação de suas respectivas rodovias, para a eliminação de problemas emergenciais. A roçagem da vegetação nas áreas adjacentes ao acostamento e canteiros centrais de pistas duplas já foi concluída na BR-050 e está sendo realizada nas demais. Também estão sendo colocadas defensas metálicas e placas de sinalização ao longo dos percursos.

PEDÁGIO

As seis praças de pedágio que serão instaladas nos trechos goianos das BRs 050, 060 e 153 administrados pelas duas empresas só iniciarão a cobrança das tarifas no ano que vem, segundo informações de suas respectivas assessorias de imprensa. Conforme as regras estabelecidas no contrato de concessão, a quantia só poderá ser exigida dos usuários quando 10% das obras de duplicação estiverem concluídas.

Dois postos serão instalados na BR-050 em Goiás, nas cidades de Ipameri e Campo Alegre. O valor estabelecido na época da concessão foi de R$ 4,53 a cada 100 quilômetros. Já no trecho da BRs 060/153 que corta o Estado, serão quatro praças de pedágio, em Alexânia, Goianápolis, Piracanjuba e Itumbiara, com tarifa entre R$ 2,80 e R$ 3 por 100 quilômetros.
Os contratos com as concessionárias têm duração de 30 anos e preveem o direito de exploração da infraestrutura da rodovia, com a responsabilidade de fazer a recuperação, operação, manutenção, implantação de melhorias e ampliação de capacidade. As concessões fazem parte do Programa de Investimentos em Logística (PIL), criado pelo governo federal em 2012.

Fonte: Jornal O Popular (Lídia Borges)