30 de julho de 2014

Macambira Anicuns: Obras devem ser retomadas este ano


Ainda sem ordem de serviço definida, as obras do Parque Macambira Anicuns deve começar devem recomeçar ainda este ano. A Prefeitura de Goiânia assinou novo contrato, que prevê a retomada das obras paralisadas em 2012, com o Consórcio Construtor Puama, liderado pela Sobrado Construção, em parceria com a Elmo Engenharia e a GAE Construção e Comércio. O acordo foi celebrado no dia 23 de julho e publicado no Diário Oficial do Município somente na última segunda-feira.

O valor total não foi confirmado pela procuradoria-geral do município, mas os custos devem ultrapassar os R$ 210 milhões inicialmente orçados pela Emsa, empresa responsável pela obra, e chegar aos R$300 milhões. O parque será construído em três etapas, somente a primeira está orçada em R$ 120 milhões. Do montante total, 60% serão financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (Bid), enquanto o restante deve ser dividido entre a Prefeitura e o Governo Federal.

Ainda que os valores tenham sido corrigidos em relação ao primeiro projeto, as obras seguem sem alterações. A primeira etapa prevê a construção do Parque Urbano Ambiental Macambira e o Setor I do Parque Linear. O setor I é focado nas imediações da nascente do Córrego Macambira e abrange cinco bairros da região sul de Goiânia.

Algumas intervenções na região já foram feitas pela Emsa antes do pedido de revisão do contrato e paralisação das obras. Entre elas, montagem e instalação do canteiro de obras, terraplanagem e cadastramento e invetário das espécies arbóreas do local.

No projeto, o setor I conta com dois parques, com playgrounds, quadras esportivas, academias e bicicletários. Também está previsto ciclovia e pista de caminhada, além da recuperação ambiental de toda a área abrangida pelo setor I. Um bueiro já começou a ser instalado na Avenida Independência, no Setor Faiçalville.

Em reportagem publicada na semana passada, O POPULAR informou que as ordens de serviços podem atrasar devido à negociação de uma dívida da GAE Engenharia, participante do consórcio, pela construção dos viadutos sobre a Marginal Botafogo. A negociação de R$ 6 milhões é necessária para finalizar o trecho que falta ser liberado.

Veja o vídeo do projeto:






Fonte: Jornal O Popular (Eduardo Pinheiro)