25 de junho de 2014

Pedágios virão junto com investimentos


BNDES libera mais R$ 1 bilhão para melhorais em rodovias que cortam Goiás, Minas Gerais e Distrito Federal

A empresa vencedora da concorrência que permite exploração das BRs 060 e 153 por 30 anos, Triunfo Participações e Investimentos S.A., recebeu ontem do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a aprovação de empréstimo no valor de R$ 1,06 bilhão.

O valor deverá ser usado para financiar melhoria e ampliação da infraestrutura das rodovias citadas, além da BR-262, em Minas Gerais. Mas mesmo antes da conclusão dessas obras, o valor estimado de R$ 2,85 para o pedágio a ser cobrado a cada 100 quilômetros nos trechos terceirizados já começa a ser cobrado ano que vem.

A Triunfo informou por meio de nota que foi criada uma empresa coligada para administrar esses investimentos nas rodovias. A Concessionária das Rodovias Centrais do Brasil (Concebra) foi criada em janeiro e já vem investindo nos 1.176 quilômetros privatizados, entre o Distrito Federal, Minas Gerais e Goiás.

Segundo a Concebra, já foram iniciados trabalhos de roçagem, pintura e sinalização, desobstrução e limpeza dos meios fios, sarjetas, descidas d’agua e bueiros para melhorar a drenagem, além de recuperação de defensas e remendos no asfalto.

Apesar da cobrança do pedágio estar prevista para 2015, a concessionária informa que alguns serviços já devem ser oferecidos este ano, em setembro. A partir de então, será oferecido socorro médico e serviço mecânico gratuito para o usuário do trecho. Também estão sendo construídos postos de atendimento ao usuário das vias.

Nesses locais serão oferecidos sanitários, fraldários, local de descanso, além de informações para os viajantes. Está previsto que em cada ponto como esse, também seja utilizado como base para as viaturas de inspeção de tráfego, guinchos e ambulâncias para atendimentos de ocorrências nas rodovias.



Praças de pedágios

Esses pontos estão sendo chamados pela empresa de Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU). Serão 24 pontos em todo trecho administrado pela Concebra. Em Goiás, serão oito postos como esse e a previsão é de que eles fiquem a cada 50 quilômetros. Além de um ponto no Distrito Federal, os municípios de Abadiânia, Anapólis, Goiânia, Hidrolândia, Piracanjuba, Morrinhos e Itumbiara terão uma unidade. De acordo com a Concebra, as obras para construção já foram iniciadas. A previsão é que todos esses postos fiquem prontos até setembro.

Sobre as praças de pedágio, foi definido que Goiás contará com quatro pontos. Eles serão instalados nos municípios de Alexânia, Goinápolis, Piracanjuba e Itumbiara. A concessão terá duração de 30 anos. O contrato prevê o direito de exploração da infraestrutura da rodovia, além da prestação do serviço público de recuperação, operação, manutenção, implantação de melhorias e ampliação de capacidade.

Nos primeiros cinco anos de concessão, a Concebra deverá duplicar 647,8 quilômetros nas rodovias BR-153/MG (do entroncamento com a BR-365/MG até a divisa MG/SP) e BR-262/MG (do entroncamento com a BR-153 até Nova Serrana). Os outros 528,7 quilômetros concedidos já estão duplicados. O custo estimado dessas obras é de R$ 1,639 bilhão. O prazo para os investimentos é de 18 meses.

Outra obra importante está prevista no contrato de concessão. Um deles é a construção do contorno de Goiânia, que deverá desafogar o trecho urbano da BR-153. O traçado deverá ter pouco mais que 30 km e vai impedir que veículos de carga e muitos viajantes trafeguem nesse trecho.

Essa obra ainda não tem data para ser iniciada. Outra obra importante será a criação de uma terceira faixa de rolamento entre Goiânia e Anápolis.

Fonte: Jornal O Hoje