27 de junho de 2014

Obras: Viadutos passam por ajustes para atender fluxo de trânsito


SMT e Agetop implantam sinalização no local e bloqueiam rua, para melhorar tráfego

Uma semana depois de inaugurados, os viadutos das rodovias goianas 060 e 070, nas saídas para Trindade e Inhumas, respectivamente, passam pelos primeiros ajustes para atender a demanda do trânsito da Região Noroeste de Goiânia. Ontem, a Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop) concluiu, por exemplo, a instalação de um semáforo no cruzamento da GO-060 com a Avenida Castelo Branco, e também colocou obstáculos, com tubos de concreto, na rotatória construída na GO-070, a saída para a Rua 11, no Setor Santos Dumont, que dá acesso ao Jardim Nova Esperança.

A ideia, segundo destaca a Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT), é resolver, em parceria com a Agetop, todos os gargalos surgidos com o novo fluxo de trânsito naquela região. Engenheiros dos dois órgãos se reuniram na quarta-feira e já pontuaram as principais necessidades de intervenção. “A SMT enviou documento à Agência com todas as orientações da Engenharia de Trânsito, informando todas as necessidades de sinalização que devem ser executadas. A SMT aguarda, agora, uma resposta da Agetop para saber o que será atendido e executado”, afirmou, por meio de nota, a Assessoria de Comunicação do órgão de trânsito municipal.

A SMT não informou, contudo, o teor do documento repassado ao governo do Estado e se negou a esclarecer, de forma mais geral, que solicitações foram feitas à Agetop. Conforme apurou a reportagem no órgão estadual, além do semáforo instalado no cruzamento da GO-060 com a Avenida Castelo Branco, está em estudo a construção de uma passarela próximo ao viaduto da GO-070 e a instalação de grades em cima das muretas que o cercam, com o objetivo de conter a travessia de pedestres fora da faixa de segurança.
Quanto ao acesso à Rua 11, no Setor Santos Dumont, por meio da rotatória, a previsão é de que ele seja fechado em definitivo. Os tubos de concreto colocados no local devem ser retirados para a execução do serviço assim que forem concluídas a construção de canteiro e meio-fio no local.

ESTRAGOS

Ontem, o POPULAR circulou pelas imediações dos dois viadutos recém-inaugurados e verificou que, nas ruas adjacentes, para onde foi direcionado o fluxo de trânsito durante as obras, permanecem os estragos provocados pelo tráfego de veículos pesados. Enormes buracos tomam conta do asfalto das Ruas Fernão Dias Paes Leme e Januário da Cunha Barbosa, bem como da Rua José Bonifácio. Há, ainda, calçadas e meios-fios bastante danificados na região.

Na parte inferior do Viaduto Leôncio Barbosa Silveira (GO-060), os estragos também já podem ser notados. Uma parte do túnel foi pichada e, no teto, há sinais de raspões causados, provavelmente, pela travessia de veículos acima da altura permitida, de cinco metros e meio - não há nenhuma sinalização nesse sentido.

“A tinta do viaduto é lavável; já prevíamos possíveis pichações”, destaca o gerente de Restauração de Pavimentos da Agetop, Riumar dos Santos, sublinhando que a limpeza será providenciada, assim como a implantação de sinalização adequada no local. De acordo com ele, o levantamento técnico necessário ao conserto das vias danificadas pelos desvios também já foi concluído e a previsão é de que, em 15 dias, o serviço de reparação seja iniciado. “Já estamos providenciando maquinários e massa asfáltica para isso”, assegurou. O trabalho, nesse caso, deverá incluir operação tapa buracos e reconstrução de meios-fios e calçadas.

Fonte: Jornal O Popular