24 de junho de 2014

Hospital de Pirenópolis reformado será entregue à população



Iniciados há três meses, os serviços de manutenção corretiva no Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime (HEELJ), em Pirenópolis, fazem parte do programa de otimização das unidades de saúde do Estado de Goiás. A obra custou R$ 276.481,76 e será entregue à população nesta terça-feira, dia 24, às 18 horas, com a presença do secretário da Saúde, Halim Antonio Girade e da presidente da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), Valéria Perillo.

A obra contemplou a substituição de toda a parte elétrica e hidráulica. Foi realizada a pintura completa da unidade, manutenção no telhado e adaptação da recepção geral. Foram trocadas as esquadrias e portas de todo o hospital. Foi feita, ainda, a adaptação do abrigo dos resíduos sólidos, e da copa, reforma do laboratório e troca de todo alambrado que cerca a unidade hospitalar. Segundo a diretora-geral do hospital, Helga Jaime de Oliveira, a unidade precisava  mesmo de melhorias, que chegaram na hora certa. Essa é a primeira grande reforma desde a inauguração na década de 1990.

A reforma também teve por objetivo deixar a unidade pronta e em boas condições estruturais para ser administrada pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH), que foi a organização social vencedora – em caráter preliminar- do chamamento público para a gestão do (HEELJ). O contrato entre a OS e o Governo de Goiás foi assinado no dia 12 de junho e terá vigência de 48 meses. O valor do contrato é de R$ 1.247.122,65 por mês.

O Hospital Estadual de Pirenópolis hoje é uma unidade de urgência e emergência em clínica geral, pediatria, ginecologia e traumato-ortopedia, com funcionamento 24 horas. A unidade realiza atendimentos em nível regional, que compreende os municípios de Cocalzinho, Corumbá, parte de Abadiânia e distritos dessas cidades. Por ser indispensável para a região, a unidade não parou nem mesmo durante a reforma. Conforme as estatísticas consolidadas, somente em 2013 foram realizadas 29.918 consultas em sete especialidades médicas e mais de 50 mil procedimentos ambulatoriais durante o ano.

Fonte: Goiás Agora