14 de junho de 2014

Grande Goiânia: 18 homicídios em menos de 24 horas


Força tarefa será montada para investigar mortes ocorridas na Grande Goiânia

A  última quinta-feira  e ontem deveriam ser marcadas pela boa estreia do Brasil na Copa do Mundo. Mas na Grande Goiânia essa alegria foi manchada pela ocorrência de 18 homicídios, ocorridos em menos de 24 horas. Só na Capital foram 16 mortes e em Aparecida de Goiânia duas. O titular da Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH),  Murilo Polati, afirma que este foi o recorde para apenas um dia e que não se lembra de um número tão alto desde que ingressou na Polícia Civil.  O recorde anterior era de oito assassinatos em apenas um dia.

Devido ao número alto de mortes, a movimentação na DIH foi grande durante toda manhã de ontem. O superintendente de Polícia Judiciária, Deusny Aparecido Filho, o delegado Murilo Polati e agentes da Inteligência da Polícia Civil se reuniram para discutir a realização de uma força tarefa para investigar os 16 casos na Capital. A delegada Silvana Nunes ficará responsável pela investigação de todas as execuções.

Segundo Polati, a maioria das ocorrências aconteceram após as 20 horas, logo após o fim do jogo entre Brasil e Croácia. O titular da Homicídio, no entanto, não acredita que as comemorações e excessivo uso de bebidas alcoolicas por parte  dos torcedores tenham relação com o número alto de homicídios. “Pelo histórico da maioria das vítimas, as mortes estão relacionadas com uso de drogas e acerto de contas”, ressalta.

Sobre o fato de tantas mortes em apenas um dia, o delegado reconheceu que ainda não tem explicação para o ocorrido. “Foi um dia totalmente atípico. O número que a gente registra geralmente em um final de semana todo, e olha que já seria um número alto, registramos em apenas um dia da semana”, conta o titular da DIH.

O primeiro homicídio foi registrado ontem por volta do meio dia no Setor Goiânia Viva. O cabo da Polícia Militar Sérgio Teodoro Caetano foi executado em um possível latrocínio. Ele foi atingido por vários disparos nas costas, quando trabalhava fazendo escolta para uma pessoa que fazia o transporte de dinheiro em éspecie. Após isso os demais registros aconteceram no período da noite e madrugada de sexta-feira.

Triplo Homicídio
No Setor Lorena Park aconteceu um triplo homicídio. Morreram os menores Maxwell Lima Freire, 16, Igor Villas Boas Freire, 17, e Carlos Henrique Gomes Calixto, 15.

Sobre este caso o delegado afirma que ele vai ter uma atenção diferenciada porque foram usadas armas de grosso calibre e de uso restrito para cometer a execução dos garotos.

Além do triplo homicídio no Lorena Park, aconteceram dois duplos assassinatos. Um foi no Jardim Novo Mundo, em que foram mortos Michael Messias de Sousa, que tinha entre 18 e 24 anos, e Marco Antônio Siqueira, 21, que chegou a ser levado para o Hugo, mas não resistiu as ferimentos e morreu no hospital.  Na Cidade Vera Cruz, em Aparecida de Goiânia,  Thiago Silva de Jesus (20) e Flávia Cândido Rosa (32) foram mortos depois que houve uma discussão em um bar e lavajato e alguns disparos foram efetuados, acertando os dois. O Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia ainda não sabe se os dois tinham algum tipo de relação ou se foram mortos por acaso.

Na Vila Romana, nas proximidades da BR-153, Raphael Soares Oliveira, foi morto a tiros depois que discutiu com um ex-namorado de sua companheira.  Maikon Marlon Alves (19) também foi morto no Jardim Novo Mundo por disparos de arma de fogo. Ele era usuário de drogas. No Setor Pedro Ludovico, Francisco Humberto Oliveira (31) foi executado em um local conhecido por vender de drogas. Já na Vila Mutirão, o cadeirante Wanderson Manoel de Jesus (32) foi morto na porta de casa quando dois homens em uma moto passaram efetuando vários disparos.

No Setor Tancredo Neves o corpo de um homem não identificado , entre 30 e 34 anos, foi encontrado com marcas de armas de fogo. Um dos últimos assassinatos registrados aconteceu no Parque das Amendoeiras, região Leste de Goiânia. Ismael Mariano Santos, 32, foi morto com nove ferimentos de facas, depois que foi tentar intervir em uma briga familiar em uma casa vizinha a sua. O autor do crime, que possivelmente batia na mulher e em um filho, fugiu após o crime. Já na madrugada de ontem, por volta das 5 da manhã, Evaldo da Silva Braga, 27, e Mirian Guimarães, 40, foram mortos na Chácara do Governador. A suspeita é que as execuções ocorreram por acerto de contas em virtude de drogas, já que os dois eram usuários.

Fonte: Jornal O Hoje