30 de junho de 2014

Goiânia: Segurança inaugura central de videomonitoramento




A Secretaria da Segurança Pública de Goiás inaugurou, nesta sexta-feira, dia 27, a nova Central de Videomonitoramento de Goiânia, cujo investimento foi de R$ 7,6 milhões. Sessenta câmeras de última geração já estão em funcionamento e a previsão é que outras dez sejam acionadas até o fim da próxima semana. O projeto Olho Amigo, como foi batizado, contará com 150 equipamentos próprios quando estiver em funcionamento pleno, o que deve ocorrer no segundo semestre deste ano, mas pode ter o número ampliado por meio de parcerias.

Até a efetivação do Olho Amigo, a SSP contava com 36 câmeras em Goiânia. As atuais mantêm a cobertura anterior, mas ampliam para 18 bairros da capital, como Jardim Liberdade, Vila Mutirão e Cândida de Moraes (veja lista abaixo). A distribuição seguiu a chamada “mancha quente”, ou seja, são áreas apontadas pela Gerência de Análise de Informações como as de maior vulnerabilidade.

Além de ter mais pontos monitorados, os novos equipamentos são mais modernos. Todas as câmeras têm alta resolução de imagem (Full HD) e cobrem um ângulo de 360 graus. Além disso, podem aproximar a imagem em até 20 vezes, de acordo com a necessidade dos operadores do sistema, que são da Polícia Militar e têm estações de trabalho individuais.

A nova central foi construída na sede da SSP e está em uma sala de 60 metros quadrados. Nela, além dos painéis individuais, foi instalado um painel formado por oito telas chamado videowall. “Esse equipamento permite o monitoramento 24 horas por dia, sete dias por semana, e tem vida útil de 50 mil horas”, explica o secretário da Segurança Pública, Joaquim Mesquita. As imagens ficarão arquivadas por 30 dias, exceto aquelas incluídas em inquéritos policiais, que serão armazenadas em backups.

Segundo o secretário, o videomonitoramento auxiliará muito o trabalho das polícias. “O operador poderá descolar rapidamente uma viatura da PM, quando identificar uma ocorrência. As imagens também podem colaborar para o esclarecimento de ocorrências”, afirma. Joaquim Mesquita esclarece que o videomonitoramento tem impacto, principalmente, na redução de crimes patrimoniais, mas também pode contribuir para conter crimes contra a pessoa, como homicídios.

O governador Marconi Perillo ressalta que a nova central vai facilitar todas as ações de monitoramento da SSP, que inclui, além das câmeras, o posicionamento geográfico das viaturas. “A central é moderníssima e permite também a parceria com instituições públicas e privadas”, lembra. “Mas visa, principalmente, reduzir a criminalidade, que é o que nos interessa”, conclui.

Marconi Perillo aproveitou para conhecer as obras do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), que está sendo erguido na sede da SSPGO. O CICC agrupará o serviço de videomonitoramento, mas também todos os atendimentos das forças policiais e Corpo de Bombeiros, além de permitir a integração com outros órgãos que não estão diretamente ligados à Segurança, como o Departamento de Trânsito (Detran).

A inauguração foi acompanhada pela presidente da Associação Comercial e Industrial de Goiás, Helenir Queiroz; o presidente da Fecomércio, José Evaristo dos Santos; e do Sindlojas, José Carlos Palmas Ribeiro. Também estiveram presentes o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Sílvio Benedito Alves; o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Carlos Helbinger e o diretor-geral da Polícia Civil, João Carlos Gorski.

Presidente do Sindlojas, José Carlos Palma Ribeiro elogiou a nova central. “Esse tipo de equipamento leva uma sensação de segurança aos lojistas e aos clientes. Trata-se de um equipamento muito mais moderno e eficiente do que os existentes nas lojas, por exemplo”, acredita.

A Central tem cerca de 60 metros quadrados, com oito posições de monitoramento, podendo chegar a 20. Conta com um painel de visualização (Videowall) composto por oito telas de LFD (Large Format Displays) FULL HD, de 46 polegadas com Backlight LED, onde a somatória de bordas não ultrapassa os 5,5mm, distribuídas em uma matriz 2×4. Equipamento desenvolvido especialmente para operações 24×7 com vida útil mínima de 50.000 horas, totaliza uma área total de visualização de aproximadamente 5m2. Cada posição de monitoramento conta com dois monitores de 23 polegadas, além de joystick com botões de atalho para controle rápido e preciso das câmeras em campo.

As câmeras são 70 tipo PTZ (móveis), com tecnologia FULL HD 2MP, zoom óptico de 20x e rotação contínua de 360 graus. A transmissão é por meio de rede de fibras óticas dos pontos monitorados para a Central. Outras 80 câmeras serão instaladas até o fim do ano, totalizando 150. Além disto, a Central tem capacidade para receber as imagens de câmeras de outras instituições por meio de parcerias. Já estão em andamento parcerias com a Prefeitura, Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC), Agência Goiana de Obras Públicas (Agetop), Polícia Rodoviária e organizações representativas do comércio, indústria e setor de serviços.

Distribuição das câmeras Nas vias urbanas, inicialmente serão 70 câmeras distribuídas de acordo com os hotspots (zonas quentes), que são os locais com maior número de ocorrências, de acordo com dados da Análise Criminal da Gerência de Análise de Informações da Secretaria da Segurança Pública de Goiás:

Setor Central
Setor
Fama Setor
Marechal Rondon
Residencial Recanto do Bosque
Setor Campinas
Setor Morada do Sol
Vila Aurora
Setor Aeroviário
Jardim Nova Esperança
Parque Industrial
Vila Canaã
Vila Nova Leste
Vila Nova Nova Esperança
Pedro Ludovico
Cândida de Moraes
Vila Mutirão
Jardim Liberdade

Fonte: Goiás Agora