26 de junho de 2014

Bolsa Universitária chega a 153 mil beneficiados


Novos 10 mil estudantes assinaram nesta quarta-feira (25) o termo de compromisso para oficializar a inclusão no programa da OVG, que concede desde 1999 bolsas parciais e integrais para a conclusão do ensino superior; em discurso, governador Marconi ampliou a meta para 160 mil estudantes até o final deste ano; 73 instituições de ensino recebem alunos do Bolsa Universitária, programa que soma investimentos anuais de R$ 253 milhões pelo governo do Estado

GoiásAgora - Os novos beneficiados pelo Bolsa Universitária assinaram na manhã desta quarta-feira (25) o termo de compromisso para oficializar a inclusão no programa da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), que concede bolsas parciais e integrais para a conclusão do Ensino Superior. A solenidade foi realizada no Ginásio Goiânia Arena, em Goiânia, e o programa selecionou para começar os estudos neste segundo semestre 10 mil acadêmicos, dos quais 9 mil receberão bolsas parciais e mil, integrais.

Durante o evento, a doutora Ana Noto, do Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), proferiu palestra sobre Combate às Drogas no Ambiente Acadêmico. “É importante que entremos na universidade cientes da diferença entre ‘uso’ e ‘dependência’ do consumo de droga. Toda dependência começa com o uso. E a dependência acaba por comprometer toda a carreira acadêmica”, explicou a doutora reforçando que em caso de dependência é fundamente que a família dê todo o aparato necessário à cura do dependente. “É um processo lento e de reaprendizagem”, afirmou.

As bolsas parciais destinam-se a estudantes com renda bruta familiar mensal de até seis salários mínimos. Já as integrais são para alunos com renda bruta familiar mensal de até três salários mínimos. Roberta Graciane Guimarães, de 27 anos, encontrou no Bolsa Universitária a saída que precisava para prosseguir com seus estudos. ” Já estou no 8º período do curso de Direito, na Universo em Goiânia, e se não fosse esse programa eu teria que trancar. Depois que concluir o curso pretendo fazer um mestrado”, disse a estudante que sonha em ser diplomata.

Já Ingrid Bueno Marques, de 19 anos, só está no 1º período do curso de Arquitetura e Urbanismo da PUC-Goiás porque o Bolsa Universitária permitiu financeiramente seu ingresso. “É muito bom porque meus pais não queriam fazer financiamento. Estavam com muito medo de não conseguirem arcar com as despesas de um curso tão caro quanto o meu. Então eu devo muito ao Bolsa Universitária“, disse a jovem estudante que trabalha pela manhã e estuda à noite.

Ainda mais nova, ao ver a equipe do Goiás Agora, a estudante Rayane Larrara logo se prontificou a dar entrevista, afirmando que está muito feliz com o benefício do governo estadual. “Eu sou de Uruaçu e estou no 1º período do curso de Gestão e Tecnologia da Informação. Estou muito feliz de fazer o curso. Por isso o grau de importância do programa é enorme, já que meu pai não pode arcar com as despesas”, afirmou.

Em seu discurso, a presidente da OVG, Valéria Perillo, lembrou que são 73 instituições de ensino que recebem os alunos do Bolsa Universitária, e que o programa é um investimento muito amplo. “São destinados R$ 11 milhões por mês a essas instituições, que somam R$ 253 milhões por ano”. Já o governador do Estado, Marconi Perillo, disse que tais investimentos fizeram com que o programa fosse não só um marco para Goiás, mas para o Brasil. “Foi por meio do exemplo do Bolsa Universitária que o governo federal criou o Prouni. Esse programa serviu de inspiração e hoje é um marco para o Brasil”, afirmou Perillo.

Com a inclusão dos novos bolsistas, o programa chega a 153 mil estudantes beneficiados desde 1999, superando a meta estabelecida pelo governo de atingir a marca de 150 mil bolsas em 2014. “Já que superamos a meta, fizemos uma outra: atingir os 160 mil estudantes até o final deste ano”, disse Marconi, pedindo aos estudantes que não deixem de prestar suas contrapartidas, o relatório de prestação de conta de seus estudos, já que o governo precisa apresentá-los ao Tribunal de Contas do Estado de Goiás (TCE).

E os alunos vão poder contar com mais uma alternativa de qualificação para o ingresso no mercado de trabalho, que são os cursos gratuitos a distância. A OVG vai firmar parceria com o Centro de Integração Empresa–Escola (Ciee) para que os bolsistas possam fazer esses cursos a distância gratuitamente e tenham a oportunidade de realizar entrevistas para estágios em órgãos dos setores público e privado. Eles passarão a ter acesso a 32 cursos administrados pelo Ciee e que valerão como novas opções de contrapartida. A palestra de Ana Noto, da Unifesp também é parte dessa parceria.

Fonte: Goiás 247