27 de junho de 2014

Anel viário deve ficar pronto em cinco anos


Antes de grandes obras estruturais, concessionária realiza pequenas intervenções que podem atrapalhar tráfego na BR-153

O esperado anel viário que fará o contorno da capital, com a promessa de desafogar o tráfego intenso de ônibus e caminhões no trecho urbano da BR-153, deve ficar pronto em cinco anos. O projeto está em fase de conclusão, mas ainda não há data para início das obras. Esse é um dos acordos da concessionária vencedora do leilão, a Triunfo Concebra, dentro do contrato de exploração por 30 anos de vários trechos de rodovias federais que cortam o Estado. A obra do anel viário terá cerca de 30 quilômetros de extensão e vai sair do trevo de Hidrolândia e reencontrar com a BR-060, onde hoje é o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O inspetor da PRF Fabrício Rosa afirma que essa mudança será positiva para o tráfego na região. Ele afirma que o fluxo observado hoje na BR-153 já não é de uma rodovia, mas grande avenida. Ele entende que, com o novo traçado, os veículos de grande porte deverão evitar o perímetro urbano, o que vai reduzir o movimento intenso, além de diminuir o número de acidentes. “Esse trecho deverá ser municipalizado e as prefeituras de Goiânia e de Aparecida deverão ordenar o tráfego, como já ocorre em outros locais de grande movimento.” De acordo com a Concebra, esse projeto ainda está em fase de estudos e reunião de documentos para início das obras.

Também estão previstas melhorias estruturais na BR-060, entre Anápolis e Goiânia. Para dar mais mobilidade para quem usa esse trecho, uma terceira pista nos dois sentidos será construída. “Essa é uma região que também ganhou perfil diferente, e uma ampliação poderá representar melhorias no futuro”, destaca o inspetor Fabrício.

Congestionamentos

Mas enquanto essas obras de grande porte não começam, a concessionária já está com equipes na BR-153, no trecho entre Aparecida de Goiânia e Anápolis, desenvolvendo pequenos serviços como roçagem, pintura e sinalização, limpeza de placas, desobstrução e limpeza de meios-fios, sarjetas e bueiros. O objetivo é melhorar a drenagem, recuperação de defensas e o recapeamento asfáltico.

Mas, apesar das melhorias, as ações têm causado grandes congestionamentos em vários pontos da BR-153. A Triunfo Concebra informou que as intervenções começam após o período de pico do trânsito pela manhã e é encerrado pouco antes do movimento do final do dia para minimizar esse tipo de problema. “É um mal inevitável”, declara inspetor Fabrício.

De acordo com a concessionária, o trabalho avança, por dia, entre 500 a mil metros. Nesse ritmo, até o início da próxima semana, as equipes deverão deixar o trecho urbano em Goiânia, dando sequência ao recapeamento até Anápolis. A previsão é de que em meados de julho comece o trabalho de volta, trecho Anápolis-Goiânia. A concessionária optou por realizar o trabalho em apenas um sentido para evitar, ainda, que uma pista fique interditada em cada sentido.

A previsão é de que no ano que vem comece a cobrança de pedágio em trechos da BR-153 e em outros das BRs 060 e 262. Mas já em setembro deste ano a concessionária, que irá explorar os serviços e a infraestrutura dessas estradas, começa a operação, oferecendo socorro médico e mecânico para usuários do trecho.

Concessão

A concessão terá duração de 30 anos e o contrato, além do direito de exploração dos trechos, prevê a prestação do serviço público de recuperação, operação, manutenção, implantação de melhorias e ampliação de capacidade. Nos primeiros cinco anos de concessão devem ser duplicados 647,8 quilômetros nas rodovias BR-153 (trechos que cortam os Estados de Minas Gerais e São Paulo) e BR-262/MG (do entroncamento com a BR-153 até Nova Serrana, em Minas). Outros 528,7 quilômetros concedidos já estão duplicados. O custo estimado dessas obras é de R$ 1,639 bilhão, que já foi emprestado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), conforme divulgado pelo O HOJE na edição da última quarta-feira, 25.

Fonte: Jornal O Hoje