29 de maio de 2014

Sem receber, locadora recolhe 500 veículos da prefeitura de Goiânia


Mais de dez serviços públicos municipais continuam comprometidos após a falta de acordo entre a Prefeitura de Goiânia e a ITA Transportes, que negocia o recebimento de 11 faturas que estão em atraso desde junho do ano passado. A ITA é responsável por fornecer diversos tipos de veículos à Prefeitura.

A empresa tem quatro contratos com o Paço ao custo total de quase R$ 300 milhões e executa serviços desde a coleta de lixo reciclável até o aluguel do carro usado pelo prefeito Paulo Garcia, que agora usa o veículo particular. A dívida da Prefeitura com a empresa é estimada em R$ 40 milhões.

Ao todo, 500 veículos 300 caminhões, 20 ônibus e 180 carros de passeio foram recolhidos ao pátio da ITA na segunda-feira. A decisão de suspender o serviço ocorreu no início deste mês, quando 500 motoristas receberam aviso prévio, vencido no dia 25.

Segundo o diretor executivo da ITA, Márcio Palmerston, a empresa espera que pelo menos uma das faturas atrasadas seja paga pela Prefeitura para retornar ao serviço.

A última proposta de pagamento, feita na noite de terça-feira, não contemplava o desejo da empresa e não vislumbrou a quitação de nenhuma das faturas nos próximos dias. Palmerston deixou claro que não quer um embate com a Prefeitura e pretende negociar uma solução.

"Existe um diálogo e a gente entende que a Prefeitura esteja em um mau momento financeiro e também que a sociedade sofre com a falta de serviço, mas a ITA chegou ao limite de seu endividamento e tivemos de optar pela saúde financeira da empresa", disse ele ao jornal O Popular.

Dos quatro contratos da ITA com a Prefeitura, um se refere ao transporte do prefeito e outro aos veículos alugados para transportar os secretários municipais.

PREJUÍZO

Os 542 cooperados das 15 cooperativas que recebem o lixo reciclável recolhido nas ruas de Goiânia foram os primeiros a sofrer com a paralisação dos veículos alugados pela ITA. Desde segunda-feira eles não recebem qualquer material para fazerem a reciclagem e a venda e ganhar o sustento de cada dia.

Com o passar dos dias, os moradores de Goiânia também começam a conviver com os problemas causados pela dívida da Prefeitura com a ITA e a paralisação dos serviços.

(As informações são do jornal O Popular)

Fonte: Mais Goiás