26 de maio de 2014

Obras pela metade, mas inauguradas



O mês de junho promete ser agitado na agenda do governador Marconi Perillo (PSDB).  Com a maioria das inaugurações na região metropolitana de Goiânia marcadas para antes das convenções do partido, que vai ocorrer no dia 28 do próximo mês, Marconi pretende deixar seu legado de obras na região concluídas. Devem ser inaugurados no próximo mês, os viadutos da GO-060 e G0-070, que ligam a capital á Trindade e Inhumas respectivamente; o novo Hos­pital de Urgências (HUGO 2); o Autó­dromo Internacional de Goiânia; a iluminação da BR-153 e o Centro de Referência e Exce­lên­cia em Dependência Química (Cre­deq) em Apa­recida de Goi­ânia. Apesar de conseguir inaugurar antes de sua posição como pré-candidato á reeleição, algumas obras serão entregues sem estarem totalmente concluídas.

De acordo com a Lei eleitoral, o governador não poderá fazer mais nenhum evento público, em relação ao cargo que ocupa hoje, a partir do momento em que seu nome for oficializado como candidato às eleições de outubro. Portanto, desde o início do ano Marconi corre contra o tempo para que as obras do interior possam ser entregues, a maioria delas relacionadas à pavimentação e reforma de rodovias. Na capital, onde o eleitorado historicamente rejeita o nome do governador, as obras que vão ser entregues são consideradas de maior porte e impacto na realidade dos cidadãos.

Apesar de algumas construções estarem com o prazo de inauguração vencido desde o ano passado, como é o caso dos viadutos, a maioria das obras tiveram o ritmo acelerado. O Hugo 2, por exemplo, começou a ser construído em junho do ano passado e vai ser entregue em pouco mais de um ano. Segundo o presidente regional do PSDB, Paulo de Jesus, não existe correria por conta da campanha eleitoral, apenas o cumprimento de promessas feitas pelo governador e que deviam ser agilizadas pelo bem da população goianiense.

Calendário

O Autódromo Internacional de Goiânia será a primeira obra reinaugurada no próximo mês. Marcado para o dia primeiro de junho, a abertura da nova pista coincidirá com a volta de um evento de velocidade a nível nacional: a 4° etapa da Stock Car Brasil. Mas o projeto inicial só deve ser entregue no segundo semestre deste ano. A primeira parte do novo circuito conta com asfalto emborrachado, novos boxes, zebras, áreas de escape, guard rails, iluminação e arquibancadas. Restará à conclusão do parque multiuso, a pista de motocross e o kartódromo.

A mesma situação acontece com o projeto do Centro de Excelência do Esporte, que já foi reinaugurado duas vezes, ambas com o ginásio Rio Vermelho, mas que continua em construção. A expectativa é que o Laboratório de Capitação e Pesquisa seja inaugurado em agosto e o Estádio Olímpico em setembro ou outubro. A construção da nova piscina do complexo ainda não começou.

Segundo a Agência de Transportes e Obras (Agetop), os viadutos que ligam a saída da capital a GO-060 e GO-070 vão estar totalmente prontos até o dia 21 de junho. Em fase de final de construção, a obra será entregue para a população uma semana antes do início da festa do Divino Pai Eterno que ocorre na cidade de Trindade.  O outro viaduto que está sendo construído na região norte da capital e que leva a GO-080 deve ser liberado em outubro já que a construção começou apenas em abril.

Já a iluminação da BR-153, no trecho urbano entre Goiânia e Aparecida, deve ser inaugurada ainda este mês. Todos os postes já foram colocados e as instalações elétricas finalizadas. Agora, estão sendo realizados testes na iluminação. Segundo a Agetop, o investimento do governo estadual foi de R$ 4,9 milhões para iluminar 27 quilômetros de extensão da via. Mais de 640 postes foram utilizados no percurso.
O Hugo 2, que é considerado uma das maiores construções realizadas pelo atual governo de Marconi, deve ser inaugurado mas sem estar terminado de fato. Segundo Paulo de Jesus, a parte do projeto original vai estar completa e apenas restará à conclusão de uma segunda ampliação decidida durante o andamento das obras, o que corresponde a 30% da construção.

O presidente do PSDB regional acredita que a entrega de algumas obras sem finalização completa não vão levar críticas a Marconi, já que segundo ele as obras vão estar terminadas até o fim do mandato. “Nós não fizemos como a gestão municipal que começou uma obra (viaduto da Avenida 88) sem dinheiro em caixa e teve que ser paralisada. Nós planejamos nossas obras”, alfinetou o tucano.
Interior

As cidades interioranas também fazem parte dos projetos do Palácio das Esmeraldas. O governador já percorreu mais de 150 municípios goianos inaugurando obras e rodovias, e a intenção é que o ciclo de viagens acabe no final de maio, mas algumas inaugurações ainda tomarão a agenda de junho. As cidades que compõem a Região Metropolitana de Goiânia entram no pacote de benefícios oferecidos a partir do próximo mês. A duplicação da GO-020 que liga a capital à Bela Vista é vista com bons olhos por apoiadores de Marconi.

A duplicação da rodovia GO-403, que havia previsão de inauguração para o final deste ano, foi antecipada e será inaugurada em junho. A via liga o Jardim Novo Mundo, em Goiânia, até Senador Canedo. A obra é orçada em R$ 37,3 milhões e está com 75% concluída.  A duplicação da GO-070, entre Goiânia e Itaberaí, só ficará totalmente pronta em outubro. O trecho entre Goiânia e Inhumas está concluído. Entre Inhumas e Itauçu a inauguração acontece em junho. Já entre Itauçu e Itaberaí o trecho só fica pronto em outubro.
Outra obra que deve ser entregue antes do calendário eleitoral, com a participação do governador Marconi Perillo, é a ponte de Cocalinho, construída sobre o Rio Araguaia. O empreendimento ligará Goiás (GO-454) ao Mato Grosso (MT-326). A obra é construída em regime de parceria público-privada (PPP) pelo Consórcio Caminhos do Sol, sob a liderança da empresa Conter e a supervisão da ONA Engenharia. O valor do investimento é de R$32,2 milhões, sendo R$18,4 milhões o aporte de Goiás.

Durante o segundo semestre, o governador deve voltar à maioria das cidades, mas já como candidato à reeleição. As constantes viagens no início do ano podem render bons frutos à futura campanha e a escolha dos cidadãos na hora do voto. A popularidade que esteve em baixa nos últimos dois anos parece ter sido reconquista em parte por Marconi Perillo.

Governador promete conclusões

Na última semana, Mar­coni confirmou que não vai conseguir inaugurar tudo o que quer antes do dia 28 de junho. Apesar disso, a base governista acredita que até o último dia de governo, a administração vai ser conciliada com a campanha e que mesmo que não participe das inaugurações, o governador vai entregar tudo o que prometeu. No último mês de abril, o chefe do executivo em Goiás reuniu seus secretários e pediu agilidade e prazos nas obras. Na época, Marconi disse que a preocupação seria com a administração e que apenas depois as eleições seriam colocadas em pauta.

A entrega de obras sem finalização são uma das maiores críticas da oposição em relação ao tucano. As reformas do Centro de Excelência do Esporte e do Estádio Olímpico sempre estão em pauta durante as críticas dos oposicionistas e durante esse ano eleitoral não está sendo diferente. Apesar das críticas, o tucano traz nas obras uma importante ferramenta eleitoreira já que são benefícios visíveis aos olhos da população e que tratam de assuntos prioritários como saúde e mobilidade urbana.

Com boa parte da agenda de inaugurações em junho, Marconi consegue deixar vivo na memória do eleitor os benefícios que pode trazer à cidade.  Especula-se que o governador inaugure uma obra a cada dois dias nas últimas semanas do mês que vem. Mesmo afirmando que os projetos não são obras eleitoreiras e que apenas foram agilizadas para a melhor qualidade de vida da população, os tucanos sabem que uma obra com o porte do Hugo 2, por exemplo, poderá trazer benefícios em outubro.

Críticas

Inaugurações no limite permitido pela lei eleitoral são bastante usadas pelo chefe do executivo de Goiás. Em 2006, o Centro Cultural Oscar Niemeyer foi lançado no dia 29 de março, um dos últimos dias autorizados, sem ainda estar concluído. Além de terem obras em andamento, o Centro Cultural também passou e ainda passa por diversas adversidades como a má estrutura da biblioteca, que não pode ter livros por não aguentar o peso, e erros de engenharia que prejudicam o funcionamento completo do local.

No mesmo ano, 2006, foi inaugurado o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia, HUAPA. Um das maiores críticas em relação á obra foi a falta de equipamentos necessários para que o hospital pudesse atender os pacientes. Problemas na estrutura, como corredores pequenos para a passagem de macas, também foram duramente criticadas por oposicionistas, que acusaram Marconi de inaugurar apenas as paredes do hospital.

As mudanças no orçamento das obras são igualmente criticadas pelos opositores do governo Marconi. O Hugo 2 teve um aumento de gastos que chega a R$ 72,6 milhões, totalizando R$145 milhões gastos para sua construção. O autódromo também sofreu reajuste na conta que passou de R$ 27,3 milhões investidos para R$ 49,9 milhões. A entrega de obras pela metade e mudanças de orçamento pretendem ser um dos martelos que os adversários do governador vão ter durante a campanha eleitoral.

Fonte: Tribuna do Planalto