18 de maio de 2014

Nove anos depois: Cinema 3D e biblioteca do Centro Cultural Oscar Niemeyer devem ser inaugurados em outubro


Direção do CCON recebeu na última semana projeto finalizado das salas de filme e o espaço para leitura aguarda apenas retoques finais. Restaurante e salas culturais devem ser licitados nos próximos dois meses

Há três anos com programação fixa e servindo desde os últimos meses de destino de lazer e esporte variados ao goianiense, o Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON) deve fechar 2014 com toda sua idealização concluída. O que representa uma conquista –– política, à gestão tucana, idealizadora da iniciativa; e também à sociedade goiana, que contará com o espaço cultural completo. Embora tenha sido inaugurado em 2006, o CCON funcionou até 2007, quando recebeu 40 eventos culturais, entre os quais as mostras nacionais Darwin e Pablo Picasso. Passada a euforia desse um ano especial à cultura em Goiás, o espaço ficou interditado até 2010, pois a obra não havia sido concluída.

Desde 2010 têm ocorrido no local shows e eventos culturais diversos, como Café com Ideias e exposições artísticas, que somam 11 nestes quatro anos de reabertura. O local um dia tachado de “elefante branco” de Goiás deverá encerrar este ano com o esperado cinema 3D e a biblioteca cultural concluídos, além de ter instalados em suas dependências um restaurante e três salas comerciais com foco em cultura.

É de otimismo e expectativa de dever cumprido que o diretor do CCON, Nasr Chaul, trata sobre as esperadas inaugurações. Em entrevista ao Jornal Opção Online ele calculou que no máximo até outubro ou novembro a biblioteca estará pronta para receber leitores, dentre os quais crianças, pois o público infantil contará com um espaço próprio de leitura. O acervo deve reunir entre 25 mil a 30 mil livros sobre cultura. “Tivemos cinco anos de abandono, hoje somos uma referência. Este mês nossa agenda já está toda fechada”, enfatiza.

Notícia Relacionada: Ficou fechado por pura picuinha?

A expectativa inicial era de que essa inauguração ocorresse em março último, porém entraves burocráticos atrasaram os planos. Dentro dos próximos dois meses a Fundação de Apoio à Pesquisa da Universidade Federal de Goiás (Funape), contratada para realizar a concepção da biblioteca, o que inclui todo o acervo e levantamentos sobre o público-alvo, deve entregar a listagem de livros e demais dados.

“Tendo estas informações vou enviar para a Casa Civil para acertar os últimos detalhes. Penso que não vão ocorrer atrasos a partir disso porque o secretário [José Carlos Siqueira] tem ajudado bastante neste sentido”, afirma Nasr Chaul. A restauração da estrutura física para receber a biblioteca recebeu R$ 340 mil em 2013. “Se a burocracia deixar, no mais tardar em novembro teremos a biblioteca.”

Cinema cultural

Já as duas salas de cinema da rede Lumière –– vencedora da licitação ­­–– começam a ser montadas dentro de um mês, sendo que atraso foi causado por infiltrações já sanadas pela Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop). O projeto de como ficarão foram entregues a Nasr Chaul na última quarta-feira e a reportagem conseguiu as imagens em primeira mão com o próprio dono da rede Lumière, Gerson Santos, carioca que vive há 11 anos em Goiás. A previsão de inauguração é para agosto ou setembro, com uma grande mostra que reunirá aproximadamente 40 filmes da cena cult, que fogem do padrão comercial norte-americano. A lista está em processo de seleção.

Ao Jornal Opção Online, Gerson Santos explicou que a implantação das salas no CCON é complexa porque não se pode modificar a arquitetura original do espaço. O investimento nas duas salas, com 209 lugares cada, está previsto em R$ 2 milhões. “A parte interna será toda modificada para atender ao padrão Lumière”, informa.

Ele adiantou que está sendo estudada a possibilidade de mais quatro salas de cinema no local, a serem construídas no subsolo. Se o projeto for acatado pela direção do CCON, a previsão para conclusão das obras é de cerca de um ano. “Não podemos crescer para o externo, então o Nasr Chaul está vendo a possibilidade de usarmos o subsolo”. De acordo com Gerson, essas quatro salas seriam diferentes das duas que serão inauguradas em breve, com caráter mais alternativo. “Terão mais glamour, serão salas especiais, mais finas e com cadeiras mais confortáveis”, comenta.

As salas de cinema do CCON serão totalmente digitalizadas, ou seja, a transmissão das imagens não se dará por projetores de película. O projeto priorizou também a questão da acessibilidade e engloba a utilização de materiais contemporâneos.

Espaço gourmet do CCON

Dentro de 45 dias será aberta uma licitação para escolha do restaurante que se fixará no Centro Cultural Oscar Niemeyer, pois os dois processos anteriores não tiveram interessados. “Todos os grandes restaurantes foram para o Shopping Flamboyant”, brinca Nasr Chaul, informando que foi possível uma revisão de preço para baixo que chegou a R$ 11 mil, com nove meses de carência para a instalação completa do restaurante.

Como disse sem meias palavras o diretor Nasr Chaul, tomara que as expectativas se cumpram e que a frustração seja da burocracia, por não conseguir mais protelar a entrega completa de um espaço tão almejado para a cena cultural do Estado.

Fonte: Jornal Opção