8 de maio de 2014

Eleito governador Friboi cobrará divida da Friboi?


Os negócios da família, alguns envoltos em polêmica, já atormentam o pré-candidato a governador do PMDB; reportagem do jornal O Popular mostrou que a JBS Friboi é acusada de dever R$ 1,3 bilhão de impostos ao governo de Goiás; os adversários, incluídos peemedebistas da ala irista, usam a notícia como munição eleitoral e lançam perguntas para incomodar o empresário: Friboi quer ser governador para extinguir a dívida? Se chegar ao Palácio das Esmeraldas, vai ter pulso para cobrar os impostos devidos pela família?

Depois que Iris Rezende desistiu da candidatura, os aliados de Júnior Friboi imaginam um cenário de paz para o empresário. Seria o momento de dar mais um arranque na pré-campanha. Só que desde a desistência do cacique peemedebista, Friboi viu seu nome envolvido em crises que o atingem diretamente.

A maior delas veio estampada na capa do jornal O Popular. A empresa JBS Friboi, da qual ele era presidente e hoje é administrada pela sua família, está sendo acusada de dever R$ 1,3 bilhão de impostos ao governo de Goiás.

A Secretaria da Fazenda cobra a dívida. A suposta sonegação aconteceria nos trâmites de exportação da carne bovina ao exterior. Foram quase 50 autos de infração à JBS nos últimos nove anos. Júnior se defendeu em nota e negou irregularidades, mas os adversários e até mesmo os peemedebistas iristas usam a suposta sonegação como munição eleitoral.

A pergunta é simples e será martelada durante toda a a campanha eleitoral pelos adversários do empresário: se Friboi for eleito governador, ele vai ter a coragem de cobrar a dívida da JBS Friboi, decisão daria um prejuízo bilionários à própria família, controladora da empresa?

Os aliados de Iris fazem a pergunta constantemente nas redes sociais, muitos deles insuflados pela deputada federal Dona Iris. Friboi até tenta se descolar dos negócios da família, principalmente dos mais duvidosos, como a relação com o BNDES, mas é certo que a vida empresarial do candidato do PMDB será olhada com lupa na campanha.

Resistência

O palanque preferido da esposa de Iris é o Twitter. Esta semana ela já replicou uma matéria que mostra a impossibilidade de Iris ser candidato ao Senado na chapa de Friboi e ainda especula a criação de um PMDB dissidente que apoiaria Vanderlan Cardoso (PSB) ou Antônio Gomide (PT) para o governo.

Fonte: Goiás 274