20 de maio de 2014

Azul, autódromo de Goiânia será “entregue” inacabado em junho, com aumento de gastos de 82%


Obras da área como o parque multiuso, a pista do quilômetro de arrancada, a pista de motocross e o kartódromo serão entregues apenas mais tarde.

A exemplo do que ocorreu em março de 2006 com o Centro Cultural Oscar Niemeyer, a reforma do Autódromo Internacional de Goiânia terá uma nova inauguração com as obras em andamento e longe de serem concluídas. Se o Centro Cultural até hoje não foi concluído (biblioteca e cinemas, por exemplo, nunca funcionaram), o autódromo, sem manutenção adequada desde o primeiro mandato do governador Marconi Perillo (há 13 anos, por exemplo, não tem uma prova de Stock Car), será reaberto dia 1º de junho sem que as obras da reforma iniciada em 2013 estejam concluídas.

Faltando 11 dias para a 4ª etapa da Stock Car, que marcará a reinauguração do local que agora tem sua entrada pintada em azul, faltam a conclusão dos boxes e de parte do estacionamento, obras que devem ser concluídas nos próximos dias. Mas devem ficar para o decorrer do ano a inauguração do parque multiuso, o término da pista do quilômetro de arrancada e da pista de motocross. A reforma do kartódromo, anexo ao Autódromo, ainda nem foi iniciada (segundo o governo, terá início em setembro).

A reforma do autódromo, iniciada em outubro de 2013, teve seu valor alterado em 82%. O valor total anterior, de R$ 27,3 milhões, para finalizar a obra, subiu há um mês para 49,9 milhões. Ou seja, um valor de R$ 22,58 milhões foi acrescentado, o que representa um aumento nos gastos de 82%, conforme revelou o blog da jornalista Fabiana Pulcineli em "O Popular". O prazo também mudou. Antes era março, mudou para 1º de junho e agora a conclusão total das obras ocorrerá apenas no segundo semestre.

O caso é similiar ao do Hospital de Urgências de Goiânia 2 (chamado de Hugo 2), que ficará na Região Noroeste de Goiânia. O custo do Hugo 2 aumentou em R$ 72,6 milhões. O valor total previsto era de R$ 57,3 milhões, mas com os aditivos o valor final será de R$ 145 milhões.

Antes de resolver reformar o autódromo, Marconi tentou demoli-lo, para vender a área e criar um novo circuito, em Senador Canedo. Como a ideia não prosperou, o governador preferiu reformar o atual autódromo, que fica em área nobre da capital.

Fonte: Conexao Go