15 de abril de 2014

Mortes no trânsito aumentam 35%


BR-153 figura no topo da lista de ocorrências, seguida da Perimetral Norte. Brigas também na estatística da Dict

O trânsito nas ruas de Goiânia está cada dia mais violento. Segundo dados da Delegacia Especializada em Investigações de Crimes de Trânsito (Dict), apenas este ano já foram 71 mortes decorrentes de acidentes automobilísticos. O número já é 35% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Segundo a delegada da Dict Nilda Andrade, apenas neste último final de semana foram oito mortes.

A delegada aponta o excesso de velocidade, ingestão de bebida alcoólica e descumprimento da sinalização, ou seja, a imprudência, como a principal causa das mortes. Boa parte dos acidentes com mortes, segundo levantamento da Dict, acontece no período noturno, entre as 20 horas e 5 horas. “Com prevalência das vítimas do sexo masculino, com idade entre 19 e 35 anos”, argumenta.

O trecho da BR-153 que corta a capital do Estado figura no topo da lista dos acidentes com mortes, seguida ainda da Avenida Perimetral. “Acredito que faltam políticas públicas efetivas no sentindo de aumentar a educação no trânsito.” Além disso, ela destaca a necessidade de investimentos na engenharia do tráfego, melhorias no transporte público e reforço na fiscalização eletrônica, como garantias de um trânsito mais seguro.

GO-070

Ontem, uma mulher de 60 anos foi uma das vítimas mortas do trânsito da cidade. Ana Caetano de Bessa morreu atropelada, logo pela manhã, quando tentava atravessar a GO-070, no sentido Goianira-Goiânia. Segundo informações repassadas pela Polícia Rodoviária Estadual (PRE), no momento da passagem ela foi atropelada por um ônibus da Rede Metropolitana de Transportes Coletivo de Goiânia (RMTC).

Uma briga de trânsito resultou na morte de mais uma pessoa em Goiânia no domingo (13). De acordo com a Polícia Militar, as vítimas estavam em um carro que foi fechado por outro na Avenida Perimetral Norte. Após isso, os dois motoristas começaram uma briga. Um dos condutores sacou uma arma e atirou várias vezes contra o outro veículo.

Leonardo Cândido Martins, 39 anos, foi alvejado no braço e no peito. A mulher do motorista, Cristina de Carvalho, 41 anos, foi baleada na cabeça, e morreu antes de receber o socorro. No carro ainda estava a filha do casal, uma criança de apenas 2 anos que felizmente não sofreu nenhum tipo de ferimento. Mesmo baleado, o motorista conseguiu dirigir em busca de socorro até o Cais Cândida de Morais.

Fonte: Jornal O Hoje