18 de abril de 2014

Marconi propõe parceria a Paulo



O governo do Estado e a Prefeitura de Goiânia deverão trabalhar juntos nos próximos meses em ações de prevenção e enfrentamento à criminalidade nos bairros da cidade. A proposta é do governador Marconi Perillo (PSDB) e prevê a discussão de estratégias por parte das duas instâncias administrativas para aplicação de novas medidas de segurança nas áreas de maior índice de violência da capital.

A iniciativa foi motivada pelo baixo desempenho da Segurança Pública no primeiro trimestre deste ano, quando 40% das regionais goianas não atingiram a meta estipulada para a redução dos índices de homicídios. Goiânia e Rio Verde se destacaram negativamente neste processo e tiveram uma atenção especial do Estado na elaboração de um novo plano de ação.

As duas cidades já fazem parte da Região Integrada da Segurança Pública (Risp), que conta com a interação entre os policiais militares e civis. Segundo o governador, o comando do Risp possui uma tecnologia avançada para a identificação das manchas criminais e definição das estratégias para a redução da criminalidade. Com os últimos resultados, Marconi Perillo decidiu passar de 16 para 18 o número dessas regiões no Estado, além do objetivo de equiparar as duas estruturas da polícia.

Um dos principais problemas apontados pelo Risp é a grande quantidade de moradores de rua, principalmente na capital, que registra 110 cidadãos nessas condições. Segundo o governador, o intuito é combater a permanência desses indivíduos nas ruas da cidade, proporcionando abrigo e condições de integração social. Para tais objetivos, Marconi Perillo promoverá uma audiência com o prefeito Paulo Garcia (PT) visando a divisão da responsabilidade entre as partes.

A decisão do governador, assim como o balanço trimestral, foi feito na manhã de ontem, durante uma reunião no Palácio Pedro Ludovico Teixeira. Participaram do encontro o secretário de Segurança Pública, Joaquim Mesquita, os comandantes do Risp, o delegado-geral da Polícia Civil, João Carlos Gorski, e o comandante-geral da Polícia Militar, Sílvio Benedito.
Drogas

Outro agravante no índice de violência no Estado, ressaltado pelo governador, é o tráfico de drogas. Para a solução deste problema, o tucano destacou a necessidade de parceria com o governo federal e sugeriu a criação de um fundo com vinculação de receita dos Estados, municípios e União para o combate ao tráfico, assim como ocorre na Educação e na Saúde.

Fonte: Jornal O Hoje (Lênia Soares e Charles Daniel)