28 de abril de 2014

Lula diz em entrevista que presos pelo mensalão não são de sua confiança; veja


Em uma das poucas manifestações sobre o esquema, o ex-presidente comentou que julgamento teve maior decisão política do que jurídica. Conversa foi gravada na sexta-feira (25)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que os petistas presos por envolvimento na Ação Penal 470, o mensalão, “não são da sua confiança”, em uma entrevista exibida neste domingo (27/4) no canal de televisão português RTP. No vídeo gravado na última sexta-feira (25), o petista disse também que o julgamento do processo do mensalão teve viés político.

Há cinco meses, o Supremo Tribunal Federal (STF) decretou a prisão de três integrantes da cúpula do partido por envolvimento em esquema de compra e apoio no Congresso Nacional no início de seu primeiro mandato. “O mensalão teve praticamente 80% de decisão política e 20% de decisão jurídica. O que eu acho é que não houve mensalão”, avaliou Lula, em uma de suas poucas manifestações sobre o caso.

Ao perguntar sobre o fato de pessoas da confiança do ex-presidente terem sido presas –– como o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu; o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares; e o ex-presidente nacional do partido, José Genoino ––, a jornalista foi interrompida por ele. “Não se trata de gente da minha confiança”, interferiu. Na sequência, Lula remendou que tem “companheiro do PT preso”. “E eu também não vou ficar discutindo a decisão da Suprema Corte. O que eu acho é que essa história vai ser recontada”, complementou.

Lula comentou sobre o mensalão quando indagado sobre o impacto que o escândalo poderia causar na campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). O ex-presidente também negou a existência do esquema, na entrevista que durou 40 minutos.

O petista viajou a Portugal para participar da comemoração dos 40 anos da Revolução dos Cravos. Na noite do último sábado (27), ele sentiu tontura e passou mal, sendo internado no hospital Sírio Libanês. Lula teve uma crise de labirintite e a causa teria sido o cansaço após uma longa viagem de volta ao Brasil, conforme informou o site do instituto que leva o seu nome.

Fonte: Jornal Opção