11 de abril de 2014

Governo de Goiás assume 50% das gratuidades, mas passagem de ônibus ainda pode subir


Outra metade será dividida proporcionalmente entre as prefeituras da Região Metropolitana de Goiânia a partir de 2015. Até lá, CDTC deve procurar outra alternativa para que não seja necessário reajuste.

O governador Marconi Perillo (PSDB) anunciou na tarde desta quinta-feira (10/4) que a gestão estadual custeará 50% das gratuidades no transporte coletivo da Grande Goiânia. A outra metade será dividida entre as prefeituras que compõem a região metropolitana, mas apenas a partir do próximo ano. Até lá, caso a Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC) não encontre uma solução, é provável que a tarifa de ônibus aumente.

O anúncio do tucano ocorreu no 10º andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira logo após uma reunião com o Fórum Empresarial e representantes dos 20 municípios da Grande Goiânia. Em números absolutos, o Estado de Goiás irá arcar com R$ 4,4 milhões mensais a partir do mês de maio.

Com o custeio parcial das gratuidades por parte do Estado, a Companhia Metropolitana do Transporte Coletivo (CMTC) irá refazer os cálculos do que é estabelecido nos contratos de concessão para averiguar a possibilidade de aumento da tarifa. Ao Jornal Opção Online, o vice-presidente da Setransp, Décio Caetano, afirmou que ainda são grandes as chances de reajuste. “50% do problema está resolvido, mas tem outros 50% que não está”, frisou.

Durante o encontro desta quinta-feira também foi firmado um acordo em que o Setransp assegura investimentos diretos para o setor. Segundo Marconi, será enviada ao sindicato uma carta de intenções com compromissos objetivos em relação ao que será feito pelas empresas para melhorar o serviço oferecido à população.

Na ocasião, o governador relembrou os benefícios concedidos pela gestão estadual ao transporte coletivo, com destaque ao custeio integral do programa Passe Livre Estudantil, aprovado em segunda votação na última quarta-feira (9/4) na Assembleia Legislativa de Goiás. “E também estou cumprindo a parte do governo do Estado em não deixar que haja aumento de tarifa”, acrescentou o tucano.

A outra metade

Será firmado um convênio entre o governo estadual e as prefeituras da região metropolitana da capital assegurando o custeio das gratuidades por parte dos municípios a partir de 1º de janeiro de 2015. Cada cidade irá arcar com uma quantia proporcional ao número de usuários. Segundo Décio Caetano, todos os 20 prefeitos concordaram com o pacto firmado, inclusive o do município de Senador Canedo. Misael Oliveira (PDT) não compareceu à reunião, mas foi representado. Ele, por diversas vezes, afirmou que sua gestão não concederia um centavo que fosse ao transporte coletivo.

Fonte: Jornal Opção