25 de abril de 2014

Banco deve investir R$ 13,5 bi em Goiás


Recursos serão investidos em ações prioritárias do Estado em áreas como a econômica, social e de infraestrutura

Viabilizar recursos através de linhas de crédito para alavancar programas e o desenvolvimento goiano. Esse é o principal objetivo do convênio assinado ontem, entre o governador Marconi Perillo e o superintendente estadual do Banco do Brasil Edson Bündchen, que deu origem ao Projeto Mobiliza Goiás. A meta é investir, além dos R$ 12 bilhões já aplicados anualmente no Estado pelo banco, mais R$ 1,5 bilhão em ações integradas e prioritárias do governo do Estado nas áreas social, econômica, ambiental e de infraestrutura. E assim acelerar o desenvolvimento estadual em diversas áreas.

Para o superintendente Estadual do Banco do Brasil, Edson Bündchen este era o momento de fazer uma articulação inteligente entre a instituição financeira e o governo do Estado. Ele explicou que através dessa parceria e da aproximação com as secretarias de Gestão e Planejamento (Segplan), e Indústria e Comércio (SIC) , é possível articular as potencialidades locais e regionais, e fazer ainda mais por Goiás. “Acredito ser possível aplicar 10% a mais do valor (R$ 12 bilhões) através desse acerto inteligente”, ressaltou. O Banco do Brasil hoje é líder em vários segmentos, como pessoa jurídica e comércio exterior, no caso do Agronegócio a instituição é responde por 88% do mercado.

Funcionamento

O projeto Mobiliza Goiás funcionará da seguinte forma, o Banco do Brasil ofertará linhas de financiamento nos diversos programas operados pela própria instituição que tenham consonância de propósitos com os projetos do Programa de Ações Integradas de Desenvolvimento (PAI). “Com o suporte do BB será possível apoiar a agricultura familiar, o crescimento do agronegócio goiano, a prática do agronegócio sustentável, o desenvolvimento da piscicultura, a redução do déficit habitacional urbano e rural, além de colaborar para a melhoria da qualidade de vida de pessoas com deficiência e com o fortalecimento do segmento de micro e pequenas empresas”, destaca o secretário Leonardo Vilela.

Entre as soluções propostas pelo Banco do Brasil para atender aos projetos do PAI no setor da agricultura estão linhas de financiamento no Pronaf, projeta aplicar aproximadamente R$ 400 milhões na agricultura familiar no Estado, cadeia de armazenagem com previsão de R$ 300 milhões em investimentos, projetos de agricultura de baixo carbono programa ABC que tem a previsão de R$ 200 milhões em contratos.

Para o Programa Nacional de Habitação Rural e Urbana em Goiás, a proposta é construir três mil unidades, e o Crédito de Acessibilidade prevê contratar até R$ 5 milhões para financiamento a bens e serviços de tecnologia assistida em três anos.

As empresas goianas de diversos portes também poderão ser contempladas com linhas exclusivas para capital de giro com previsão de R$ 300 milhões e para o investimento previsão de R$ 300 milhões.

Beneficiados

Segundo Vilela a população de forma geral, os produtores rurais, os industriais, empresários, portadores de necessidades especiais serão beneficiados através das linhas de crédito do Banco do Brasil. O governado Marconi Perillo disse que até o final deste ano vai trabalhar com afinco para tudo possa sair da melhor maneira possível e que o convênio tenha bons resultados.

Fonte: Jornal O Hoje