21 de abril de 2014

As metrópoles brasileiras que proporcionam mais bem-estar


Campinas teve a melhor avaliação em índice que mede a qualidade de vida nas 15 principais regiões metropolitanas do país. Belém e as cidades ao redor ficaram em último lugar.

 Estudo divulgado nesta quarta-feira pelo Observatório das Metrópoles do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia analisa as 15 principais regiões metropolitanas brasileiras e revela quais oferecem mais -e menos - bem-estar para a população.

Os municípios da região de Campinas, no interior de São Paulo, atingiram a melhor colocação no Índice de Bem-estar Urbano.

Confira a Lista Completa: 

1º) Campinas (SP) - 0,873
Mobilidade urbana: 0,932
Condições ambientais: 0,906
Condições habitacionais: 0,791
Atendimento de serviços coletivos: 0,959
Infraestrutura urbana: 0,775

Índice de Bem-estar Urbano: 0,873

2º) Florianópolis (SC) - 0,754
Mobilidade urbana: 0,962
Condições ambientais urbanas: 0,663
Condições habitacionais: 0,906
Atendimento de serviços coletivos: 0,625
Infraestrutura urbana: 0,615

Índice de Bem-estar Urbano: 0,754

3º) Curitiba (PR) - 0,721
Mobilidade urbana: 0,634
Condições ambientais urbanas: 0,649
Condições habitacionais: 0,860
Atendimento de serviços coletivos: 0,865
Infraestrutura urbana: 0,599

Índice de Bem-estar Urbano: 0,721

4º) Goiânia (GO) - 0,720
Mobilidade urbana: 0,696
Condições ambientais urbanas: 0,900
Condições habitacionais: 0,705
Atendimento de serviços coletivos: 0,602
Infraestrutura urbana: 0,697

Índice de Bem-estar Urbano: 0,720

5º) Porto Alegre (RS) - 0,719
Mobilidade urbana: 0,789
Condições ambientais urbanas: 0,734
Condições habitacionais: 0,779
Atendimento de serviços coletivos: 0,734
Infraestrutura urbana: 0,559

Índice de Bem-estar Urbano: 0,719

6º) Vitória (ES) - 0,699
Mobilidade urbana: 0,633
Condições ambientais urbanas: 0,710
Condições habitacionais: 0,724
Atendimento de serviços coletivos urbanos: 0,832
Infraestrutura urbana: 0,596

Índice de Bem-estar Urbano: 0,699

7º) Belo Horizonte (MG) - 0,658
Mobilidade urbana: 0,365
Condições ambientais urbanas: 0,737
Condições habitacionais: 0,648
Atendimento de serviços coletivos urbanos: 0,869
Infraestrutura urbana: 0,673

Índice de Bem-estar Urbano: 0,658

8º ) São Paulo (SP) - 0,615
Mobilidade urbana: 0,032
Condições ambientais urbanas: 0,743
Condições habitacionais: 0,599
Atendimento de serviços coletivos urbanos: 0,921
Infraestrutura urbana: 0,782

Índice de Bem-estar Urbano: 0,615

9º) Distrito Federal (RIDE-DF*) - 0,610
Mobilidade urbana: 0,374
Condições ambientais urbanas: 0,617
Condições habitacionais: 0,698
Atendimento de serviços coletivos: 0,640
Infraestrutura urbana: 0,721

Índice de Bem-estar Urbano: 0,610

10º) Salvador (BA) - 0,573
Mobilidade urbana: 0,503
Condições ambientais urbanas: 0,564
Condições habitacionais: 0,590
Atendimento de serviços coletivos urbanos: 0,729
Infraestrutura urbana: 0,478

Índice de Bem-estar Urbano: 0,573

11º) Fortaleza (CE) - 0,564
Mobilidade urbana: 0,790
Condições ambientais urbanas: 0,498
Condições habitacionais: 0,613
Atendimento de serviços coletivos urbanos: 0,479
Infraestrutura urbana: 0,438

Índice de Bem-estar Urbano: 0,564 

12º) Rio de Janeiro (RJ) - 0,507
Mobilidade urbana: 0,015
Condições ambientais urbanas: 0,585
Condições habitacionais: 0,629
Atendimento de serviços coletivos urbanos: 0,710
Infraestrutura urbana: 0,595

Índice de Bem-estar Urbano: 0,507

13º) Recife (PE) - 0,443
Mobilidade urbana: 0,511
Condições ambientais urbanas: 0,432
Condições habitacionais: 0,636
Atendimento de serviços coletivos urbanos: 0,363
Infraestrutura urbana: 0,274

Índice de Bem-estar Urbano: 0,443

14º) Manaus (AM) - 0,395
Mobilidade urbana: 0,613
Condições ambientais urbanas: 0,366
Condições habitacionais: 0,322
Atendimento de serviços coletivos urbanos: 0,279
Infraestrutura urbana: 0,394

Índice de Bem-estar Urbano: 0,395 

15º) Belém (PA) - 0,251
Mobilidade urbana: 0,718
Condições ambientais urbanas: 0,034
Condições habitacionais: 0,256
Atendimento de serviços coletivos: 0,152
Infraestrutura urbana: 0,094

Índice de Bem-estar Urbano: 0,251 

Fonte: Exame Abril