20 de março de 2014

Presidente da Metrobus afirma que Prefeitura de Goiânia não possui condições de reassumir Eixo Anhanguera


O imbróglio criado pelo projeto de lei que prevê a transferência da presidência da Câmara Deliberativa de Transporte Coletivo (CDTC) para as mãos da Prefeitura de Goiânia ganha um novo capítulo. Em nota, o presidente da Metrobus, Marco Antônio Ferreira, afirmou que a administração municipal não possui condições de reassumir a concessão do Eixo Anhanguera, “já que não consegue nem retirar o lixo da cidade”.

As críticas se dão após declarações por parte de membros da gestão municipal, contrários à alteração, requisitando também o controle do Eixo Anhanguera. Em reunião com o prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), na última segunda-feira (18/3), o peemedebista Bruno Peixoto afirmou que a gestão estaria disposta a reassumir a concessão.

Em sessão da Câmara de Goiânia nesta terça-feira (18/3), a líder do prefeito na Casa, vereadora Célia Valadão (PMDB), afirmou que a concessão do Eixo Anhanguera também deveria ser repassada à gestão petista. A declaração foi recebida por uma série de manifestações em desacordo, sendo que o vereador Geovani Antônio (PSDB) mais tarde subiu na tribuna e disse: “Se o prefeito assumir esse eixo, aí é o caos, porque ele já mostrou sua incapacidade de gestão.”

Confira na íntegra a nota disponibilizada pela assessoria de comunicação da Metrobus:

Sobre a ameaça da Prefeitura de reassumir a concessão do Eixo Anhanguera, o presidente da Metrobus, Marco Antônio Ferreira, acredita que o Paço não tem condições de assumir o transporte de 240 mil pessoas por dia, já que não consegue nem retirar o lixo da cidade. Hoje o governo do Estado subsidia a tarifa do Eixo Anhanguera em 4 milhões de reais por mês. Enquanto isso, o recapeamento da pista do corredor exclusivo - que é de responsabilidade da Prefeitura - nunca foi feito por ela. A Metrobus, por outro lado, frequentemente realiza operações tapa buracos no Eixo Anhanguera na tentativa de minimizar o problema.

Para o presidente da Metrobus o que a Prefeitura precisa fazer é colocar dinheiro no transporte coletivo assim como o Governo do Estado faz: subsidia o Eixo, o passe livre, o semiurbano e agora trabalha a extensão dos serviços da Metrobus até as cidades de Goianira, Trindade e Senador Canedo.

Fonte: Jornal Opção (Marcelo Gouveia)