6 de março de 2014

Marconi X Paulo Garcia: Governador alfineta crise na prefeitura em discurso e Paulo Garcia: "Crime tomou conta de Goiás"


Durante entrega de veículos para escolas, Marconi também criticou “pirotecnia” em governos

“Governar não é pra qualquer um, não é para quem apenas quer governar. Tem que ter muita sabedoria e tomar decisões duras”, afirmou Marconi - Crédito: Wesley Costa

Durante a entrega de ônibus escolares e notebooks a gestores da rede estadual de ensino, hoje (6) pela manhã, na sede do governo, o governador Marconi Perillo (PSDB) criticou a situação financeira enfrentada pela prefeitura de Goiânia. Na ocasião, Marconi relatou que “muitos dos que criticavam” o governo no passado, estão enfrentando sérios problemas financeiros, chegando a cortar benefícios dos servidores. Segundo o governador, a equação financeira dos governos e prefeituras não é algo simples. “Governar não é pra qualquer um, não é para quem apenas quer governar. Tem que ter muita sabedoria e tomar decisões duras”, soltou.

De acordo com o tucano, o gestor que não age com firmeza acaba inviabilizando a administração. “Já tivemos governos que não pagavam o décimo terceiro no exercício fiscal vigente, governo que atrasou cinco ou seis salários”, pontuou, defendendo que as conquistas sejam estabelecidas gradualmente. “Não adiante fazer pirotecnia com o governo agora e lá na frente colocar tudo a perder, como já aconteceu em Goiás. Chega um ponto em que o outro governo assume e bota tudo a perder”, emendou.

Paulo Garcia: "Crime tomou conta de Goiás"

o prefeito Paulo Garcia (PT) rebate críticas feitas hoje de manhã pelo governador Marconi Perillo (PSDB) sobre as dificuldades financeiras do Paço. "Quem afirmou que o governo de Goiás vai estar endividado nos próximos quatro anos foi o próprio secretário da Fazenda. Os policiais civis ficaram quase 90 dias de greve porque o governo não atendeu às suas reivindicações. Agora, ameaçam retornar porque o governo não cumpre o acordado com a categoria. Qualquer um que passar pela Praça Cívica pode registrar em foto uma das cenas mais tristes e lamentáveis deste governo: policiais concursados aguardam para serem chamados, enquanto Goiânia entra para o ranking das capitais mais violentas do País. O crime tomou conta do Estado", responde o petista.

Na entrega de ônibus escolares e notebooks para escolas da rede estadual, o governador Marconi criticou cortes nos benefícios de servidores. Como publicado pelo POPULAR, a Secretaria de Finanças de Goiânia defende os cortes para promover enxugamento da folha municipal. O prefeito Paulo Garcia (PT) descartou tomar esta medida, mas seu auxiliar insiste na necessidade de reduzir os gastos com salários dos servidores. "Muitos que nos criticaram (na questão salarial dos professores) penam agora. Estão tendo até de cortar benefícios de servidores. Quiseram fazer tudo e agora estão penando", disse o governador. "Nós vamos pagar o piso salarial para todos os professores. Mas precisávamos fazer isso com responsabilidade, com planejamento. Isso que está acontecendo com outros por aí é a prova de que estávamos certos. Disseram que estava tudo em ordem e não está", afirmou o tucano.

"Nós também enfrentamos situações (dificuldades financeiras) neste mandato. Assumimos com folhas em atraso, muitos problemas. Não foi fácil, mas conseguimos contornar. Eu me lembro também do Iris (Rezende), que teve de congelar salários no segundo governo porque não dava mais conta de pagar em função da altíssima inflação", disse Marconi. O prefeito Paulo Garcia afirma que não faz propaganda antes da ação, numa clara referência ao governo estadual. "Estamos enfrentando as dificuldades com transparência. Já otimizamos muitos nossos recursos e vamos avançar muito mais na linha da austeridade na gestão pública. Mas sempre valorizando os servidores públicos, seus direitos adquiridos, como elo fundamental no bom atendimento à população", diz o petista.

Fonte: Jornal O Hoje e Jornal O Popular