21 de março de 2014

Indústrias de mineração investirão R$ 8 bilhões em Goiás


As indústrias de mineração investirão oito bilhões de reais em Goiás. Este é o valor a ser anunciado pela nova diretoria do Sindicato das Indústrias Extrativas do Estado de Goiás-DF (Sieeg) para os próximos três anos. A entidade, que reúne os maiores mineradores com atuação em Goiás, será comandado por Domingos Sávio, que toma posse na próxima terça-feira, às 20:30 horas, na sede da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Avenida Araguaia, 1544, Vila Nova.

De acordo com Domingos, cerca de cinco bilhões de reais estão em andamento, com destaque para extração de fosfato em Catalão e Ouvidor, um projeto de quase 3 bilhões. Além do que está em andamento, grandes grupos já demonstraram interesse em vir para o Estado, como na extração de cimento em Formosa. Um outro projeto, com Relatório Final de Pesquisa já apresentado ao Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), tem reserva de 850 milhões de toneladas de minérios na região de Mata Azul, em Minaçu. Em fase de definição de rota tecnológica, só este negócio trará investimentos de mais de 2 bilhões de reais.

Apenas de Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais, do governo federal, a mineração goiana paga em média 70 milhões de impostos ano e para cada emprego direto gerado no setor, outros 12 indiretos são criados. O Sieeg congrega as principais indústrias da mineração de Goiás desde 1995.

Investimentos em andamento

Nióbio: 575 milhões de reais - Catalão

Fosfato: 2 bilhões e 800 milhões de reais - Catalão e Ouvidor

Calcário para cimento: 500 milhões - Edealina

Ouro: 600 milhões - Pilar, Guarinos e Crixás

Água termal: 150 milhões - Rio Quente

Bauxita: 40 milhões - Barro Alto e Santa Rita do Novo Destino

Fonte: Portal 730