9 de março de 2014

Estádio Serra Dourada comemora 39 anos


Hoje, 9 de março, o Estádio Serra Dourada comemora 39 anos da sua inauguração, ocorrida no dia 9 de março de 1975. Abaixo você lerá um relato completo escrito pelo engenheiro Lamartine Reginaldo da Silva Júnior, que foi o Coordenador Geral da Construção do Estádio Serra Dourada.

No estádio realizam-se as partidas dos principais times de futebol da cidade, Atlético Clube Goianiense, Goiás Esporte Clube e Vila Nova Futebol Clube, além de outros eventos em geral, tais como shows musicais e partidas beneficentes para arrecadação de alimentos e outros.

Foi projetado por Paulo Mendes da Rocha, arquiteto vencedor do Prêmio Pritzker de 2006. Até o ano de 2013, era o sétimo maior e o sétimo melhor estádio do país. Possui um amplo estacionamento para carros, com uma capacidade estimada de 10 mil vagas. A área do estádio é cercada por importantes vias de trânsito, como a rodovia BR-153, Avenida Fued José Sebba.

Leia o histórico da construção do Estádio Serra Dourada feito por Lamartine:

Compromisso do candidato

Em1970, aeuforia tomou conta dos desportistas brasileiros após a conquista do Tri-Campeonato mundial de futebol pela nossa seleção, realizado no México. O futebol goiano atingia um nível técnico de bom padrão e buscava o seu prestígio a nível nacional, esbarrando, entretanto nas modestas instalações do Estádio Olímpico Pedro Ludovico Teixeira. À época, o então candidato a Governador de Goiás Engenheiro Leonino Di Ramos Caiado, em uma reunião com a imprensa esportiva goiana, assumia o compromisso de, se eleito, construir um estádio à altura do futebol goiano e ainda um autódromo a nível internacional.

Eleição e Posse de Leonino Caiado

Eleito governador de Goiás, Leonino Caiado toma posse em 15 de março de 1971 e compõe a sua equipe de auxiliares nos diversos órgãos governamentais.

Atenção especial a Fundação Estadual de Esportes

Preocupado em resgatar o compromisso assumido com o povo goiano através da imprensa esportiva, construindo um estádio e um autódromo a níveis internacionais, Leonino Caiado nomeia, em 1º de abril de 1971, para Diretor Geral da Fundação Estadual de Esportes o desportista e engenheiro civil Lamartine Reginaldo da Silva Júnior.

Coordenação do empreendimento Estádio

O Governador Leonino Caiado determina ao Diretor Geral da Fundação Estadual de Esportes, o engenheiro Lamartine Reginaldo da Silva Júnior para que, sem prejuízo às atribuições do Órgão que dirige (voltadas prioritàriamente aos esportes amadores), assuma a Coordenação Geral do empreendimento Estádio, compreendendo desde as pesquisas iniciais, localização, capacidade, projetos, construção e sua operacionalização.

Equipe Técnica inicial

O Coordenador Geral das obras do Estádio, engenheiro Lamartine Reginaldo solicita ao Governador Leonino Caiado a indicação dos arquitetos, pertencentes aos quadros do governo, Armando Antunes Scartezini, Silas Rodrigues Varizo e Ariel Veiga Costa Campos, para comporem a equipe técnica de construção do Estádio. O Governador designa a equipe e os trabalhos são efetivamente iniciados.

Visitas aos Estádios brasileiros

A Equipe Técnica visita os maiores Estádios do Brasil: Maracanã, Mineirão, Beira Rio, Morumbi, Castelão (à época em construção) e outros. Era necessária a coleta de subsídios que nos indicasse os pontos positivos e os negativos, coletados na própria administração daqueles Estádios, e evitássemos, na condução dos nossos projetos, a repetição de eventuais falhas encontradas.

Pré-dimensionamento da Área desejável

A Equipe Técnica do Estádio observou, dentre outros detalhes, que a área de estacionamento dos Estádios visitados, a exceção do Mineirão, mostravam-se acanhadas provocando um grande tumulto no trânsito daquelas cidades por ocasião de jogos de grandes públicos. Somados a este fato havia que se pensar também em espaços externos ao Estádio que possibilitasse no futuro a construção de unidades esportivas anexas. Concluiu-se que a área ideal deveria possuir em torno de500.000 m².

Escolha da localização do Estádio

O Governador Leonino Caiado determinou a Equipe Técnica que efetuasse pesquisa nas diversas regiões de Goiânia para se encontrar uma área com o perfil desejado e que estivesse estrategicamente localizada em relação ao sistema viário da cidade. Após exaustivas buscas, incluindo vários sobrevoos sobre Goiânia em pequenas aeronaves do Governo, a área localizada no Setor Jardim Goiás apresentava-se com todas as características desejáveis ao empreendimento.

Desapropriação e aquisição da área pelo Governo

O Governador Leonino Caiado, convicto de que a área atendia os pré-requisitos desejáveis, adotou os procedimentos legais, desapropriando-a e fazendo todos os ajustes com os proprietários do terreno. À época o sr. Lourival Louza, proprietário do loteamento e ainda detentor dos títulos e posse da quase totalidade da área , em louvável atitude de desprendimento e espírito público, não ofereceu qualquer obstáculo às pretensões do Governo, e as negociações transcorreram no mais perfeito acordo entre as partes.

Termo de Referência para Elaboração dos Projetos

A Equipe Técnica coordenada pelo engenheiro Lamartine Reginaldo e ainda os arquitetos Armando Scartezini, Silas Varizo e Ariel Veiga Costa Campos, elaboraram o Termo de Referência que definiram os parâmetros de capacidade de público – 75.000 pessoas -, área de estacionamento e outras características que permitiriam aos interessados formular propostas para elaboração dos Projetos de arquitetura, paisagismo, de engenharia – estrutural, elétrico, hidrossanitário e afins.

Licitação e Contratação dos Projetos

O Procedimento licitatório para contratação dos Projetos Executivos, em obediência ao Termo de Referencia foi elaborado pela Equipe Técnica. Venceu a Licitação a empresa paulista Serete S/A. Assinado o contrato e emitida a Ordem de Serviço pela Fundação Estadual de Esportes a empresa iniciou imediatamente a elaboração dos Projetos. Os Projetos foram desenvolvidos em 1972 e exigiu o acompanhamento de nossa equipe técnica para que fossem observados os parâmetros definidos pelo Termo de Referencia. A equipe técnica da Serete S/A era composta de arquitetos e engenheiros que desenvolveram e detalharam todos os projetos executivos de Arquitetura e Engenharia. No contrato firmado entre a Fundação Estadual de Esportes e a Serete S/A, registrado no Tribunal de Contas do Estado de Goiás através da Resolução nº  3.751 de 20 de Julho de  1972,  ficou estabelecido que os arquitetos Armando Antunes Scartezini, Silas Rodrigues Varizo e Ariel Veiga Costa Campos, da Fundação Estadual de Esportes,  atuariam juntamente com o arquiteto designado pela Serete S/A como coautores do projeto de Arquitetura. A Serete S/A designou o arquiteto Paulo Mendes da Rocha como seu responsável técnico pelo desenvolvimento do Projeto de Arquitetura.

Sondagem de Reconhecimento do Solo

Empresa especializada foi contratada para elaborar os Serviços de Reconhecimento do Solo que definiria a sua natureza e subsidiaria os cálculos estruturais, terraplenagem e outros trabalhos técnicos.

Serviços de Terraplenagem

Empresa especializada foi contratada para a realização dos serviços de terraplenagem que definiriam os patamares principais dos níveis do Estádio.

Pré-Qualificação de Empresas

Foi realizada, com divulgação nacional, pré-qualificação das empresas que atenderiam requisitos de ordem técnica e financeira exigidos a uma obra do porte do Estádio. A participação de empresas de vários Estados do Brasil garantiu o êxito do trabalho e ofereceu um amplo leque na disputa pela execução da obra do Estádio.

Licitação às Empresas Pré-qualificadas

Realizado o procedimento licitatório, a vencedora foi a empresa paulista Construtora Guarantã S/A .O contrato entre a Fundação Estadual de Esportes e a Construtora Guarantã S/A foi assinado em sessão solene no Palácio das Esmeraldas  presidida pelo Governador Leonino Caiado em 31 de março de1973. AOrdem de Serviço foi expedida na mesma solenidade pelo Diretor Geral da Fundação Estadual de Esportes engº Lamartine Reginaldo da Silva Júnior.

L.A. Falcão Bauer Gerencia a Obra

Considerando o porte e a complexidade da obra, a Fundação Estadual de Esportes contrata a empresa paulista L.A. Falcão Bauer, empresa de notoriedade internacional, para proceder o Gerenciamento da obra e o controle tecnológico do concreto e aço.

Gramado e Drenagem

Este item mereceu um cuidado especial, pois representava o “palco” onde se desenvolveriam os espetáculos. A Equipe Técnica pesquisou profundamente em todo o Brasil os gramados existentes, sua drenagem e principalmente os técnicos que teriam participado de seus projetos e execução. Concluímos pela contratação do engenheiro agrônomo João Alberto Remião que comandou toda a equipe de operários e profissionais que executaram os serviços de drenagem e gramado. Todos estes trabalhos foram concluídos um ano antes do término da obra. Durante todo este período o gramado sofreu um intenso tratamento de manutenção que responde em parte o fato do gramado do Estádio Serra Dourada ser considerado o melhor do Brasil.

Universidade na Obra

Durante os quase dois anos de construção da obra, várias caravanas de estudantes universitários da Capital e de outros Estados a visitaram com objetivos técnicos. Semanalmente, às quintas-feiras, o engenheiro Luís Alfredo Falcão Bauer realizava inspeção técnica na obra e aproveitava para proferir palestras sobre detalhes técnicos aos estudantes, operários e até aos engenheiros responsáveis pela execução e fiscalização da obra. O Estádio Serra Dourada foi tema de Monografia na Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Católica de Goiás, através da formanda Marcela da Silva Reginaldo, filha do engenheiro Lamartine Reginaldo, Coordenador Geral das obras do Estádio.

A Fundamental Participação da Imprensa

A jornada diária de trabalho quase sempre prolongava-se pelo período noturno. O engenheiro Lamartine Reginaldo, Coordenador Geral da Obra, iniciava suas atividades no Canteiro de Obras às 7h e dificilmente terminava antes das 20h. Esta rotina, durante quase dois anos, impôs sacrifícios, principalmente no convívio com a família, esposa e quatro filhos pequenos. Almoçava-se sistematicamente na Cantina do Canteiro de Obras do Estádio. O lado positivo desta rotina foi o estreitamento do relacionamento da Coordenação Geral com a Imprensa Esportiva. Dificilmente almoçava-se sem a companhia de repórteres que faziam a cobertura do andamento das obras provocando, desta forma, sólido estreitamento nas relações de amizade e compreensão com os problemas enfrentados durante a construção do Estádio.

Curiosidades Técnicas da Obra

O Estádio foi edificado em um terreno de 550.000 m²e possui uma área construída de 160.000 m². O movimento de terra apresentou uma medição final de 900.000 m³. As fundações, estacas Franki, representaram 2.125 unidades correspondendo a 32 Km. Foram empregados na obra160.000 m²de forma. O volume de concreto armado e propendido correspondeu a48.000 m³.

Nome do Estádio – Concurso Público

O Governador Leonino Caiado desejava que o Estádio tivesse um nome oficial, escolhido pela população, fugindo assim aos “apelidos” que costumavam caracterizar outros Estádios do país. Constituiu uma Comissão e instituiu um concurso público que definiria o nome oficial do Estádio. O nome Serra Dourada, que homenageava a Serra Dourada na cidade de Goiás, antiga Capital do Estado, saiu vencedor. Nascia assim em Goiânia o “Estádio Serra Dourada”.

Conclusão da Obra

A obra foi concluída em 09 de março de 1975 - um ano, onze meses e nove dias após o seu início em 31 de março de 1973.

Inauguração do “Estádio Serra Dourada”

O Estádio Serra Dourada foi inaugurado oficialmente às 16h do dia 09 de março de 1975 com o jogo entre a Seleção Goiana x Seleção de Portugal. O público presente a inauguração foi de 76.718 espectadores. As festividades da inauguração foram abrilhantadas, entre outras, com a apresentação da Banda dos Fuzileiros Navais do Rio de Janeiro. A Seleção Goiana venceu a Seleção de Portugal por 2 a 1 e o Governador Leonino Caiado entregava ao povo goiano a grande obra de seu governo.

Flamengo, o primeiro Campeão

 Prosseguindo as festividades de inauguração do Estádio Serra Dourada, realizou-se um quadrangular nos dia 12 e 16 de março de 1975, entre as equipes da Seleção Goiana, Seleção da Argentina, Palmeiras e Flamengo. A decisão, às 16h. do dia 16 de março de 1975, apresentou as equipes de Flamengo x Palmeiras. O Flamengo venceu o Palmeiras e tornou-se o primeiro campeão de um torneio realizado no Estádio Serra Dourada. Neste dia o novo Governador de Goiás era o engenheiro Irapuan Costa Júnior. No dia anterior, 15 de março de 1975, o Governador Leonino Caiado transmitia o cargo ao novo governador eleito.

Por Carlos Freitas

Fonte: Estádio Serra Dourada (Site Oficial)