24 de fevereiro de 2014

Ferrovia Norte-Sul: Trecho entre Anápolis e Palmas está 90% pronto


Pelos menos para as empresas contratadas para as obras do principal eixo ferroviário do Centro-Oeste, a ferrovia já funciona.

O trecho entre Palmas, no Tocantins, e Anápolis, em Goiás, da Ferrovia Norte-Sul já funciona. Pelos menos para as empresas contratadas para as obras do principal eixo ferroviário do Centro-Oeste. No último dia 9, uma composição com 22 vagões saiu da capital do Tocantins com destino a Anápolis levando 4125 dormentes de concreto, com um peso total de 2  mil toneladas. Com parada em Uruaçu, o trem chegou à cidade goiana no dia 13. De acordo com técnicos, essa viagem demonstra que o trecho está praticamente pronto.

De acordo com informações da Valec, empreiteira responsável pela obra, pelo menos 90% do trecho entre Tocantins e Goiás está pronto. A promessa da empresa é que os 855 quilômetros, somente nesse segmento da ferrovia, estejam concluídos até o final de março deste ano. Em Anápolis, a empresa ainda realiza terraplenagem para a finalização da construção de um pátio de manobras, que conectará o Porto Seco à ferrovia.

São 25 quilômetros de linha construídos, para manobra dos trens. Foram 30 mil metros cúbicos de concreto aplicados.

No final de janeiro, o ministro dos transportes, César Borges, esteve em Anápolis para acompanhar justamente as obras do pátio de manobras da ferrovia. Na ocasião anunciou que poderia ficar pronta em três meses. Localizado em um terreno de 9 alqueires no Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia), será o ponto de interlocução entre as ferrovias Norte-Sul e Centro-Atlântica, facilitando o escoamento da produção de grãos do interior do país, oferecendo acesso aos portos de Suape (PE) e de Pecém (CE). Somente o pátio de manobras recebeu investimento de R$ 85 milhões.

Segundo o diretor superintendente do Porto Seco de Anápolis, Edson Tavares, basta a finalização das plataformas para que a utilização da ferrovia seja efetiva. “Já temos demanda e precisamos que essa obra seja finalizada para o escoamento da produção. Pelo que observo, as obras estão bem adiantadas, o que é bem animador, embora tenha dado uma diminuída no ritmo nos últimos meses. Goiás e o Brasil vão ganhar com o pleno funcionamento da Norte-Sul.”

Outra obra fundamental para a logística da Norte-Sul é a Plataforma Logística Multimodal, orçada em R$ 1,5 bilhão.  (Eduardo Pinheiro)

Fonte: Jornal O Hoje