12 de fevereiro de 2014

Estado busca apoio para acelerar investimentos em aeródromos


O governador Marconi Perillo e o secretário estadual de Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos, João Balestra se reúnem às 16 horas desta quarta-feira, dia 12, com o ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, para pedir celeridade nos estudos que podem resultar num investimento de R$ 392,3 milhões em dez aeródromos ou pequenos aeroportos de Goiás para operar voos regionais. A audiência ocorre em Brasília.

Os municípios goianos que aparecem entre os candidatos a recursos do Programa de Investimentos em Logística do Governo Federal são Alto Paraíso, Anápolis, Catalão, Pirenópolis, Porgangatu, Caldas Novas, Itumbiara, Jataí, Minaçu e Rio Verde. Nas cinco primeiras cidades, os aeródromos são administrados pelo Estado. Nas demais, pelas prefeituras.

A empresa contratada pelo Governo Federal para levantar informações necessárias sobre o funcionamento desses dez aeródromos já os visitou. A entrega dos estudos de viabilidade técnica está prevista para acontecer no fim deste mês. A partir daí acontece a segunda etapa, que consiste na aprovação das planilhas por parte do Serviço de Aviação Civil, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea).

De acordo com a projeção inicial do Governo Federal, a Região Centro-Oeste será contemplada com investimentos em 31 aeródromos, dos quais dez ficam em Goiás. Constam ainda oito no Mato Grosso do Sul e 13 no Mato Grosso. No Norte serão 67 (R$ 1,7 bilhão), no Nordeste 64 (R$ 2,4 bilhões), no Sudeste 65 (R$ 1,6 bilhão) e no Sul 43 (R$ 1 bilhão).

“Encurtar distâncias em um país de dimensões continentais como o Brasil significa ampliar as fronteiras da nossa economia a passos largos e rápidos”, diz João Balestra. “No que diz respeito a Goiás, creio que o turismo será a atividade que mais vai lucrar com essa parceria entre Estado e Governo Federal”.

Construção

A comitiva de Goiás também vai assinar convênio de delegação de responsabilidade da União para o Estado pela administração dos aeródromos públicos que serão construídos nos municípios de Caiapônia e Nova Crixás (Bandeirantes). A obra será executava com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A assinatura do convênio de delegação da administração é a condição estipulada pelo BNDES para liberar o investimento nesses dois municípios.

Fonte: Goiás Agora