28 de janeiro de 2014

Secretaria apresenta estudo para trocar lâmpadas convencionais por leds em cidades goianas


Levantamento envolve municípios da Região Metropolitana e do Entorno do DF. Aparecida de Goiânia é a que mais avança e Projeto de Lei já foi votado

Deve ser concluído nesta semana um estudo de viabilidade econômica para a troca do parque luminotécnico em cidades goianas. O levantamento está sendo feito pela Secretaria de Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos e, inicialmente, envolve municípios com mais de 30 mil habitantes. Na proposta, serão trocadas as lâmpadas de sódio e mercúrio da iluminação pública por leds.

Os prefeitos vão receber os levantamentos para, posteriormente, analisarem se participam ou não do programa, ainda sem nome definido. Goiânia –– que já foi beneficiada com o programa Reluz, do governo federal –– não está na lista, mas um ofício deverá ser entregue com uma proposta para que a capital possa aderir o projeto.

A pesquisa, iniciada no último mês de dezembro, envolve Goianésia e Catalão, além de cidades da Região Metropolitana de Goiânia como Aparecida de Goiânia, Goianira e Senador Canedo. Municípios do Entorno do Distrito Federal como Águas Lindas, Formosa, Luziânia e Santo Antônio do Descoberto também estão no estudo.

Após fim do levantamento, que deve ser entregue na próxima sexta-feira (31/1), os prefeitos serão chamados para sanar dúvidas e anallisar se o investimento compensa. Em cada cidade que aceitar a proposta serão realizadas audiências públicas para discutir a questão. O secretário João Balestra, que chama o projeto de “cidade luz”, espera que não ocorra nenhum “apagão” até que o contato com as administrações municipais sejam efetuadas. Aparecida de Goiânia é a que está em fase mais avançada. Na Câmara Municipal um Projeto de Lei que dá sinal verde para a troca da iluminação pública já foi aprovado pelos vereadores. "Agora, falta só fazermos o dever de casa", disse o secretário.

A ação encabeçada pela secretaria de Estado será desenvolvida por uma Parceria Público Privada (PPP). O mesmo projeto deve ser feito em municípios menores. A secretaria vai entrar em contato com o presidente da Associação Goiana dos Municípios (AGM), o prefeito de Bom Jardim de Goiás, Cleudes Baré (PSDB), para negociar a melhor forma de financiamento para os interessados. De acordo com João Balestra, as empresas da PPP vão receber o pagamento dos serviços somente se a conta de luz seja diminuída com o uso de leds.

Fonte: Jornal Opção (Marcello Dantas)