15 de janeiro de 2014

Rodovia dos Romeiros continua a mais violenta


Ano passado, o trecho entre a capital e Trindade registrou 280 acidentes. Motoristas são orientados a respeitar sinalização e limite de velocidade.

A tendência registrada durante todo o ano de 2013 se confirmou. Apenos 18 quilômetros da GO-060, que separam Goiânia de Trindade, são responsáveis pelo maior número de acidentes nas rodovias estaduais. De acordo com dados do Comando de Policiamento Rodoviário de Goiás, foram registrados 280 somente na Rodovia dos Romeiros. A expectativa da Polícia Rodoviária Estadual é que as dez câmeras de monitoramento instaladas em julho do ano passado reduzam em pelo menos 40% os acidentes.

Não somente o trecho que liga Goiânia a Trindade faz da GO-060 a rodovia estadual mais violenta de Goiás. Foram registrados 901 acidentes durante todo o ano passado em toda a extensão da rodovia, 25% a mais que a segunda com maior número de acidentes. A GO-070 registrou 675 – 59 deles somente no trecho entre Goiânia e Goianira. Enquanto a GO-040 aparece logo em seguida com 377, sendo 70 deles somente no trecho que liga Goiânia a Aragoiânia.

Os números revelam que os trechos que passam por Goiânia são necessariamente mais perigosos, mesmo em rodovias classificadas com condições “ótima” e “boa” pela Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop). A explicação do Batalhão Rodoviário é que os trechos possuem o volume de tráfego exponencialmente maior, gerando maior número de colisões e acidentes.

O trecho da GO-330, entre Morrinhos e Caldas Novas, foi o único caso das mais violentas que não passa pela capital, com 31 acidentes (ocupando a quinta colocação).

Faixa de pedestres

No caso específico da Rodovia dos Romeiros a explicação para o alto índice de acidentes registrados, além do grande fluxo de veículos, era uma faixa de pedestres próxima à fábrica da Coca-Cola. De acordo com o sargento da Polícia Rodoviária Estadual Reginaldo Eterno, a travessia de pedestres no local obrigava a parada brusca de veículos, o que ocasionava grande parte dos acidentes no trecho. Com a duplicação e reforma da rodovia finalizada em julho do ano passado a faixa foi retirada.

Além da duplicação do trecho da rodovia, retirada da faixa de pedestre e iluminação, a estrada recebeu ainda um conjunto de dez câmeras e central de monitoramento instalado em posto policial, assim como radar móvel. A intenção é que as medidas reduzam o número de acidentes no trecho mais perigoso para o motorista goiano. Entretanto, ainda não foi registrada a redução.

Por meio de nota, a Agetop informa que realiza periodicamente, nos trechos citados, serviços de conservação que consistem em tapa-buracos, roçagem, além de limpeza dos dispositivos de drenagem (calhas, saídas d’água), recomposição e pintura de meio-fio e demais serviços.

A nota da agência informa ainda que os usuários também devem respeitar as placas de limite de velocidade e obedecer as leis de trânsito para evitar acidentes.

Fonte: Jornal O Hoje