1 de janeiro de 2014

Política: Cida Garcêz é a que mais faltou em 2013


Relatório da Casa divulgado no sábado mostra que a vereadora teve 18 faltas, das quais duas não foram justificadas. Cida é seguida de perto por Antônio Uchôa e Deivison Costa.

A vereadora Cida Garcêz (SDD) lidera a lista dos que mais faltaram às sessões ordinárias da Câmara de Goiânia neste ano, conforme relatório da Casa divulgado ontem no encerramento dos trabalhos legislativos. Foram registradas 18 faltas, sendo 13 justificadas, três fundamentadas por atestado médico e duas não justificadas. Em seguida, aparecem os vereadores Antônio Uchôa (PSL), com 17 faltas, sendo 15 por atestado médico e duas justificadas; Deivison Costa (PTdoB), com 10 justificadas e sete sem motivo informado e Tatiana Lemos (PCdoB), que teve o registro de 15 faltas justificadas e duas não.

Quanto à apresentação de projetos, Paulo Borges (PMDB) saiu na frente, com 70 projetos de lei e um projeto de decreto legislativo. Em segundo, está a parlamentar Tatiana Lemos, com 46 projetos de lei, um projeto de lei complementar e uma proposta de decreto legislativo. Izídio Alves (PMDB) se destacou na apresentação de requerimentos. Foram 2.627, seguido de Pedro Azulão Júnior (PSB), com 1856. A Prefeitura de Goiânia protocolou neste ano 50 projetos de lei, 17 projetos de lei complementar; duas matérias de decretos legislativos, duas propostas de emenda à Lei Orgânica e 34 vetos.

Prestação de contas

O presidente da Câmara, vereador Clécio Alves (PMDB), informou que a Casa economizou quase R$ 15 milhões neste ano, durante coletiva de imprensa para a prestação de contas. Segundo ele, R$ 10 milhões serão devolvidos à Prefeitura na segunda-feira, às 10 horas, em reunião agendada com o prefeito Paulo Garcia (PT). O restante será utilizado para o pagamento de R$ 42 milhões, em 90 parcelas, aos funcionários públicos do Legislativo que tiveram perdas salariais em decorrência da Unidade Real de Valor (URV). “Podíamos simplesmente recorrer da decisão judicial. Mas achamos legítima a reivindicação deles e, por isso, já pagamos R$ 1,9 milhão e, para janeiro, já programamos o depósito de R$ 1,5 milhão”, informou.

Ele informou que foram realizadas 103 sessões ordinárias e 20 sessões extraordinárias, em regime de autoconvocação. “Isso porque todas as sessões foram abertas com mais de 15 vereadores e sustentaram quórum com mais de 25 parlamentares”, ressaltou.

Fonte: Jornal O Hoje