21 de janeiro de 2014

Goiás tem maior valorização de terras no Centro-Oeste


De 2008 a 2012, cotação da terra em Goiás teve alta de 108%, a maior variação entre os Estados do Centro-Oeste.

O processo de expansão agrícola, melhoria da infraestrutura logística, consolidação do preço dos grãos no mercado nacional e internacional e o crescimento da cultura da cana-de-açúcar em Goiás promoveram uma supervalorização da terra agrícola no Estado.

Levantamento da PwC Agrobusiness revela que Goiás lidera o preço do hectare na Região Centro-Oeste, além de apresentar a maior variação entre os anos de 2008 e 2012 (veja quadro).

Dados do estudo apontam que o valor de um hectare, equivalente à área de um campo de futebol, saltou de R$ 3.922, em 2008, para R$ 8.168, em 2012, o que corresponde a uma variação de 108%, seguido por Mato Grosso (MT) 97,2%.

EXPANSÃO

A expansão da cana-de-açúcar, especialmente nas Regiões Sul e Sudoeste do Estado, foi a mola propulsora para o aumento do preço das terras. Com o fornecimento de um novo produto, a competição ficou mais acirrada. “Muitas terras de pastagens que não eram valorizadas foram arrendadas para a cana-de-açúcar”, diz o presidente do Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás (Sifaeg), André Rocha. Em meio a esse intervalo, commodities como milho e soja também sofreram elevação no preço.

Para o analista de mercado da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Goiás (Faeg), Pedro Arantes, a cana-de-açúcar foi responsável pela valorização da terra até 2010. “Depois disso, a alta das commodities continuou com essa evolução”, afirma Pedro Arantes.

O analista explica que a Região Sudoeste do Estado está chegando ao seu limite de valores. A bola da vez é a Região Meio-Norte.

“Os grãos estão entrando muito forte na Região de Niquelândia e Padre Bernardo, por exemplo. Os preços da terra estão mais que valorizados”, diz Pedro Arantes.

De O Popular

Fonte: Acieg