17 de janeiro de 2014

Aviação: Goiânia terá novos voos na Copa


Anac cria 1.973 voos extras para a Copa do Mundo no País e a capital goiana será uma das contempladas.

O Aeroporto de Goiânia vai receber voos extras no período da Copa do Mundo, entre 6 de junho e 20 de julho deste ano.
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) anunciou ontem que os 12 aeroportos das sedes dos jogos, além de outras 13 cidades localizadas até 200 quilômetros de distância dos estádios, caso de Goiânia, vão ter 1.973 novos voos extras no período.

NÚMERO

O número exato de voos extras que vão chegar e partir da capital goiana neste período, no entanto, não foi divulgado pela Anac e nem pelas companhias aéreas.

O presidente da Anac, Marcelo Guaranys, explicou que as empresas aéreas deverão analisar na próxima semana as autorizações concedidas para solicitar os ajustes necessários e, assim, consolidar a malha. “Os horários disponíveis ainda poderão vir a ser alocados”, disse o presidente da agência reguladora.

AZUL

A Azul, que solicitou 600 voos extras ao governo, foi a única a confirmar (dentre as companhias aéreas do País que tiveram os pedidos de novas rotas aceitos) que Goiânia está entre as contempladas, mas também não especificou a quantidade de voos para a capital no período dos jogos.

Em nota, a empresa informou que, com “a autorização da Anac, a companhia inicia o redesenho de sua malha, disponibilizando voos extras progressivamente, assim como alterações de operações já existentes. Os trechos serão colocados à venda nas próximas semanas”.

TAM e Gol, por sua vez, apenas disseram que, após a análise das autorizações repassadas pela Anac ontem, devem anunciar detalhes de sua novo planilha de voos para os aeroportos regionais do País, assim como para os aeroportos das cidades-sede.

Redefinição visa atender demanda específica para o evento

A Anac autorizou todas as solicitações de slots (horários de chegadas e partidas) solicitados para voos regulares para o período da Copa do Mundo 2014 (6 de junho a 20 de julho), feito pelas quatro companhias. Foram solicitados 78.027 voos e mudanças de horários e destino, além dos 1.973 novos voos.
Marcelo Guaranys explicou, durante coletiva no início da noite de ontem em Brasília, que as solicitações foram atendidas conforme a capacidade de pista, de pátio e de terminal dos 25 aeroportos que serão coordenados pela Anac durante o mundial.

ROTAS

As rotas mais solicitadas pelas companhias foram: Galeão (RJ)/Ezeiza (Buenos Aires); Brasília (DF)/Guarulhos (SP); Fortaleza (CE)/Guarulhos (SP); Santos Dumont (RJ)/Viracopos (SP) e Galeão(RJ)/Aeroparque (Buenos Aires).

As companhias aéreas apresentaram solicitação de alteração ou inclusão de seus horários de partidas (para voos regulares, tendo como base a malha vigente no período de 13 de junho a 13 de julho deste ano (malha de inverno) entre os dias 6 e 20 de dezembro.

Marcelo Guaranys explica que a redefinição da malha de voos regulares no período do Mundial foi necessária para atender a demanda específica para o evento. Por essa razão, diz, a Anac coordena a distribuição de voos em 25 aeroportos. Ele explica que as empresas que não tiveram um determinado pedido de slot contemplado sempre poderão optar por alternativas apresentadas pela Anac quando não se tratar de um aeroporto plenamente ocupado.

Agência promete acompanhar de perto os preços das passagens

O presidente da Anac, Marcelo Guaranys, afirmou que a agência reguladora vai acompanhar “todos os preços de passagens” para a Copa. Segundo ele, até agora apenas 4% das passagens para o período foram vendidas.

Guaranys explicou que, normalmente, a Anac acompanha os dados do mês imediatamente anterior. Em janeiro, recebe os dados de dezembro, por exemplo. Para a Copa, entretanto, o acompanhamento ocorrerá mais cedo, de forma quinzenal. Se houver abusos, os órgãos de defesa do consumidor e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) poderão agir.

Ele ponderou que o diferencial da Copa do Mundo é que “muitas pessoas querem ir para o mesmo lugar nos mesmos dias”. Por isso, há necessidade de oferecer novos voos. As autorizações para esses trechos especiais, segundo ele, são dadas depois de a agência avaliar a capacidade do aeroporto no horário solicitado e condições operacionais da empresa.

A Anac começará, a partir de hoje, a organizar a alocação de voos não regulares. Segundo o órgão, a prioridade será dada para os voos comerciais.

Fonte: Jornal O Popular