31 de dezembro de 2014

Retrospectiva 2014: Aconteceu em Goiânia


Confira a retrospectiva com os fatos mais importantes que marcaram o ano que está acabando

Mais um ano está acabando e muitos acontecimentos marcaram os goianienses. O ano de 2014 foi repleto de greves, manifestações, denúncias, conquistas, entre outras coisas. Relembre os principais fatos que aconteceram em Goiânia e Região Metropolitana em uma retrospectiva.

janeiro

 No dia 28 do primeiro mês do ano servidores administrativos da Secretaria Municipal de Educação de Aparecida de Goiânia paralisaram os trabalhos. A greve foi feita por merendeiras, auxiliares de limpeza e assistentes das secretarias das escolas que reivindicavam melhorias nos salários e na criação de um plano de carreira.

 No dia 7 de fevereiro o Tribunal de Justiça de Goiás expediu liminar que exigia a suspensão da greve. A paralisação deixou cerca de 35 mil alunos da rede pública de ensino estudando em condições incertas. No dia 14 de fevereiro os grevistas decidiram suspender a greve.

fevereiro

 Após várias manifestações estudantis exigindo a implantação do Passe Livre Estudantil, o governo de Goiás anunciou no dia 19 a liberação do benefício para mais 17 cidades da Região Metropolitana de Goiânia. O projeto saiu do papel após um longo impasse entre prefeitura e governo. Mesmo com os cadastros feitos, o governador Marconi Perillo sancionou a lei do Passe Livre no mês de maio, quando os estudantes começaram a usufruir do mesmo.

março

 O mês trouxe uma grande surpresa e preocupação aos goianienses. Em um ranking feito pela ONG mexicana Conselho Cidadão para Segurança Pública e Justiça Penal, Goiânia apareceu como a 28ª cidade mais violenta do mundo. Os índices que saíram desde o primeiro mês do ano não desmentiam a situação, os números de assassinatos surpreendiam a cada mês de 2014.

 Uma lista divulgada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mostrou que a Companhia Energética de Goiás Distribuição (Celg-D) apresentou o pior serviço de distribuição de energia no ano anterior. A empresa enfrentou várias críticas e problemas durante ano de 2014.

 Desde o começo do ano moradores de algumas regiões de Goiânia reclamaram da falta de recolhimento de lixo. No mês de março a situação piorou e grande parte da Capital sofreu com a situação. A Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) afirmou que o problema foi gerado por conta do fim do contrato com a empresa responsável pelo fornecimento de veículos que faziam o recolhimento do lixo. Em abril, um novo convênio foi feito com o intuito de melhorar o serviço.

abril

 Uma nova norma da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) fez com que o fornecimento de petróleo na Capital fosse prejudicado. Os caminhoneiros começaram a reclamar na demora do abastecimento e o problema gerou desconforto e prejuízos para profissionais e condutores de Goiânia.

maio

 Depois de várias manifestações que estouraram na Capital por conta do aumento na passagem de ônibus que seriam implantado em 2013, no dia 3 de maio a passagem sofreu um aumento de R$ 0,10. O aumento para R$ 2,80 deixou usuários do transporte coletivo insatisfeitos. Por conta da nova tarifa, algumas manifestações começaram a estourar contra o aumento e as más condições do transporte. No dia 8, manifestantes atearam fogo em um ônibus do Eixo Anhanguera nas proximidades do Terminal Praça da Bíblia. Policiais militares, a Tropa de Choque e a Cavalaria foram acionadas para conter a confusão.

 Uma paralisação dos motoristas do transporte coletivo pegaram muitos usuários de surpresa e gerou um grande caos na cidade. A categoria optou pela greve como forma de reivindicar por um aumento salarial. Muitas pessoas inconformadas com a situação deram início a várias manifestações em terminais da Grande Goiânia.

 No dia 29, os professores da rede pública fizeram uma grande manifestação. A greve teve fim apenas no mês de julho e a categoria chegou a acampar por várias semanas na Câmara dos Vereadores. Os grevistas deixaram o local no dia 4 de julho após 24 dias de ocupação.

 Foi neste mês também que a Universidade Federal de Goiás (UFG) aprovou o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) como processo seletivo para o ingresso em um curso superior da instituição. A decisão começou a valer ainda neste ano para os alunos que tentaram uma vaga na universidade para o primeiro semestre de 2015.

junho

 Após passarem um mês de greve, os Guarda Civis Metropolitanos de Goiânia aceitaram um acordo com a prefeitura no dia 6. Durante o período a categoria realizou diversas manifestações exigindo o reajuste salarial e melhores condições de trabalho.

 No dia 12 os servidores municipais da saúde decretaram greve por tempo indeterminado. A categoria reivindicava melhorias nas condições de trabalho e reajuste salarial. Durante todo período de paralisação, os profissionais fizeram várias manifestações no Paço Municipal e em frente a postos de saúde. A paralisação teve fim no dia 9 de julho.

julho

 A Prefeitura de Goiânia determinou no dia 14 a criação da Feira da Madrugada para os ambulantes que ficavam na Rua 44, no Setor Ferroviário. Mesmo com a decisão, a feira começou a funcionar apenas em outubro e algumas manifestações aconteceram na Capital por conta desta nova implantação.

 No dia 15 a Prefeitura de Goiânia decretou a volta da bandeira 2 na Capital. A taxa tem sido cobrada desde agosto e funciona todos os dias da semana durante o período noturno e aos fins de semana integralmente. A forma de cobrança aumenta em 25% a taxa que é cobrada por quilômetro rodado.

agosto

 A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) confirmou no início do mês o primeiro caso de febre chikungunya no Estado. A paciente contraiu o vírus após viajar para a República Dominicana e procurou atendimento assim que viu as notícias sobre um possível caso da doença em Goiânia. Os sintomas da chikungunya são semelhantes à dengue e são transmitidas da mesma forma. Até novembro 16 casos já tinham sido notificados no Estado, dos quais dois estavam confirmados.

 Aproximadamente 500 pessoas se reuniram na Praça Cívica, em Goiânia, no dia 30 para cobrar das autoridades uma resposta pela série de morte de mulheres na Capital. Entre os manifestantes estavam amigos e familiares de mulheres assassinadas e que esperavam uma resposta da polícia pelos crimes.

 O Ministério Público de Goiás (MP-GO) lançou no fim do mês uma plataforma on-line para a população denunciar casos de corrupção e acompanhar os processos em andamento no Estado. No portal, o cidadão pode fazer denúncias e anexar documentos que comprovem o crime de forma completamente anônima.

Setembro

 No dia 30 os bancários deram início a uma greve nacional por tempo indeterminado. Os cidadãos que precisaram receber qualquer atendimento até o dia 6 de outubro se depararam com as portas de agências fechadas. No dia 7 de outubro os bancários do Banco do Brasil e outros bancos privados aceitaram a proposta de reajuste salarial e as pessoas tiveram que enfrentar enormes filas para receber atendimento nas agências.

 Os números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) divulgados no início do mês mostraram que o Estado de Goiás obteve a maior nota do País no ensino médio da rede estadual. O Estado obteve nota de 3,8 ficando assim acima da média nacional que era de 3,4.

Outubro

 Após um grande acúmulo de lixo eleitoral no primeiro turno das eleições, os candidatos ao governo no 2º turno Iris Rezende (PMDB) e Marconi Perillo (PSDB) assinaram um acordo para manter a cidade limpa. Após a votação que deu a vitória ao candidato tucano, muitas pessoas elogiaram a iniciativa que realmente funcionou e quase não foi visto lixo espalhado pelas ruas no dia da eleição.

 O dia 10 ficou marcado para os goianienses como o dia mais quente da Capital nos últimos sete anos. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) a cidade registrou uma temperatura de 39,4ºC. A média de temperatura no Estado para o mesmo dia ficou em 42ºC.

 Além de ter sido um dos meses mais quentes, outubro também foi um mês que gerou preocupação para a população. A Secretária Municipal de Saúde (SMS) confirmou alguns casos de malária na Capital e iniciou uma apuração no Parque Flamboyant, no Setor Jardim Goiás, para tentar descobrir se no local havia algum foco de mosquitos transmissores da doença. Mesmo com todos os casos confirmados, o Ministério da Saúde descartou uma possível epidemia da doença.

novembro

 A Prefeitura de Goiânia deu início no dia 20 a implantação dos corredores exclusivos para ônibus na Avenida 85. A medida tem o intuito de descongestionar o trânsito e reduzir o tempo de viagem do usuário de transporte público da Capital. O funcionamento do corredor deve começar a valer a partir do primeiro mês de 2015.

A medida gerou certa polêmica entre motoristas e passageiros do transporte coletivo. Os condutores alegam que a medida não vai melhorar a situação do trânsito na região e os comerciantes temem que as vendas caiam, já os usuários do transporte coletivo comemoraram a decisão.

dezembro

 No último dia 3 deste mês Goiânia recebeu o 1º lugar na categoria Metrópole no prêmio Cidades Sustentáveis, que foi realizado pela primeira vez. A Capital ficou à frente de Belém (PA), Campinas (SP), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Guarulhos (SP), Porto Alegre (PR), Salvador (BA) e São Paulo (SP).

 No dia 10 uma jovem deu à luz gêmeas siamesas no Hospital Materno Infantil, em Goiânia. O caso das meninas ainda é considerado grave. No início, a equipe médica acreditava que além de estarem unidas pelo tórax e abdômen, elas compartilhavam o fígado e o coração, porém, exames realizados posteriormente mostraram que elas haviam dois corações. As meninas seguem internadas no Materno Infantil onde recebem tratamento.

 Uma medida anunciada pelo prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, determinou que, a partir do dia 11, taxistas podem trafegar pelos corredores exclusivos para ônibus. A liberação das pistas já valem para as avenidas T-63 e Universitária. A decisão também se aplicará aos corredores que estão sendo implantados nas avenidas 85 e T-7.

 O ranking divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep) no último dia 22 mostrou que o Instituto Federal de Goiás (IFG), campus Goiânia, foi a escola pública a obter maior nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2013. A instituição de ensino ficou em 31º lugar dentro do Estado.

Fonte: DM


Goiânia terá 16 feriados em 2015, oito com possibilidade de prolongamento


Com apenas um feriado no domingo, será quase o dobro as datas comemorativas deste ano que cairão em dias úteis

Com exceção dos dias de jogo do Brasil na Copa do Mundo, 2014 foi um ano de poucos feriados em dias úteis. A maior reclamação dos brasileiros em relação a este ano promete ser compensada em 2015.

Em Goiânia, serão 16 feriados durante a semana, oito com possibilidade de prolongamento. Com apenas uma data em um domingo, o número é quase o dobro deste ano.

Entre as datas comemorativas nacionais que poderão ser estendidas, estão o Carnaval e Tiradentes, ambos em terças-feiras. Também neste dia está o Dia do Servidor Público, feriado estadual.

Para quem não gosta de segundas-feiras, 2015 terá recesso em três: Independência do Brasil, Finados e Nossa Senhora Aparecida.

Anápolis tem ainda o feriados municipais de Sant’ana, em um sábado, e a Emancipação, na quinta-feira. Luziânia e Alto Paraíso lideram com o maior número de datas, com quatro cada.

Feriados nacionais

1º de janeiro (Ano Novo) – quinta-feira
17 de fevereiro (Carnaval) – terça-feira, ponto facultativo
03 de abril (Sexta-feira da Paixão) – sexta-feira
05 de abril (Páscoa) – domingo
21 de abril (Tiradentes) – terça-feira
1º de maio (Dia do Trabalhador) – sexta-feira
04 de junho (Corpus Christi) – quinta-feira, ponto facultativo até às 14h
07 de setembro (Independência do Brasil) – segunda-feira
12 de outubro (Nossa Senhora Aparecida) – segunda-feira
02 de novembro (Finados) – segunda-feira
15 de novembro (Proclamação da República) – domingo
24 de dezembro (Véspera de Natal) – quinta-feira, ponto facultativo após às 14h
25 de dezembro (Natal) – sexta-feira
31 de dezembro (Véspera de ano novo) – quinta-feira, ponto facultativo após às 14h

Feriado estadual

28 de outubro (Dia do Servidor Público) – terça-feira

Feriados municipais

Goiânia

24 de maio (Nossa Senhora Auxiliadora) – sábado

24 de outubro (Aniversário de Goiânia) – sexta-feira

28 de outubro (Dia do Servidor Público) – terça-feira


Anápolis

26 de julho (Sant’ana) – sábado

31 de julho (Emancipação de Anápolis) – quinta-feira


Aparecida de Goiânia

11 de maio (Aniversário de Aparecida de Goiânia) – domingo

14 de novembro (Emancipação de Aparecida de Goiânia) – sexta-feira

20 de novembro (Consciência Negra) – quinta-feira


Jataí

31 de maio (Aniversário de Jataí) – sábado

Piracanjuba

15 de agosto (Nossa Senhora da Abadia) – sexta-feira

01 de novembro (Todos os Santos) – sábado

22 de novembro (Aniversário de Piracanjuba) – sábado


Rio Verde

20 de janeiro (São Sebastião) – segunda-feira

05 de agosto (Aniversário de Rio Verde) – terça-feira

Luziânia

06 de junho (Folia da Alvorada) – sexta-feira

06 de junho (Folia de Rua) – sexta-feira

30 de junho (Dia do Evangélico) – segunda-feira

13 de dezembro (Aniversário de Luziânia) – sábado


Alto Paraíso

13 de maio (Nossa Senhora de Fátima) – terça-feira

15 de agosto (Nossa Senhora da Abadia) – sexta-feira

27 de novembro (Nossa Senhora das Graças) – quinta-feira

15 de dezembro (Emancipação de Alto Paraíso) – segunda-feira

Fonte: Jornal O Hoje


50 mil pessoas são esperadas no Réveillon da Praça Cívica


Pelo menos cinquenta mil pessoas devem acompanhar a festa de Réveillon na Praça Cívica. A estimativa foi divulgada nesta terça-feira (30) pela Goiás Turismo, responsável pela organização do evento. Os shows começarão às 20 horas de amanhã (31), com apresentações dos cantores goianos Marco Antonini, Nila Branco, Almir Pessoa, Cláudia Vieira, Maria Eugênia, Banda Voice, Matheus e Kauã e também da dupla Guilherme e Santiago. A noite contará ainda com apresentação do cantor de sertanejo universitário, Luan Santana.

Segundo a Goiás Turismo, os primeiros instantes de 2015 serão marcados pela queima de fogos de artifício que devem durar, nesta edição, quinze minutos.

Os shows serão divididos em dois palcos gel space 18×16 m². A entrada no evento é gratuita e será feita por quatro portarias. De acordo com o presidente da Goiás Turismo, Leandro Garcia, a Praça Cívica foi fechada com grades para aumentar a possibilidade de monitoramento dos presentes, principalmente, porque a entrada com garrafas de vidro foi proibida.

“As pessoas podem trazer os couleurs com comida e bebida desde que não estejam em recipientes de vidro. Não haverá venda de produtos dentro do local e a entrada de ambulantes também será bloqueada por questão de segurança”, afirma.

Pelo menos 300 policiais militares, 120 seguranças particulares, brigadistas e bombeiros acompanharão a festa para inibir a violência. Leandro afirma que não haverá bloqueio das vias de acesso à praça e os ônibus circularão durante toda a madrugada. “Esperamos que tais medidas garantam um evento bem organizado, com segurança e que o público venha comemorar como aconteceu nos anos anteriores.”

PROGRAMAÇÃO

Dia: 31/12/2014 – Abertura às 20h / Entrada Franca
Local: Praça Cívica (Goiânia)
Realização: Goiás Turismo e Governo de Goiás

00h às 00h15 – Show Pirotécnico

Palco L

20h – Banda Voice (goiana)

00h20 – Cuiabano Lima (locutor e performance)

00h30 – Luan Santana

Palco G

21h – Atrações Goianas (Almir Pessoa, Claudia Vieira, Nila Branco, Valter Mustafé, Grace Venturini, Cesar e Alessandro e Maria Eugenia)

22h20 – Guilherme e Santiago

02h00 – Matheus e Kauan

Fonte: Jornal O Hoje


28 de dezembro de 2014

Presidente da Agetop fala sobre obras do Estádio Olímpico e do Serra Dourada


Meta do governo para primeiro semestre do ano que vem é realizar inaugurações de obras que estão sendo finalizadas.

O governador Perillo disse que a meta do governo para o próximo ano é fazer a inauguração de importantes obras que estão sendo finalizadas.

Segundo o presidente da Agetop, Jayme Rincon, uma das obras que estão sendo finalizadas é a do Centro de Excelência do Esporte, no local onde existia o estádio Olímpico.

Jayme  Rincon também falou da reforma do Estádio Serra Dourada, que deve ser transformado em uma Arena.

Confira a matéria de Mirelle Irene da Radio 730:  Escute Aqui

Fonte: Portal 730


Economia goiana avança acima da média nacional


Nos últimos quatro anos, o Estado de Goiás tem se mantido na dianteira da evolução econômica nacional, mesmo diante de um cenário macroeconômico com fortes indícios de retração. Dados consolidados do Produto Interno Bruto (PIB) referentes a 2011 comprovam seu crescimento acima da média nacional. Enquanto o Brasil totalizava a produção de riquezas no patamar de R$ 4,143 trilhões, correspondendo a um crescimento de 2,7%, Goiás encerrava 2011 atingindo a soma de R$ 111,269 bilhões, o que representou um avanço de 6,7% na somatória de riquezas produzidas, um crescimento 4% superior ao nacional.

Segundo estimativas do Instituto Mauro Borges de Pesquisa e Estatística (IMB/Segplan), o PIB goiano em 2012 deve ser consolidado em um patamar de aumento de 3,7%, enquanto o nacional tende a ficar por volta de 1%. Em 2013, calcula-se que o crescimento goiano fique em torno dos 3,9%, enquanto o País tenha alcançado 2,5%; e a previsão para 2014 é que Goiás encerre o ano com crescimento de 2%, enquanto o Brasil deve amargar 0,5% de avanço na geração de riquezas.

Mas o que fez Goiás continuar avançando a níveis superiores ao do restante do País? A resposta a essa pergunta está contida em um plano de governo adotado por Marconi Perillo em seu terceiro mandato. Ao se deparar com um quadro de escassez de recursos e áreas carentes de investimentos, Marconi comandou a elaboração do Plano de Ação Integrada de Desenvolvimento (PAI), onde foram definidas as áreas estratégicas de investimento e quais fontes de recursos que seriam aplicadas em cada uma delas. Em seu escopo foi previsto o montante de R$ 46 bilhões em investimentos até 2014, em projetos que levassem o selo de prioridade do programa nas seguintes áreas: social, econômica, infraestrutural, desenvolvimento regional, gestão e comunicação/institucional.

Além disso, foi determinado que os projetos que levassem tal selo de prioridade ganhariam maior celeridade na sua execução. Para isso, foram reduzidos os procedimentos burocráticos, por meio da reformulação de normas, decretos e legislações voltadas a propiciar agilidade aos processos de alto interesse da administração pública estadual. Segundo cálculos do IMB/Segplan, as ações contempladas no programa estratégico devem ser responsáveis por um incremento de 3,5% no PIB goiano ao ano, permitindo a criação de 230 mil postos de trabalho e ampliando a média anual de investimentos privados para cerca de R$ 10 bilhões. Este desempenho permitiu a Goiás se manter na nona posição do ranking das maiores economias brasileiras.

Ao se analisar a evolução do PIB goiano nos últimos anos é possível notar que a consolidação da economia goiana está amparada na diversificação da agroindústria, da indústria de transformação, e no bom desempenho do comércio e do setor de serviços. A atração de indústrias para abastecer as cadeias produtivas de automóveis e da indústria química de medicamentos também foi preponderante para garantir o pleno desenvolvimento do cenário goiano.

Situado em uma região de forte apelo ao agronegócio e à pecuária, Goiás tem buscado fortalecer o segmento agrícola, sem se esquecer de estimular a modernização e diversificação de seu parque industrial, ao focar na atração de novas empresas para incrementar o setor industrial e de serviços, que são os grandes geradores de postos de trabalho. E tais cadeias produtivas só foram mantidas, principalmente, pelos incentivos fiscais oferecidos pelo governo.

Polo de convergência de novos negócios
Com o traçado das suas prioridades em mãos, o Governo foi em busca de investidores privados interessados em estabelecer parcerias que pudessem contribuir com o seu projeto de desenvolvimento pleno e sustentável. Uma das formas de se estimular a captação de investimentos para o Estado é o oferecimento de recursos a título de financiamento disponibilizados pelo Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), administrado pelo Ministério da Integração Nacional, Conselho Deliberativo do Desenvolvimento do Centro-Oeste e Banco do Brasil. Com juros atrativos e um longo período de carência, os recursos do FCO representam um forte atrativo para geração de novos negócios. Atualmente, a taxa cobrada é de até 6,75% ao ano, o que o torna um dos recursos mais atrativos disponíveis no mercado. Nos últimos três anos, 2011 a 2013, foram revertidos R$ 5.982 bilhões nas áreas rural e industrial. Ao todo, foram realizadas 81.936 operações de crédito capitalizadas pelo Fundo.

Outro forte argumento capaz de redirecionar os investimentos de uma empresa para o Estado de Goiás é a política de incentivos fiscais contida no programa Produzir/Fomentar, conduzido pela Secretaria de Indústria e Comércio. Além de representar uma segurança jurídica ao empresário que escolhe o Centro-Oeste para potencializar seus negócios, o programa ainda o torna mais vantajoso ao financiar grande parte dos impostos referentes ao ICMS recolhido aos cofres estaduais.

Para garantir que os benefícios concedidos pelo Produzir não sejam alterados foi aprovada a lei 18.360, de 30 de dezembro de 2013, que estende de 2020 para 2040 o prazo de vigência do programa. E ainda foi promulgada a lei 18.307, de 30 de dezembro de 2013, que contempla as regiões Nordeste e Oeste do Estado com isenção de 98% do ICMS para empresas contempladas. Nas demais regiões, esse percentual é de 73%. Conforme explica o analista do Produzir Reinaldo Jubé, a medida visa tornar as duas regiões mais carentes de investimentos, em polos atrativos de geração de riquezas, emprego e renda. “A readequação do programa com a aprovação da recente lei já tem permitido colher importantes resultados, como a ida de uma indústria de pivôs agrícolas para a região Nordeste do Estado e uma de produtos alimentícios congelados para a região Oeste. Ambos protocolos de intenções assinados no último mês de setembro”, declara.

Segundo levantamentos da Secretaria de Indústria e Comércio, nos últimos quatro anos o Produzir foi responsável por contemplar 343 projetos de expansão ou de inauguração de novas plantas industriais. Tais empresas reverteram ao Estado investimentos na casa dos R$ 4,8 bilhões, contribuindo para a criação de 28.010 novos postos de trabalho. “O benefício oferecido é determinante para a vinda de empresas para o Estado. No entanto, a posição geográfica privilegiada que coloca Goiás no centro do País, próximo aos principais centros de consumo das demais regiões, também é preponderante na hora de se optar pelo aporte em terras goianas”, esclarece o analista.

Crescimento com solidez
Contando com ambiente propício para geração de novos negócios e estrategicamente posicionado para a sua distribuição em escala nacional, Goiás tem conseguido manter o seu índice de crescimento industrial ascendente, contrastando com o cenário nacional de pleno desaquecimento e descrédito. Em 2010, a produção industrial goiana cresceu 17,1%, enquanto no total nacional avançou-se 10,5%. No ano seguinte, a margem de crescimento goiano ficou em 6,02% enquanto o restante do País evoluiu 0,3%. Já em 2012, enquanto o índice nacional decretava um déficit de 2,7%, a produção industrial goiana avançava 3,8%. E em 2013 – último índice divulgado – Goiás atingiu a margem de 5% enquanto o Brasil ficou em 1,2%.

Para garantir o escoamento da produção de forma ágil e mais eficaz, o atual governo também investiu maciçamente na construção, reconstrução e duplicação da sua malha viária, criando um Fundo de Investimentos próprio para financiar tais obras. Segundo cálculos da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop), responsável pela sua execução, R$ 1,8 bilhão foram revertidos para a reconstrução de cinco mil quilômetros de estradas; R$ 4,5 bilhões para a construção de 2,5 mil quilômetros de novas vias e R$ 587 milhões para a manutenção de 20 mil quilômetros de rodovias.

Devido à sua posição estratégica, a cidade de Anápolis foi eleita como principal polo logístico do Estado e recebeu nos últimos anos R$ 800 milhões em investimentos voltados para ampliar a sua capacidade aeroportuária, com a construção do Aeroporto de Cargas, que será diretamente beneficiado com os trâmites aduaneiros realizados pelo Porto Seco local. O início das operações da Ferrovia Norte Sul, que corta Anápolis também proporciona um novo modal de transporte para escoamento da produção. O entroncamento da BR 153 que liga o Estado ao Sudeste e Norte do País e a construção do maior e mais moderno Centro de Convenções da Região Centro-Oeste tem permitido à cidade consolidar as operações promissoras do seu Distrito Agroindustrial (Daia).

De Goiás para o mundo
A relação comercial de Goiás com o restante do mundo foi ampliada devido a diversificação de sua pauta de produtos e das missões internacionais realizadas para apresentar as potencialidades do Estado. Goiás encerrou o terceiro trimestre de 2014 com o maior saldo acumulado de sua balança comercial de uma série histórica medida desde 2001. O saldo acumulado atingiu os US$ 2,1 bilhões desde o início do ano até setembro de 2014.

Ao registrar um crescimento de 5,5% no volume de importações, nota-se que são voltadas a insumos e maquinários necessários para abastecer a agroindústria e a indústria metalmecânica e farmacêutica, comprovando a evolução dos segmentos empresariais instalados no Estado. No mesmo período o Brasil apresentou queda nas exportações. No acumulado do ano, as exportações brasileiras apresentam déficit de 2,18%, enquanto as vendas goianas mantiveram desempenho semelhante ao do ano anterior.

Capital humano
O Governo de Goiás entende que todo ambiente de desenvolvimento só é plenamente consolidado quando se há pessoas capacitadas para ocuparem as novas oportunidades de trabalho existentes no mercado, em uma relação sinérgica de geração de vagas e capacitação para as mesmas. Portanto, tem investido maciçamente na qualificação da mão de obra goiana, permitindo que os cidadãos possam alçar posições estratégicas e mais rentáveis no mercado de trabalho.

Ao lançar o programa de qualificação Bolsa Futuro, capitaneado pela Secretaria de Ciência e Tecnologia, o Governo de Goiás permitiu a qualificação até o presente momento de 500 mil goianos para atuar em todos os setores da economia. Ao ter como preocupação adicional a reinserção da população de baixa renda no mercado de trabalho, foram reservadas 200 mil vagas para beneficiários de programas de transferência de renda como o Bolsa Família.

Outra frente de atuação foi nos anos iniciais do ensino Fundamental e Médio. Ao lançar o Pacto pela Educação, um programa que contempla qualificação profissional aos professores, investimentos na infraestrutura das escolas e bonificação por produtividade aos professores e de desempenho aos alunos, Goiás conseguiu dar saltos significativos nos índices educacionais. No último Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), medido pelo Ministério da Educação, Goiás subiu quatro posições em relação a 2011, atingindo a maior nota para o Ensino Médio, com 2,8 pontos e ultrapassando a meta nacional projetada para 3,4.

Fonte: Goiás Agora


Obras do Hospital do Servidor Público devem começar em janeiro


Nesta segunda-feira, 29, às 10 horas, será assinada a ordem de serviço para o início das obras de construção do Hospital do Servidor Público do Ipasgo. A assinatura será no Auditório Mauro Borges Teixeira (Palácio Pedro Ludovico Teixeira). A unidade será uma referência para o usuário e contará com atendimento em diversas especialidades, inclusive aquelas em que há dificuldade de agendamento em função do déficit de profissionais no mercado, como a endocrinologia e as cirurgias de cabeça e pescoço. As obras de construção devem ter início no mês de janeiro. O contrato com a empresa vencedora da concorrência pública já foi assinado e a previsão é de que as obras estejam concluídas em 18 meses.

O Hospital do Servidor Público (HSP) é um desejo antigo do funcionalismo. Somente agora com a total reestruturação financeira do Instituto e pleno apoio do Governo do Estado foi possível transformar o sonho em realidade. O Hospital do Servidor Público será erguido em um terreno de 21.455,69 m², localizado na Avenida Bela Vista, no Parque Acalanto, Região Sul de Goiânia. A área construída total terá mais de 24 mil m². A unidade terá oito blocos, sendo que um deles terá três pavimentos, além de estacionamento no subsolo.

O HSP terá atendimento ambulatorial em diversas especialidades, centro cirúrgico equipado para cirurgias de alta complexidade, central de diagnóstico laboratorial e de imagem, UTIs pediátrica, neonatal e adulta e, ainda, um auditório. Toda a estrutura de apoio ao funcionamento de um grande hospital geral também está no projeto, como lavanderia, central de nutrição e central de gases. Serão 211 leitos, assim distribuídos:

Internação apartamento – 40
Internação enfermaria – 76
Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) – 30
Recuperação/Indução – 25
Quimioterapia – 18
Emergência/Observação – 22

O Hospital do Servidor Público vai funcionar como complemento aos serviços já prestados pela rede credenciada ao Ipasgo e visa assegurar, principalmente o atendimento em áreas sensíveis, em que nosso usuário tem grandes dificuldades em encontrar profissionais credenciados. A construção do HSP ficará a cargo da Oliveira Melo Engenharia, ganhadora da concorrência pública. A empresa tem larga experiência em obras de construção de unidades hospitalares, tendo construído o Hospital de Urgências da Região Sudoeste (Hurso) em Santa Helena e o Centro de Referência e Excelência em Dependência Química (Credeq) de Goianésia.

POA 2.0
Paralelamente à assinatura da ordem de serviço, o Ipasgo vai lançar o POA 2.0 – a 2ª etapa do Programa de Otimização do Atendimento aos Usuários do Ipasgo. Trata-se de um programa de valorização e remuneração diferenciada a hospitais que se enquadrem em critérios estabelecidos pelo Instituto. A adesão ao programa é facultativa e restrita às unidades já credenciadas ao Ipasgo.

Fonte: Goiás Agora

Verba para o Hospital das Clínicas de Goiânia


O Hospital das Clínicas de Goiânia, assim como outros hospitais federais integrados no Sistema Único de Saúde (SUS), receberá uma verba que, de acordo com o Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF), será destinada

A portaria foi assinada e publicada no Diário Oficial da União, pelo ministro Arthur Chioro, ontem (26). "Art. 1º Fica estabelecido recurso financeiro, no montante de R$ 29.631.464,22 (vinte e nove milhões, seiscentos e trinta e um mil quatrocentos e sessenta e quatro reais e vinte e dois centavos), correspondente ao recurso do REHUF a ser disponibilizado aos Hospitais Universitários Federais, conforme anexo a esta portaria".

O diretor do HC de Goiânia, José Garcia, informou ao Diário da Manhã que ainda não sabia dessa verba e que, geralmente, quando o dinheiro chega tão próximo ao final do ano, é complicado conseguir usá-lo totalmente. "Temos até o dia 31 de dezembro para empregar os recursos, no entanto, quando chega num prazo tão curto fica complicado porque, em três dias, não dá para realizar uma licitação para execução de obras e, se não usarmos esses valores, corre o risco de o dinheiro voltar", declarou o diretor.

Em um segundo contato, ele informou que essa verba já tem um destino certo. Será feito o pagamento de parte da dívida que o hospital possui e apontou ainda que possui medidas a serem tomadas para controlar o orçamento no próximo ano. "Esse valor é baixo se comparado com o tamanho da dívida que o hospital tem atualmente. Por esse motivo pretendo, no ano que vem, diminuir o efetivo de funcionários terceirizados, acredito que assim possamos controlar melhor as despesas", afirma.

Recentemente foi entregue a obra de reforma do Pronto Socorro do HC, com 32 leitos para internação, no valor de R$ 260 mil. José Garcia garante que estes leitos estão funcionando normalmente, no entanto ele lamenta ter outros fechados por falta de funcionários. "São 60 leitos que estão indisponíveis por causa da dívida. Precisamos urgente diminuir a folha de pagamento para reestruturar esses espaços no hospital", garante.

O Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais tem como objetivo criar condições materiais e institucionais para que os hospitais federais tenham a qualidade necessária e possível para desempenhar suas funções relacionadas diretamente com ensino, pesquisa e extensão bem como a dimensão da assistência à saúde.

Fonte: DM


26 de dezembro de 2014

Prefeitura de Aparecida vai instalar 50 academias abertas até 2016


O objetivo é melhorar a qualidade de vida da população e cuidar da saúde preventiva

O desenvolvimento de Aparecida de Goiânia passa pela reorganização urbana da cidade. A construção de espaços públicos destinados ao lazer e à prática de esportes tem sido prioridade da Prefeitura de Aparecida, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, na gestão do prefeito Maguito Vilela (PMDB). O atual titular da pasta, que tem a responsabilidade de manter a cidade limpa e agradável, Rodrigo Gonzaga Caldas, realiza um breve balanço do trabalho realizado pela administração municipal nesta área, principalmente em 2014.

Conforme o auxiliar do prefeito Maguito Vilela, atualmente 35 praças foram entregues ou estão em obras, e outras 35 foram revitalizadas. Em relação ao equipamento público mais desejado pelos moradores – a Academia ao Ar Livre - , o secretário afirmou que 15 já foram implantadas e a previsão é instalar mais 20 em 2015. “Até o final do mandato do nosso prefeito Maguito Vilela, em dezembro de 2016, queremos ter instalado 50 Academias Abertas. A expectativa é levar o benefício a todas as praças da cidade, proporcionando mais saúde, bem-estar e lazer à população aparecidense”, ressaltou Rodrigo Caldas.

A meta do segundo mandato do prefeito Maguito Vilela é deixar a cidade mais linda. No primeiro mandato, a gestão investiu pra valer na infraestrutura básica – asfalto e saneamento básico. Agora sem descuidar disso, a Prefeitura acelera na construção de novas praças e manutenção das atuais. Na avaliação do secretário de Desenvolvimento Urbano, a participação da comunidade neste processo é fundamental para alcançar a meta.

Por determinação do prefeito, as secretarias de Desenvolvimento Urbano, Meio Ambiente, Regulação Urbana e Comunicação lançaram, em agosto de 2013, a campanha ‘Aparecida é sua casa, quem mora cuida’ começou a trabalhar a conscientização dos moradores quanto ao despejo de entulhos em locais inadequados, limpeza de lotes vagos, construção de calçadas e a coleta seletiva.

“Nosso objetivo é trabalhar com a conscientização para que as pessoas deem destinação correta ao lixo e aos objetos que não serão mais usados. Se a população trabalhar nesse sentido em parceria com a Prefeitura, a cidade e a vida das pessoas melhoram”, sublinhou o secretário. Recentemente, o prefeito determinou a criação de grupos de trabalho envolvendo várias secretarias para aprofundar os estudos, encontrar e implantar soluções que minimizem o impacto do descarte irregular de entulho e a falta de calçadas, que são obrigações dos cidadãos. Acessando o site www.aparecida.go.gov.br/campanha o morador fica sabendo como colaborar manter a cidade limpa.

PARQUES - Dentro ainda da política de ampliar as opções de lazer e bem estar, a Prefeitura de Aparecida entregou em outubro de 2014 o Parque da Criança. O projeto do Parque foi idealizado pela Secretaria Meio Ambiente e conta com área total de 126 mil metros quadrados o espaço conta com um prédio que abriga o Centro Integrado de Apoio, onde ficam equipes das secretarias de Meio Ambiente, Desenvolvimento Urbano, Defesa Social e Guarda Civil Municipal, além da administração do parque. O espaço conta com espelho d’água, praça com teatro de arena, pista de caminhada de 8 mil metros quadrados, duas quadras poliesportivas e pista de bicicross.

O Parque da Família também foi entregue a população de Aparecida em outubro. O espaço fica na Avenida Independência, no setor Village Garavelo, e está sendo revitalizado em parceria entre as secretarias de Meio Ambiente, Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano. A área de 13 mil metros quadrados se caracteriza hoje como uma grande ilha de divisão dos dois sentidos da Avenida Independência. Em 2010, recebeu as primeiras melhorias. Agora, a administração municipal transformou o local em um verdadeiro parque. Em setembro, a cidade recebeu o Parque Municipal Elmar Arantes Cabral, no bairro planejado Parque América. O parque que um área superior a 44 mil metros quadrados fica na região da Vila Alzira.

AQUISIÇÕES - Para melhorar os serviços prestados à comunidade, em abril deste ano a Secretaria de Desenvolvimento Urbano adquiriu 11 novos veículos - dois Logans, duas kombis, um caminhão munck guindaste e seis caminhões plataforma aérea, que atendem os serviços de iluminação pública. O investimento foi de R$ 2,1 milhões. Com a aquisição, a secretaria passa conta agora com 16 veículos próprios (já possuía cinco caminhões munck); 20 tratores; e 32 veículos locados (8 caminhões baú para a coleta seletiva, seis ônibus que fazem o transporte dos trabalhadores e 18 caminhões para as atividades de limpeza urbana).

ROÇAGEM - Desde 2009, a Prefeitura de Aparecida realiza a roçagem em etapas e por regiões, proporcionando que todos os bairros recebam o serviço no mínimo duas vezes ao ano. Em 2014, todos os bairros já foram contemplados com o serviço. “Nos últimos meses as equipes da secretaria de Desenvolvimento Urbano realizaram mais de 45 mutirões de limpeza em todas as regiões da cidade”, reiterou o secretário.

COLETA SELETIVA -  Em 2012, a Prefeitura implantou a coleta seletiva no município com duas vertentes: a Coleta Seletiva Residencial e a Empresarial. Hoje a coleta já atinge 67 bairros, contemplando mais de 207 mil habitantes. Em 2015, novos bairros serão incluídos no programa, gerando ainda mais renda as famílias que participam das cooperativas de reciclagem. “Em 2014, conseguimos entregar a cooperativa um galpão de triagem com o maquinário necessário para iniciar os trabalhos e continuamos dando a assistência técnica para que as famílias, que antes viviam às margens do Aterro Sanitário trabalham com dignidade”, pontuou Rodrigo Caldas.

O secretário lembrou que Aparecida foi uma das poucas cidades brasileiras a cumprir a rigorosa Lei Federal dos Resíduos Sólidos que determinava a extinção dos lixões. “Graças ao apoio do prefeito Maguito Vilela e ao trabalho da equipe da Diretoria de Resíduos Sólidos, coordenado pela Márcia Nayane, Aparecida se tornou modelo pelas boas práticas no tratamento dos resíduos sólidos”, comemorou. No início de 2014, a gestão enfrentou de frente a invasão ao Aterro Sanitário. Com o apoio da Guarda Civil Municipal e a compreensão dos lideres das cooperativas, desde 10 de janeiro de 2014 ninguém mais entra no Aterro para retirar o lixo antes deste ser aterrado.

Fonte: Prefeitura de Aparecida de Goiânia

Trânsito confunde motoristas


Especialistas apontam pelo menos 42 locais de Goiânia em que condutores burlam sinalização e falta de clareza pode ser motivo

As complicações do trânsito de Goiânia são piores em pelo menos 42 pontos da cidade em que os condutores quase nunca fazem aquilo que deveriam fazer. Enquanto é permitido seguir livre pela Avenida Assis Chateaubriand, no Setor Oeste, muitos param no semáforo com a Avenida T-7, por exemplo. Motoristas e especialistas apontam que a confusão se dá pela sinalização feita pela Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT), mas esta diz que na maioria dos pontos o erro é a desatenção dos condutores.

Um projeto de pesquisa elaborado pelo professor do Instituto Federal Goiano (IFG) e especialista em trânsito Marcos Rothen neste semestre pontua diversos pontos confusos da cidade. Baseado em fotos, Rothen analisou quais os erros ocorrem em virtude destes problemas com a sinalização. A reportagem do POPULAR passou por todos os pontos verificando a sinalização e mostrou os mesmos para a SMT (veja quadro). O diretor de Projetos do órgão, Sérgio Bittencourt não descarta que alguns pontos podem ser reanalisados, mas contesta ocorrer confusão.

Rothen afirma que há erros da SMT, pois a sinalização deveria ser clara para todos os motoristas. Os principais problemas são em relação à sinalização horizontal que faz parte do conjunto de informações que o motorista deve entender ao dirigir. Como a maioria se atém ao que é colocado na vertical, como as placas e os semáforos, muitas informações deixam de ser lidas. “A situação é que não podemos dizer se o motorista está errado se ele não sabe o que está fazendo. Primeiro tem de ocorrer a organização do trânsito, depois a sinalização e só então a fiscalização.”

No exemplo da Avenida Assis Chateaubriand, há três placas, de fundo branco e caracteres pretos, seguidas em uma mesma quadra indicando que o motorista pode seguir pela avenida sem parar no semáforo. Todas elas estão escondidas por árvores e postes. Há sinalização horizontal com seta para a direita e escrito “livre”, mas é comum que carros parem naquela faixa, esperando o sinal abrir. Alguns param ali até para ir sentido Avenida T-7.

CÓDIGO

Segundo Bittencourt, o motorista tem de saber que não pode ficar na faixa da direita quando vai para a esquerda ou para o centro. “Isso consta no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e o motorista faz prova sobre isso para tirar a Carteira Nacional de Habilitação.” A questão está em quem não saberia qual faixa pegar por não saber onde ir. Por exemplo, o motorista de fora da capital poderia receber a informação que a Avenida T-7 era continuação da Assis Chateaubriand e, por isso, se manteria à direita.

Fonte: Jornal O Popular

Praia é o destino preferido dos goianos. Veja os mais procurados e dicas para curtir as férias sem preocupação


Passado o Natal, agora é hora de viajar. Especialistas apontam que os brasileiros aprenderam a planejar com antecedência e que a crise não afetou o mercado do turismo

O mês de dezembro sempre traz preocupações: compras de fim de ano, contas para pagar e também onde comemorar o Natal e o Réveillon. O brasileiro adquiriu o gosto pela viagem e costuma fazer esforços para sair de casa sempre que possível. A maioria das pessoas que vai viajar já fechou pacotes com agências de turismo e já está com as férias definidas.

A operadora de viagens da Azul Viagens Cris Pacheco disse que as vendas de fim de ano andam muito aquecidas e afirmou ainda que “dos pacotes disponibilizados incialmente, ainda sobraram 15, no máximo 20 por cento”. Desse modo, sobram poucas opções de destino para quem decidiu viajar de última hora. Ela também garantiu que o recuo na economia não afetou muito a venda de passagens.

O diretor da Decolar.com Alípio Camanzano afirmou que o mercado segue aquecido. De acordo com o levantamento da empresa, o aumento das vendas nos meses de outubro e novembro para as férias de fim de ano de 14 foi de 22% no internacional e 39% no nacional. Na opinião dele, a crise da economia não teve tanto impacto no setor porque “o brasileiro adapta o orçamento, compra a viagem em parcelas e, no final das contas, faz a viagem dos sonhos”.

Já a proprietária da Vernazza Viagens Luciana Gomides, perguntada sobre a alta no dólar e como ela pode ter influenciado a compra de pacotes de viagens, disse que o que muitas pessoas estão fazendo é trocar os destinos no exterior pelos nacionais. “Os fornecedores estão, para evitar a queda, fazendo o congelamento do câmbio ou, ainda, promoções muito vantajosas, que acabam compensando para o cliente”, ressaltou.

Destinos

De acordo com dados da Decolar.com, os destinos nacionais mais procurados pelo brasileiro são Rio de Janeiro e São Paulo, seguidos pro Salvador, Fortaleza e Recife. Já os internacionais são Buenos Aires, Santiago do Chile e, nos Estados Unidos, Nova York, Orlando e Miami.

Uma pesquisa divulgada pelo Ministério do Turismo em dezembro vai de encontro a essa informação.

A pesquisa Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem, realizada pelo ministério em sete capitais brasileiras, aponta que os destinos de sol e praia, no Nordeste do país são a preferência nacional para viagens de férias e fim de ano.

Oito em cada dez entrevistados pretendem viajar dentro do Brasil nos próximos seis meses e quase metade deles (46%) apontam a região como destino favorito.

Essa tendência é seguida pelos goianienses. Tanto Luciana quanto Cris destacaram Fortaleza, Recife, Porto de Galinhas, Natal e Maceió como os lugares que há mais busca. Quem quer sair do Brasil continua querendo ir para os Estados Unidos, França e Caribe.

Também há quem ficar no estado. Esses costumam aproveitar as águas quentes de Caldas Novas e as cachoeiras de Pirenópolis.

Planejamento

Alípio Camanzano, diretor da Decolar.com, sempre orienta os clientes a comprarem passagens com no mínimo três meses de antecedência para viagens nacionais e seis meses para as internacionais para que sejam garantidos os melhores preços. E, cada vez mais, o brasileiro raciocina assim e se planeja com antecedência.

Exemplo disso é que muitas pessoas já começaram a pensar nas férias de janeiro e também onde passar o carnaval. A proprietária da Open Tour Luciana Ottoni afirmou que as passagens que estão sendo procuradas no momento já são as para o ano que vem e que, até o carnaval, quase tudo está vendido.

Luciana Gomides, da Vernazza Viagens, destacou que como os meses de janeiro e fevereiro são altíssima temporada e os preços sobem bastante, as viagens para esses meses costumam ser fechadas até novembro. Ela também disse que “o brasileiro aprendeu a se planejar. Então, compra com mais antecedência” e que as datas mais procuradas hoje já são a partir do mês de março.

Camanzano acredita que essa prática é a certa, já que a economia na hora da compra, principalmente de passagens aéreas, aumenta de acordo com a antecedência. “Quanto mais perto da data da viagem, além de correr o risco de não ter mais lugar no avião, por exemplo, ainda se paga mais devido à procura. Por isso, vale sempre a nossa orientação, compre com a maior antecedência possível” finalizou.

Atenção

O Procon Goiás deu algumas dicas para quem compra pacotes turísticos:

É importante analisar se a prestadora de serviços em que a compra de pacote turístico será feita está regularmente registrada no Cadastro Oficial dos Prestadores de Serviços Turísticos do Brasil (Cadastur) .Esse registro é a garantia da regularidade da empresa junto ao Ministério do Turismo.
Consultar parentes, amigos ou mesmo as redes sociais para saber se a agência tem bom respaldo e indicação

Após a escolha do roteiro, seja nacional ou internacional, é importante avaliar o tipo de pacote: individual ou excursão. Este exige horários e roteiros fixos, enquanto aquele é mais indicado quando se prefere mais liberdade.

Faça uma pesquisa de preços e compare os valores dos pacotes à vista e parcelados.

Observe com atenção todos os documentos que descrevem o que está incluso nos pacotes. Também confira se, no contrato de prestação de serviços, consta tudo o que foi acertado verbalmente
Em caso de desistência de pacote adquirido por meio da internet, o consumidor tem o prazo de 7 dias para cancelar a compra.
Caso o cancelamento da viagem parta da agência, é ela a responsável por restituir todos os valores pagos, bem como possíveis prejuízos financeiros e danos morais (judicialmente).

Se for o consumidor o desistente, o comunicado deve ser feito por escrito, com a maior antecedência possível. Lembrando que a agência contratada pode reter até 20% do valor do pacote.

O Procon Goiás se coloca à disposição para sanar qualquer dúvida. O consumidor pode comparecer na sede do órgão ou em qualquer um dos postos de atendimento, que ficam nas agências Vapt Vupt. Além disso, pode entrar em contato por meio do disque denúncias 151, ou acessar o Procon Virtual.

Fonte: Jornal Opção


25 de dezembro de 2014

Final de Ano: Trânsito caótico testa paciência


Com a proximidade do Natal, Goiânia já experimenta aumento de 30% a 50% no fluxo de veículos em algumas regiões, principalmente aquelas em que estão localizados médios e grandes centros comerciais. Nesta época do ano, de acordo com o chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT), Jean Damas da Costa, a dica mais importante, para os motoristas, é, mesmo, a paciência, seja para estudar, previamente, o trajeto diário por rotas alternativas – ainda que mais demoradas – ou optar por horários diferenciados para sair de casa.

“Esse aumento significativo do fluxo de veículos na capital, nesta época do ano, já é esperado pela SMT. O que pode mudar, de um ano para outro, é o acréscimo na quantidade de pontos a exigirem maior paciência e atenção por parte dos motoristas”, destaca Costa, lembrando o “boom” de shoppings e centros de compras em Goiânia, que passam a atrair, para determinadas regiões, um maior número de consumidores.

Nesses locais (veja quadro), diz o chefe de gabinete da SMT, o mês de dezembro é marcado por uma maior lentidão no trânsito e a diminuição do espaço – já mínimo – para estacionamento. Conforme verificou na tarde de sexta-feira, a reportagem, o problema se estende – nese período de festas, ainda de forma mais intensa – para as ruas paralelas ou perpendiculares – a exemplo do que ocorre em Campinas, por causa da Avenida 24 de Outubro e dos camelódromos localizados na Praça A, na Avenida Anhanguera –, bem como para as vias de acesso – caso da Marginal Botafogo, nas imediações da Rua 44, e da Avenida Marechal Rondon, próximo à confluência com a Avenida Oeste, no Setor Norte Ferroviário.

“Com isso, as infrações de formar fila dupla e parar sobre a faixa de pedestre ou em locais proibidos se tornam quase uma regra e o desrespeito às normas de circulação, como, por exemplo, fechar cruzamentos, fica ainda mais evidente”, afirma Jean Costa. “Nesse sentido, já a partir desta semana estaremos providenciando uma permanência maior de nossas equipes em alguns desses lugares de maior movimento, com o objetivo de evitar congestionamentos e fazer com que o trânsito flua”, acrescenta o chefe de gabinete da SMT.

RECOMENDAÇÕES

Segundo ele, 300 agentes estão nas ruas, distribuídos entre 40 equipes de segunda a sexta-feira e 20 equipes no fim de semana. “A SMT já está a postos nos horários de pico; a ideia é que estejamos presentes o tempo todo, principalmente em cruzamentos importantes, de modo a evitar que eles sejam travados. A orientação é para que os infratores sejam notificados e que seja feito até guinchamento do veículo, se necessário”, ressalta Costa. Outra medida a ser tomada pela SMT, conforme adianta, será a não liberação da área azul na Região Central e no Setor Campinas – como ocorreu em dezembro do ano passado – com o objetivo de garantir a rotatividade de veículos estacionados.

Entre as dicas para enfrentar esses próximos dias de tumulto no trânsito, em Goiânia, o chefe de gabinete do órgão municipal cita a utilização de transporte público, de táxi ou de mototáxi para ir às compras; estacionar a uma ou duas quadras do estabelecimento ou aproveitar as vagas disponíveis em estacionamentos particulares; e, também, evitar circular, sem necessidade, por locais de grande fluxo de pessoas e veículos, dirigindo-se diretamente ao destino.

Jean Costa aponta, ainda, a escolha prévia de trajetos alternativos e de horários diferenciados para sair de casa, de modo a evitar o grande movimento registrado entre as 6h30 e às 9 horas, entre as 11h30 e às 14 horas, e entre as 17 e às 19 horas. “O ideal é evitar sair, mesmo, nestes horários. Se isso não for possível, nem optar por outras rotas diferentes, a recomendação é, além de paciência, muita educação, cordialidade, bom senso e respeito ao direito do outro”, argumenta.

Fonte: Jornal O Popular (Patrícia Drummond)


Ciclovias: uma alternativa para a mobilidade urbana


Por Gabriela Louredo

A cada 15 dias o Grupo Pedal Goiano se reúne aos finais de semana para um passeio ciclístico entre os parques ecológicos da cidade. Eles combinam entre si um ponto de encontro e, aos poucos, iniciantes e veteranos da bike vão chegando, se cumprimentando e colocando o papo em dia. Pelo menos 50 pessoas participam dessas pedaladas, que têm um percurso entre 15 e 24 quilômetros. Antes de saírem, elas recebem orientações sobre os cuidados que devem ter no trânsito para evitar acidentes, como permanecer à direita das vias, não andar em zigue-zague e, como não há seta, sinalizar as conversões com os braços. O espírito de união prevalece. Todos pedalam juntos.

O advogado Eduardo da Costa Silva, de 34 anos, é um dos idealizadores do grupo criado em 2010 com o objetivo de divulgar os benefícios do ciclismo para a saúde, trânsito e meio ambiente, além de ser pioneiro no sentido de conscientizar a população e o Poder Público sobre a necessidade da implantação de ciclovias em Goiânia.

A página do Pedal Goiano no Facebook tem mais de 5,6 mil seguidores. “Esse trabalho de mobilização é feito durante a semana através das redes sociais e no fim de semana nos reunimos para praticar a nossa paixão. Também queremos levar a sociedade a refletir sobre o uso excessivo dos automóveis. Tem gente que pega o carro para comprar pão a duas quadras de casa”, repreende.

“A bicicleta proporciona uma sensação indescritível de liberdade. É possível contemplar a natureza e perceber detalhes na paisagem urbana que habitualmente no carro não vemos”, compara. Eduardo, que pedala desde criança, diz que a ‘magrela’ é sinônimo de qualidade de vida para seus adeptos. Ele perdeu 18 quilos andando de bike e também fazendo reeducação alimentar. De uma a duas vezes por semana o advogado vai de bicicleta para o escritório onde trabalha. Leva uma mochila e troca de roupa quando chega lá. Na volta para casa, ele costuma sair meia hora mais cedo, optando por uma rota com menor fluxo de veículos. Além de não poluir o ar nem gastar dinheiro com gasolina, na disputa com o carro, ele chega sete minutos mais cedo.

Falta de segurança

No entanto, apesar da série de vantagens em relação aos automóveis, a falta de segurança no trânsito é um grande obstáculo no caminho dos ciclistas. Na escala de “vulnerabilidade”, eles vêm logo atrás dos pedestres e estão, de certa forma, desprotegidos sem uma cobertura de metal.  “O nosso maior medo é em relação à integridade física. Muitos motoristas acham que os ciclistas são intrusos nas ruas e que nós deveríamos trafegar na calçada. Não vemos campanhas educativas citando a bicicleta”, avalia. Pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) o veículo maior é responsável pelo menor, mas não é o que acontece na prática. Além do desrespeito dos motoristas em geral, a falta de ciclovias em Goiânia reforça essa insegurança, à medida que eles precisam “disputar” espaço com os carros.

A descoberta de uma paixão

Para espantar a tristeza e até uma possível depressão após o fim do casamento de 20 anos, a artista plástica Cristina Lombardi, de 42 anos, comprou uma bicicleta e foi pedalar para ocupar o tempo. Ela começou por diversão com uma bike simples e logo se apaixonou. Foi se identificando, fazendo novos amigos e aprendeu a fazer trilhas de mountain bike nos encontros com o Pedal Goiano. Orgulhosa, Cristina conta que está cheia de ‘manhas’. “Depois que você vai pedalando com pessoas que pedalam em nível melhor, você vai evoluindo. Comecei com uma bicicleta bem simples, e depois comprei uma específica pra trilha de 27 marchas com pneu grosso para não derrapar. Agora quero uma para pedalar no asfalto”, comenta.

Cristina abriu mão definitivamente do carro e optou pela bicicleta como meio de transporte. Nos trajetos mais longos, vai de táxi. “Acho que é uma escolha que contribui muito com o trânsito chego nos lugares com muita agilidade e além disso não gasto com combustível, IPVA e seguro”, define. Por incentivo dela, dois filhos também aderiram ao ciclismo. “Andar de bicicleta traz saúde, alegria de viver, libera endorfina (hormônio da felicidade). É muito prazeroso sentir o vento no rosto. Nós aprendemos a pedalar na infância e depois vamos perdendo isso com o tempo. Acho que o Poder Público deveria investir na criação de ciclovias para resgatar isso e acabar com esse sufoco tremendo no trânsito”, conclui.

Ciclovias reduzem gastos públicos com saúde

De acordo com o diretor técnico do Detran, Horácio Mello, é preciso romper o modelo viário vigente que elegeu o carro como meio de transporte predominante e símbolo de poder e status social. Segundo dados do órgão, uma frota de mais de 1,3 milhão de veículos circula pelas ruas da capital, na proporção assustadora de quase um carro para cada habitante. “Cada vez mais incentivadas por esse modelo, que oferece incentivos fiscais, descontos e parcelamentos, as pessoas compram seus carros para realizar um sonho de consumo. Goiânia é uma característica disso, com mais de um milhão de automóveis. Daqui a pouco cada um vai ter seu carro. É impossível construir vias nesse ritmo”, pondera.

O investimento na construção de ciclovias pode resultar na redução de gastos com saúde pública, poluição e congestionamentos. Para cada dólar investido em estruturas cicloviárias, outros 24 (o equivalente a R$ 62) deixam de ser gastos pelo Poder Público. Foi o que concluiu estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia e publicado pela revista norte-americana científica Environmental Health Perspectives, do Instituto Nacional de Ciências de Saúde Ambiental. Para os pesquisadores, em longo prazo a implantação das ciclovias reduziriam os índices de mortalidade por todas as causas.

No caso da opção pelas ciclovias segregadas das pistas automotivas seria reduzido o limite de velocidade dos veículos. Com este cenário, a quantidade de viagens realizadas de bicicleta aumentaria 40% até 2040, amenizando impactos no trânsito e a poluição ambiental. Segundo Horácio, gestores públicos do mundo inteiro vêm despertando para a busca de alternativas. “Não só os países ricos, mas também os da América do Sul, como a Colômbia, Chile e o Brasil vêm incentivando a busca de outros modais de transporte, seja o modal coletivo de massa como metrô, Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) ou também o transporte individual que não polua, que não provoque congestionamento e ainda por cima seja saudável como a bicicleta.

É fundamental que o Poder Público faça seu papel constitucional de garantir a segurança no trânsito dessas pessoas que fazem a opção pela bicicleta o que está previsto no Artigo 1º do CTB e mais ainda incentivar para que possamos criar cidades sustentáveis onde as pessoas se locomovam sem tantos congestionamentos e acidentes como existem hoje”, enfatiza.

Travessia mais segura

Para atender à demanda de ciclistas no perímetro urbano de Goiânia, a Agetop implantou, em 2013 e 2014, ciclovias nas GOs 020 (que dá acesso ao município de Bela Vista), 060 (saída para Trindade) e a 403 (entre Goiânia e Senador Canedo), respectivamente com 52, 14,8 e 10 quilômetros de extensão. Todos os trechos foram duplicados e revitalizados com recursos do Programa Rodovida Construção ou Rodovida Reconstrução, ganharam sinalização e iluminação pública.

A GO-020, que foi duplicada, é um caminho muito utilizado para o treinamento e lazer de ciclistas amadores e de alto nível. Além disso, como lembra Horácio, as pistas também atendem moradores das áreas rurais que trabalham na capital. “É uma preocupação social de valorizar o ciclista tanto para a prática esportiva quanto para o deslocamento do trabalhador que nas áreas rurais faz a travessia desses trechos de bicicleta”, diz.

O presidente da Federação Goiana de Ciclismo, João Batista Alves dos Reis, pontua que na GO-020 já foram registrados acidentes graves, inclusive com mortes, envolvendo ciclistas. Uma das vítimas foi a campeã brasileira de ciclismo Clemilda Fernandes, atropelada por um caminhão em 2013. Mas a obra trouxe segurança e deu condições de treino aos atletas. “Para nós a estrutura é de primeira. Foi um projeto pioneiro, bem ousado e possibilita o treino dos nossos atletas que participam de competições”, declara.

Incentivo
Para 2015, o Detran pretende iniciar a implantação de ciclovias, ciclofaixas ou ciclorrotas (veja quadro abaixo) em cerca de 50 cidades goianas e também doar bicicletas para a população, a fim de incentivar a prática do ciclismo. Além disso, anualmente, o órgão promove passeios ciclísticos que reúnem, em média, mais de 3 mil participantes.

Goiânia 

Em Goiânia, a Prefeitura criou ou ainda criará corredores preferenciais para o transporte coletivo nas Avenidas T-7, T-9, T-63, 85, 24 de Outubro e Independência, totalizando mais de box_ciclovia_gabrielaR$ 145 milhões em recursos federais.

Conforme projeto, serão criadas ciclovias, ciclofaixas ou ciclorrotas ao longo da extensão da avenida e em vias adjacentes.

A Avenida 10, no Setor Sul, conhecida como Corredor Universitário, é um exemplo que pode ser citado, com 2,5 quilômetros de ciclovia devidamente sinalizada, mas que ainda está longe de receber um fluxo considerável de ciclistas. Eduardo, do Pedal Goiano, elogia a iniciativa do município, mas faz críticas. “Nossas cidades foram preparadas de forma a priorizar o carro.

Apesar de o Plano Diretor de Goiânia prever mais de 140 quilômetros de ciclovias, essa lei ainda não saiu do papel. A ciclovia tem que ser feita com base em um projeto cicloviário que as integre com os terminais de ônibus. Em Goiânia, temos os terminais de ônibus com bicicletários, mas não tem a estrutura para chegar lá”, pondera.

Fonte: Goiás Agora


Caldas Novas: o mais pujante polo turístico do interior do Brasil


A interiorização da presença humana no território brasileiro ainda é um processo que se intensifica desde meados do século passado. Já se passaram 514 anos desde a chegada dos portugueses, 192 da emancipação de nossos colonizadores e 125 anos da libertação dos grilhões do império, mas continuamos uma nação costeira. A ascensão de um polo turístico a 138 quilômetros de Goiânia, em pleno interior de Goiás, é um forte exemplo de que começamos a superar a concentração de destinos turísticos à beira-mar. Aos poucos, estamos explorando as paisagens e encantos do interior do 5º maior território do mundo e nesse cenário destaca-se Caldas Novas.

Conhecida internacionalmente por suas águas quentes, a cidade goiana já figura como o sétimo ponto turístico preferido pelos brasileiros. O destino oferece uma infraestrutura de hospedagem rica e diversificada, com muitas opções de entretenimento, impulsionada pelo mercado turístico nacional que vem crescendo nos últimos anos.

A região tem mais de 66.300 leitos e 16.021 apartamentos distribuídos entre cerca de 202 empreendimentos hoteleiros, resorts e pousadas. Amplo, o setor hoteleiro é composto por estabelecimentos com serviços de qualidade e eficiência, acolhendo cerca de um milhão de visitantes a cada ano. Por sua vez, para atrair ainda mais clientes, os empresários da região vêm investindo intensamente na profissionalização do atendimento aos turistas e em uma ampla divulgação que inclui a promoção de parques aquáticos.

Todas as mídias são contempladas: redes sociais, propagandas em rádio, televisão, impresso, internet, canais pagos e, também, as agências de viagens. O resultado é o crescente reconhecimento por parte da população de que há infraestrutura de qualidade longe da costa. Tanto é verdade, que boa parte da hotelaria local exibe taxas médias mensais de ocupação superiores a muitos resorts do litoral brasileiro – inclusive os do Nordeste.

Além de águas termais, a indústria turística regional tem explorado com sustentabilidade o Parque Estadual da Serra de Caldas Novas, criado para preservar a área de captação dos mananciais de águas quentes, proteger a mata do Cerrado e sua biodiversidade. Outro exemplo é o Lago de Corumbá, com 65 km² de superfície, foco de muitos investimentos imobiliários e apreciado pelos visitantes para a prática de esportes náuticos, passeios de barco, pesca esportiva e exploração de cachoeiras da região.

O Jardim Japonês, próximo ao centro da cidade, resgata o ambiente de paz e meditação dos monges budistas, mas a atividade turística vai além e se apresenta como uma das grandes propulsoras do florescente comércio de laticínios, moda praia, lembranças, doces e compotas e artesanato. Em complemento, ainda temos a Feira do Luar, que acontece entre sábado e segunda-feira, e traz ampla diversidade de bijuterias feitas com pedras brasileiras, sapatos, roupas e gastronomia típica da região.

O destino também apresenta opções adequadas para jovens, casais, famílias e aposentados – este último, inclusive, trata-se de um fiel público da região e encontra nas águas termais uma diversão saudável, calma e muito relaxante. Por outro lado, anualmente, a cidade recebe shows de música pop, geralmente realizados em alguns de seus grandes parques aquáticos, e mostra seu potencial para outras faixas etárias.

Assim como Caldas Novas, há vários polos turísticos em desenvolvimento em inúmeras regiões do interior do Brasil, mas nada, por hora, comparável à força do destino que ostenta um fluxo de visitantes em expansão – tanto advindos de excursões rodoviárias, milhares ao mês, como por via aérea, via aeroporto da cidade, que ostenta uma média de 5.300 desembarques mensais. Em suma, ciente da sua responsabilidade em uma nova tendência de interiorização do turismo no País, todos na cidade – poder público, setor privado e cidadãos – estão empenhados em acolher todos os visitantes com o máximo de eficiência, qualidade e respeito.

(Waldo Palmerston Xavier, diretor-presidente da Rede de Hotéis de Privé)

Fonte: DM


Museu Zoroastro Artiaga é reaberto ao público


O Museu Zoroastro Artiaga está reaberto à visitação publica. O local passou por restauro em sua estrutura física nos últimos meses. Os trabalhos de conservação continuam. Em estilo Art Déco, o museu foi construído em 1942 e leva o nome de seu fundador. Os objetos que constituem seu acervo refletem e demonstram aspectos da diversidade da cultura material e imaterial do Estado de Goiás. O museu funciona na Praça Cívica, nº 13, no Centro de Goiânia.

A unidade está funcionando em horários tradicionais, de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas, e aos sábados, domingos e feriados, das 9 às 15 horas, com ressalvas para os feriados de fim de ano. Nos dias 24 e 25, não haverá expediente, retomado no dia 26 de dezembro. O mesmo se dará nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro. O museu volta ao expediente normal no dia 2 de janeiro.

Fonte: Goiás Agora

23 de dezembro de 2014

Turismo Goiás: Boeing 737 no quintal de casa


Odontólogo quer transformar aeronave em atrativo para restaurante que será construído em Urutaí

Quem segue viagem pela GO-330 com certeza já se perguntou o que um avião de 32 metros e 35 toneladas faz parado na frente da sede de uma fazenda às margens da rodovia, logo na entrada do município de Urutaí (a 163 quilômetros de Goiânia). Isso porque há quase um ano, um Boeing 737-200 faz parte da decoração da propriedade do odontólogo Ailton Martins de Oliveira. A aeronave ainda passa por reparos, mas em breve deverá ganhar um espaço para exposição e, quem sabe, ser aberta para visitação.

A intenção do proprietário é construir um hangar para guardá-lo e, nas dependências do local, abrir um restaurante. A inspiração para essa ideia audaciosa e, no mínimo curiosa, começou há cerca de 20 anos, quando o já dentista começou com as primeiras aulas para se tornar também piloto. Depois de comandar um monomotor modelo Tupi, Ailton se apaixonou pela aviação e de lá para cá, já soma mais de 4 mil horas de voo. Ele possui, além do Boeing, outras três aeronaves – dois monomotores e um helicóptero – pilotadas por ele para trabalhar e também nas horas de lazer.

A aviação, além de hobbie, se tornou aliada no trabalho do odontólogo. Casado e pai de dois filhos, ele é proprietário de uma rede com 25 clínicas dentárias em 7 Estados. E a agilidade do voo permite que o dentista acompanhe o andamento das unidades de perto. E ele faz questão de continuar a atender pessoalmente os pacientes da cidade de Urutaí, onde nasceu e morou até os 18 anos. Filho de um vaqueiro e uma cozinheira que ainda moram na cidade, Ailton vai ao local semanalmente para visitar a família e três dias no mês para atendimentos à comunidade.

O Boeing 737-200 não tem condições de voar, apesar de estar com sua estrutura preservada. Do lado de dentro, conserva a cabine do piloto com todos os equipamentos de comando. Até um livro com o relatório do último voo realizado está guardado atrás do banco do piloto. As poltronas em couro azul, com carpete da mesma cor, também estão em boas condições. “Apesar de ter ficado parado por cerca de dez anos, é uma aeronave que merece ser restaurada para ser preservada”. diz.

CONTRASTE

A aeronave, que por enquanto ostenta apenas a cor branca e se destaca no meio do verde do pasto, contrasta com a realidade de uma pequena cidade de cerca de 3 mil habitantes, na Região Sul de Goiás. Os moradores do local já se acostumaram com a novidade, apesar de apontarem o dentista como “maluco” em alguns momentos. O borracheiro Marcelo Augusto Costa dos Santos, de 21, trabalha perto da fazenda do dentista. “Tem muita gente que para aqui para perguntar, saber por que o avião está ali e outros apenas param para fotografar.”

E a ideia de tornar o avião uma atração para a cidade anima o jovem. Ele diz que a localidade não possui muitos atrativos. “Quando queremos nos divertir, temos de ir para Ipameri ou Pires do Rio. Seria bom ter algo que trouxesse visitantes pra cá.” O odontólogo já tem o local que a aeronave deverá ficar em exposição. A área fica perto da fazenda e da entrada da cidade. O espaço deverá ser loteado e ter esse espaço reservado para lazer, com a implantação do hangar com a aeronave.

Existem alguns curiosos que perdem a vergonha e vão à fazenda para ver o avião de perto. Pai do odontólogo, Nadir de Oliveira, de 82, cuida da propriedade e já perdeu as contas de quantas pessoas foram ao local pedir informações e para tirar foto. “Acredito que são umas dez pessoas por dia”, estima. O vaqueiro aposentado cuida da fazenda e também duvidou que o filho compraria a aeronave. “É uma coisa que ele gosta, que o faz feliz, por isso não me meto, mas que é loucura, é”, diz.

TRANSPORTE

Depois de arrematar a aeronave, o odontólogo teve de resolver como faria o transporte. Informado de que teria 90 dias para retirar o avião do pátio do Aeroporto de Brasília (DF), ele precisou contratar equipe para desmontar e transportar as peças. As asas foram retiradas e dois caminhões realizaram a transferência. Foram quase três meses para desmontar e outros dois para remontá-lo na fazenda. O avião teve a antiga pintura retirada e, agora, recebe nova tinta. O próximo passo será aplicar duas faixas, uma azul e outra vermelha, em todo comprimento do avião para completar a reforma.

Intenção da compra foi comercial

Desde que ficou sabendo que os aviões da Vasp seriam colocados à venda, o odontólogo Ailton Martins de Oliveira se interessou pelo negócio. “Além de preservar um pouco da história da aviação no Brasil, pensei que um avião como esse pudesse ser algo interessante para ser visto.” Ele admite que também teve intenção comercial. “Claro que não faria essa aquisição para deixar guardado. Pode ser interessante e diferente para ser visitado, uma forma de lazer”, explica.

Questionado se ele se considera um dentista-piloto ou o contrário, Ailton pede um tempo para pensar. Segundo ele, tem amor semelhante às duas ocupações, mas depois de um tempo chega à conclusão de que ainda é dentista-piloto. “Mas nada impede que, em breve, me torne o contrário. Minha principal ocupação ainda é a odontologia, mas quando quero relaxar, é o avião que eu procuro.”

Fonte: Jornal O Popular (Cristiane Lima)


Natal debaixo de chuva em Goiás


Segundo o Simehgo, deve chover em todo o estado até sexta-feira

Para realizar a entrega de presentes em Goiás, o Papai Noel vai ter que usar uma eficiente capa de chuva vermelha, além das botas de galocha, que também servirão muito bem. Isto porque a previsão do tempo para todo o estado, até a próxima sexta-feira (26), é de chuva e possibilidades de tempestade.

De acordo com o meteorologista do Sistema de Meteorologia e Hidrologia do Estado de Goiás (Simehgo), Diego Simões Fernandes, o estado está sob uma zona de convergência de umidade, que causará chuvas e tempestade em pontos isolados durante todo o resto da semana.

“Se a zona continuar sob Goiás, as chuvas seguem até sexta-feira. Com isso, as temperaturas também ficam baixas”, diz Diego. Nesta terça-feira (23), a temperatura máxima registrada foi de 26 graus, enquanto a mínima ficou em 20 graus. “Nos próximos dias, a temperatura deve ficar similar a desta terça. No máximo, deve chegar a 28 graus devido ao abafamento por causa da umidade”, explica o meteorologista.

Ainda segundo Diego, o feriado de Natal também contará com nebulosidade e alta umidade. “Durante a manhã desta terça, registramos de 99 a 100 por cento de umidade. Já na tarde, chegou a 66%. A umidade não ficará mais baixa do que 60%”, conta.

As chuvas podem vir acompanhadas também por rajadas de ventos. “A previsão é para todo o estado e podem acontecer tempestades isoladas. Há a possibilidade também de rajadas de ventos devido a nuvens grandes”, conclui.

Se o seu presente ainda não está debaixo da árvore, resta torcer para que as renas voem acima das nuvens e para que o Papai Noel não tenha medo de se molhar. Além do que, vale lembrar que a temperatura mais baixa é ótima para se comer tudo o que estiver na mesa de Natal.

Fonte: Jornal O Hoje


Oscar Niemeyer supera em movimento de público, atividades e ações


Inaugurado em 31 de março de 2006, o Centro Cultural Oscar Niemeyer se tornou um centro de excelência da cultura goiana. Em 2014, os quatro prédios do conjunto arquitetônico assinado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, onde funcionam a Biblioteca, o Palácio da Música, o Monumento aos Direitos Humano, o Museu de Arte Contemporânea e onde está a Esplanada Juscelino Kubitschek receberam público de 570.449 pessoas, de janeiro a novembro. Em 2013, foram 273.724 computados os doze meses do ano.

“As diversas atividades culturais que por aqui passam são um demonstrativo da efervescência cultural goiana e da oportunidade de oferecermos o que há de melhor a quem dela necessita. O Centro Cultural Oscar Niemeyer não mediu esforços para vencer os entraves burocráticos e trazer alegria, lazer e entretenimento aos seus usuários”, comemora o Chefe do Gabinete Gestor do CCON, Nars Chaul, à frente do órgão desde a inauguração.

Através do Termo de Utilização de Uso (TAU), vários produtores, artistas, empresas, associações, entidades filantrópicas e segmentos do governo puderam, a preços módicos, usar os espaços do Palácio da Música Belkiss Spenzièri, do Monumento aos Direitos Humanos, do auditório Lygia Rassi e da Sala Célia Câmara, bem como do Museu de Arte Contemporânea e as das galerias DJ Oliveira e Cléber Gouvêa; igualmente do prédio da Biblioteca, incluindo nele eventos que ocorreram no restaurante panorâmico, no Auditório Tadeu Batista e nas salas de cinema Glauber Rocha e João Bênnio e na Esplanada Juscelino Kubistchek, além até mesmo do estacionamento.

No quadro abaixo a evolução da movimentação geral no CCON



Belkiss Spenzièri
O Palácio da Música Belkiss Spenzièri, recebeu no período de janeiro a novembro deste ano 47.630 pessoas. Dessas 5.800 compareceram a quatro eventos do Governo; 10.400, a shows diversos; 9.350, nas 18 apresentações da Orquestra Filarmônica de Goiás; e 10.080, em cinco palestras, seminários e cursos. Outras 12.000 assistiram a três festivais realizados ali.

No Monumento aos Direitos Humanos, onde se encontram as bibliotecas cultural, infantil e virtual, administração, cinemas, praça de alimentação, bar, cafeteria e lojas, o público total foi 8.700 pessoas. Elas estiveram em oito edições do Café de Ideias, 2.950 pessoas; três palestras, 750 pessoas; duas exposições na Sala Célia Câmara, 5.000 pessoas.

Biblioteca
Pelo prédio da Biblioteca passaram 3.500 pessoas, que compareceram a três palestras no Auditório Tadeu Batista, 400 pessoas; cinco eventos de dança no Pavimento Paulo Bertran, 1.150; a três casamentos no Restaurante Panorâmico, 1.100 e a duas festas, também no Restaurante Panorâmico, 850 pessoas.

Um total de 105 mil pessoas visitou o Museu de Arte Contemporânea e suas galerias. No MAC foram realizadas de junho a novembro quatro exposições, com comparecimento de 43 mil pessoas. Nas outras oito exposições realizadas nas Galerias DJ Oliveira, Cléber Gouvêa e a exposição do MAC no Hospital de Urgência de Goiânia, somaram-se 49.200 pessoas. As 10 edições da Feirinha do Oscar levou ao CCON público de 12.800 pessoas.

A Orquestra Filarmônica de Goiás, ligada ao CCON, fez de janeiro a novembro deste ano 44 apresentações em vários espaços de Goiânia para um público total de 21.630 pessoas.

Novidade
O ano de 2014 trouxe um público diferente para o CCON: skatistas, patinadores, ciclistas de todas as idades descobriram na Esplanada JK local ideal para a prática desses esportes. A movimentação acabou por atrair famílias inteiras que se divertem assistindo às acrobacias e manobras enquanto crianças brincam, andam de bicicletas e patinetes.  Também neste ano projeto desenvolvido pelo Centro Cultural Oscar Niemeyer para confecção de pipas, muita música e diversão levou novo público ao local, que abrigou também vários festivais, entre esses o Bananada 2014, um dos maiores eventos do rock alternativo em Goiás.

Fonte: Goiás Agora
Foto: Google Imagens


Bope de Goiás será equipado com veículo blindado usado pela SWAT americana


O Lenco Bearcat G3, das principais equipes táticas policiais dos Estados Unidos, pode transportar até 10 policiais e tem blindagem resistente a tiros de fuzis e metralhadoras

O recém-criado Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar de Goiás (PMGO) terá um reforço motorizado e tanto. O Estado comprou por R$ 1.474.000,00, conforme Pregão Eletrônico nº 165/2014, publicado em setembro deste ano, um blindado tático fabricado pela empresa americana Lenco, que vai fornecer à Secretaria de Segurança Pública (SSP-GO) a viatura Bearcat G3.

Trata-se de um veículo moderno que atualmente é empregado pelas equipes da SWAT — sigla em inglês para Special Weapons And Tactics (em tradução livre: Armas e Táticas Especiais) — dos principais departamentos de polícia e segurança dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Holanda. O carro também está em serviço em forças policiais de elite do Marrocos e da Jamaica, além de ser empregado pelo Exército, Corpo de Fuzileiros Navais e Força Aérea americana em serviços de proteção e patrulha de perímetros militares.

De acordo com o fabricante, o BearCat G3 fornece proteção blindada que resiste a rajada de tiros de diversos armamentos de grosso calibre, como o rifle semiautomático AK-47. Sua blindagem tem espessura 0,5 polegadas, e o piso é resistente a explosões. O carro é baseado no chassi do caminhão Ford F-550 Super Duty, com dois motores disponíveis: a gasolina V10 Triton ou um 6.7L Turbo Diesel.

O Bearcat G3 pode transportar confortavelmente uma equipe tática totalmente equipada de até 10 homens e pode portar armas pesadas por meio de uma escotilha em seu teto, como metralhadoras 7,62 milímetros ou ponto 50. Pelo fato do chassi ser bastante elevado em relação ao solo, a fabricante garante que o detalhe confere à viatura melhor desempenho off-road e manobrabilidade superiora.

O blindado que será fabricado nos Estados Unidos deve chegar às instalações do Bope em Goiânia até março de 2015. Com a aquisição, a PM goiana entra no seleto grupo de polícias militares que conta com uma unidade de operações especiais equipada com veículo blindado tático de última geração.

Geralmente, esses veículos são usados para transportar uma equipe tática em ocorrências de grande monta como assalto a bancos, explosão de caixas eletrônicos e infiltração em áreas dominadas pelo crime, cujos bandidos utilizam armamentos pesados que coloca em risco a vida do policial. No Bope do Rio de Janeiro, essas viaturas são popularmente conhecidas como “caveirões”.

Veja vídeo do Bearcat G3 em ação:

   


 Fonte: Jornal Opção


Segurança: Estado inaugura Centro de Triagem no Complexo Prisional de Aparecida






Espaço vai receber detentos de delegacias

Representando o governador Marconi Perillo, o secretário de Segurança Pública de Goiás, Joaquim Mesquita, inaugurou hoje (23/12) o Centro de Triagem Regional no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

A estrutura, conforme destacou o secretário em entrevista coletiva, é resultado de uma parceria entre as secretarias de Administração Penitenciária e Justiça (SAPeJUS) e de Segurança Pública (SSP).

"Esse espaço conta com 212 vagas que vão abrigar os presos que hoje estão em delegacias da Polícia Civil de Goiânia e de Aparecida de Goiânia", informou o secretário, destacando que a transferência dos detentos já seria iniciada nesta tarde. A obra de construção, segundo a SAPeJUS, custou R$ 6 milhões e demorou 12 meses para ser concluída.

Dividida por áreas, o centro conta com uma delegacia de capturas, alojamento de agentes e duas alas com 22 celas cada, sendo 20 coletivas e duas adaptadas para pessoas com necessidades especiais. O espaço conta ainda, entre outras coisas, com dois pátios de sol, uma cela de inclusão e outra de exclusão, muralha com seis metros de altura e quatro guaritas de vigilância.

Fonte: A Redação (Adriana Marinelli)


Governo abre mais de 6 mil vagas em concursos públicos


O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan), vai abrir mais de 6 mil vagas em 13 concursos públicos para contemplar diversas áreas da administração estadual. Os primeiros quatro editais foram publicados no final deste ano: Polícia Técnico Científica (auxiliar de autópsia, perito criminal e médico legista), Sapejus (agente de segurança prisional), Polícia Civil (papiloscopista) e Universidade Estadual de Goiás (UEG). Juntos, estes quatros concursos, cujas provas serão realizadas no próximo ano, ofereceram 1.365 vagas. Os demais editais serão publicados no início de 2015.

Divisão das vagas

A Escola de Governo Henrique Santillo da Segplan é a responsável pela organização dos concursos. Entre os certames anunciados, o maior número de vagas oferecidas é para a Secretaria de Educação (Seduc), com 4.582 vagas para professores. Em seguida, vem a Secretaria de Segurança Pública (Polícia Civil e Polícia Técnico Científica), com 560 vagas divididas entre os cargos de papiloscopista, auxiliar de autópsia, perito criminal e médico Legista.

Na Secretaria da Administração Penitenciária e Justiça (Sapejus), são oferecidas 305 vagas para o cargo de agente de segurança prisional e ainda mais 70 vagas para o Procon/Sapejus, nos cargos de técnico de defesa do consumidor, analista de defesa do consumidor e fiscal das relações de consumo.

As demais vagas estão distribuídas entre a Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop), com 8 vagas; Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR), com 22; Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg), com 72; Secretaria de Agricultura, Pecuária e Irrigação, com 40; Ipasgo, com 293; Metrobus, com 232 (já com previsão de abertura para mais vagas); e na Secretaria de Cultura (Secult), com 49.

Fonte: Goiás Agora