20 de dezembro de 2013

Rodovias federais: 3 trechos entre os mais violentos


Três trechos de 10 quilômetros cada da BR-153, BR-040 e BR-070 estão entre os 100 mais violentos em rodovias federais, conforme relação divulgada ontem pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em levantamento feito com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O trecho da BR-153 que vai do viaduto na GO-020, em Goiânia, até a região dos motéis, em Aparecida, aparece em 26º no ranking, com 397 acidentes, 147 feridos e 13 mortes somente neste ano. O trecho mais violento registrado pela PRF foi um da BR-101, no litoral sul de Santa Catarina, com 1049 acidentes, 516 feridos e 13 mortes.

Apesar de o trecho da BR-153 ser considerado o mais violento em Goiás, o da BR-070, em Cocalzinho de Goiás, teve 14 mortes neste ano e aparece como o 61º pior trecho. Já o da BR-040, na divisa com Minas Gerais, registrou 10 mortes e ficou em 33º. Em comum, os três trechos goianos contam com grande movimentação.

Ao todo, nos 100 trechos mais perigosos - que correspondem a um total de 1 mil quilômetros dos 68 mil quilômetros de BRs existentes, foram registradas 784 mortes e 14.613 feridos, em mais de 34,7 mil acidentes. De acordo com o Ministério da Justiça, isso representa 26,3% de todos os acidentes nas rodovias federais no país.

O chefe de comunicação da PRF em Goiás, inspetor Newton Moraes, contesta a informação de que o trecho entre Goiânia e Aparecida é o mais violento entre as BRs em Goiás porque o critério usado na relação divulgada ontem é com base em acidentes, mas se for considerar o de tragédias, todo o trecho entre Anápolis e Porangatu, para Moraes, é mais violento. “Só entre Ceres e Jaraguá, foram 50 mortes neste ano.”

O inspetor conta que o que mais preocupa a polícia rodoviária nestes trechos são os pedestres que não usam as passarelas e os motociclistas. Como a movimentação de carros e caminhões é grande, as chances de um acidente são maiores. “E qualquer imprudência do motociclista, ele paga com a vida”, comenta Moraes.

Fonte: Jornal O Popular