3 de dezembro de 2013

Leilão de trechos das BRs-060 e 153 tem cinco interessados


Vencedor, que será conhecido amanhã, deverá oferecer a menor tarifa de pedágio, cujo valor máximo foi fixado em R$ 5,94 por 100 quilômetros. Concessão será de 30 anos.

Cinco grupos apresentaram proposta no leilão de concessão de trecho de 1.177 quilômetros das rodovias BR-060/153/262 (DF/GO/MG), iniciado ontem. O vencedor será conhecido amanhã, com a abertura dos envelopes de proposta.

Segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), agência reguladora responsável pelo leilão, os cinco grupos que disputam a concessão são: Construtora Queiroz Galvão, Invepar, CCR, Triunfo Participações e Investimentos e um consórcio liderado pela Ecorodovias.

Vence quem oferecer a menor tarifa de pedágio, cujo valor máximo foi fixado em R$ 5,94 por 100 quilômetros.
O trecho da BR-060 concedido liga Brasília a Goiânia, passando por Anápolis, onde há um importante polo agroindustrial da Região Centro-Oeste, é um dos mais disputados. Nessa parte, a estrada já é duplicada.

O trecho da BR-153, que vai de Goiânia à divisa de Minas Gerais com São Paulo, tem sido cada vez mais usado para escoamento da produção agrícola da região e também está todo duplicado.

Já o trecho da BR-262, que passa pelo Triângulo Mineiro e vai até a região metropolitana de Belo Horizonte, tem alto fluxo de veículos por ligar duas regiões economicamente importantes do Estado. Terá de ser duplicado.

FÔLEGO MENOR

No primeiro leilão rodoviário promovido pelo governo federal neste ano, em setembro, foram oferecidos dois lotes. Apenas um atraiu interessados - a BR-050 (GO/MG), que foi disputada por oito grupos e vencido pelo consórcio Planalto. No leilão seguinte, o da BR-163 (MT), sete companhias concorreram.

O número menor de concorrentes neste leilão de agora começa a refletir problemas que vinham sendo apontados no programa de concessões federais por companhias interessadas, desde o início.

O primeiro é o número elevado de concessões em um curto espaço de tempo. As empresas não estão tendo tempo suficiente para fazer vários estudos e estão sendo obrigadas a focar em algumas concorrências.

Além disso, poucas empresas serão capazes de assumir várias concessões já que os programas de investimento preveem uso de grande volume de recursos num espaço de tempo pequeno, o que estaria além da capacidade da maioria das empresas.
A Odebrecht Transport, a Galvão Engenharia e um consórcio liderado pela Construtora Fidens, que participaram da concorrência da BR-163 na semana passada, não apresentaram proposta ontem.

A Odebrecht venceu a concorrência da BR-163 (MT) e do aeroporto do Galeão. O governo prevê a realização de mais dois leilões de rodovias neste ano: BR-163 (MS) e BR-040 (DF-MG). Para o início de 2014, ele ainda quer fazer pelo menos um leilão de ferrovia e cerca de 30 leilões de terminais portuários

AVALIAÇÃO

Mesmo com menos concorrentes, o resultado é considerado positivo pelo governo. A avaliação é que os cinco garantirão uma disputa forte, o que aumentará as chances de deságio elevado. Na BR-163, o desconto oferecido sobre a tarifa máxima foi de 52%. Na BR-050, em Goiás e Minas Gerais, leiloada em setembro, o deságio atingiu 42,38%.
Segundo fontes do setor privado, o lote de rodovias a ser leiloado amanhã é o último na prateleira do governo a despertar interesse certo.

Nos outros dois leilões programados para este ano, o da BR-163, no Mato Grosso do Sul, e da BR-040, em Minas Gerais e Goiás, há dúvidas se haverá propostas para esses. O próprio governo reconhece isso e a estratégia adotada foi oferecer primeiro os lotes mais atraentes.

DADOS

Nas três rodovias que vão a leilão, as duplicações são volumosas. Dos 1.176,5 quilômetros a serem concedidos, 528,7 já estão duplicados.

As três rodovias passam por 47 municípios. A concessão terá 30 anos e incluiu, além dos serviços de operação, conservação e manutenção, a implantação de melhorias e a ampliação de capacidade das rodovias.
A concessão abrange Brasília (DF) e, em Goiás, os municípios de Abadiânia, Alexânia, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Goianápolis, Goiânia, Goiatuba, Hidrolândia, Itumbiara, Morrinhos, Panamá, Piracanjuba, Professor Jamil, Santo Antônio do Descoberto e Terezópolis de Goiás.)

Fonte: Jornal O Popular