21 de novembro de 2013

PM adota nova medida para combater crimes


Expectativa é que o programa sirva para aproximar a PM da população. Efetivo terá 105 novos policiais.

Inspirado em um modelo já existente na Colômbia, o programa Ronda de Quarteirão foi lançado ontem pela Polícia Militar (PM) do Estado de Goiás. A ideia é proporcionar à sociedade maior sensação de segurança, com a presença de 105 novos policiais a partir de hoje nas principais avenidas e ruas comerciais de Goiânia, com foco nos setores Central e Campinas.

Os novos policiais estarão presentes nas ruas em horário comercial, em motocicletas caracterizadas na cor verde limão, a mesma utilizada no casaco e no capacete dos oficiais. Eles são egressos do Exército e foram treinados durante um mês por homens do Grupo de Intervenção Rápida e Ostensiva (Giro) antes de iniciar as atividades. No uniforme, o cidadão encontra o número de telefone oficial da PM, o 190, e também o número de celular do policial que está naquela motocicleta.

Segundo o comandante da PM, Sílvio Benedito Alves, o objetivo é aproximar os policiais da população e garantir a segurança de comerciantes e consumidores nos grandes centros comerciais da capital, além de facilitar o atendimento de ocorrências. Ele ressaltou que serão sempre os mesmos policiais que efetuarão as rondas nesses locais, o que permitirá maior interação com a comunidade. “Essa modalidade de policiamento é pioneira no País e a conhecemos em missão oficial na Colômbia, onde o modelo já foi implantado. É filosofia de polícia comunitária. Os policiais estarão mais próximos das pessoas que irão às compras, principalmente neste fim de ano”, explica o comandante.

A solenidade de lançamento foi realizada na Academia de Polícia Militar, no Setor Leste Universitário, com a presença do governador Marconi Perillo e do secretário de Segurança Pública, Joaquim Mesquita. Na ocasião, foram concedidas promoções a 132 policiais e bombeiros militares que trabalharam na operação do césio 137, em 1987, em Goiânia. Novos policiais militares, 80 no total, também foram formados.

Para Mesquita, esta é mais uma forma de combater a criminalidade e amplia a sensação de segurança para a população. “O policiamento ostensivo tem essa função”, afirma. O secretário disse também que esse modelo pode ser implantado nas grandes cidades goianas, já que nesses locais o trânsito é mais complicado e a motocicleta confere mais agilidade no atendimento das ocorrências.

Joaquim Mesquita informou ainda que o número de policiais na capital deve dobrar em novembro, inclusive com a compra das horas de folga dos policiais interessados por parte do Estado. “As escalas dos policiais configuram um turno de trabalho para quatro de folga. Temos a possibilidade de comprar pelo menos um turno adicional dessas folgas. Essa é a intenção e a determinação do governador para que eles possam trabalhar e tenhamos mais policiais nas ruas”, explica.

“União deveria financiar segurança”, diz governador

Em seu discurso, o governador Marconi Perillo ressaltou que a União concentra mais de 70% dos recursos públicos, mas que como ente federado não tem a obrigação de financiar a segurança nos estados e municípios. O governador defendeu a mudança nesse modelo, já que a responsabilidade fica apenas com os Estados, que possuem menos capacidade de investir.

Marconi Perillo se queixou ainda do que chamou de “frouxidão da lei”, já que, segundo ele, a polícia trabalha todos os dias prendendo criminosos, mas que acabam voltando para as ruas por determinações judiciais. Para ele, a legislação também precisa ser alterada nesse quesito. Uma das alterações defendidas pelo chefe do Poder Executivo estadual é a redução da maioridade penal, já que menores de idade cometem graves crimes com frequência.

Fonte: Jornal O Hoje