27 de novembro de 2013

Goiás tem novo Mapa da Regionalização do Turismo


O novo Mapa da Regionalização do Turismo em Goiás traz os 51 destinos turísticos divididos em dez regiões. Elaborado pela Goiás Turismo, o documento organiza o território goiano e amplia a oferta turística, além de qualificar e promover os destinos. As regiões foram definidas seguindo critérios do perfil de oferta turística, como vocação, cultura, economia e proximidade dos municípios que as compõem. O mapa segue as diretrizes do Ministério do Turismo (MTur).

O gerente de Relações Institucionais da Goiás Turismo e interlocutor estadual do Programa de Regionalização do Ministério do Turismo, Luciano Guimarães, explica que a agência redesenhou o novo mapa alterando algumas subdivisões. Como exemplo, ele cita a nova Região da Chapada dos Veadeiros. “A atual Região da Chapada dos Veadeiros antigamente chamada Reserva da Biosfera. Nós criamos uma nova divisão e passamos a chamá-la realmente de Região da Chapada dos Veadeiros devido ao apelo do nome do destino turístico.”

A nova divisão das regiões turísticas vai facilitar a destinação recursos federais e estaduais para o desenvolvimento dos municípios. “Ao reavaliar a vocação turística das cidades, o ordenamento territorial e o grau de desenvolvimento de cada uma delas, o Ministério do Turismo e a Goiás Turismo conseguem, dessa maneira, canalizar esforços para desenvolvê-las de forma mais eficiente. Na próxima semana, o MTur vai divulgar esse mapa nacionalmente e, no início de 2014, o Ministério vai categorizar os municípios. Cada um dos nossos 51 municípios terá uma nivelação, que varia de 1 a 3, de acordo com a realidade e a necessidade de  cada um. É exatamente essa nivelação que vai direcionar os investimentos das chamadas públicas do MTur e da Goiás Turismo”, explica Luciano Guimarães.

A cidade de Caldas Novas, com a definição dos níveis, deverá receber uma classificação de município pronto para ter suas atrações promovidas, logo receberá recursos para ações promocionais. Enquanto que município menos estruturados receberão outra nivelação que vão apontar que ele precisa receber recursos para uma melhor gestão turística do destino, inclusive para obras de infraestrutura.

Luciano Guimarães destaca ainda que, na outra ponta, o mapeamento facilita também o planejamento de viagem do turista. “O turista não vem de outros estados para conhecer apenas a cidade de Goiás. Ele aproveita também para conhecer Corumbá de Goiás e Pirenópolis, que estão na mesma região. A mesma coisa o turista que vem a Goiânia. ela pode esticar até Trindade e conhecer os santuários religiosos. Isso vai ajudar a ampliar a taxa de permanência do turista em Goiás. “

Fonte: Goiás Agora