24 de novembro de 2013

Chinesa Geely terá concessionária em Goiânia


A capital goiana ganhará mais uma concessionária de automóveis chineses. Em janeiro, o Grupo Cevel inaugura uma concessionária da marca Geely, na Rua 3 com Alameda dos Buritis, Setor Oeste. Em 2010, a Geely Motors adquiriu a sueca Volvo Cars, marca com os melhores índices de segurança e tecnologia automotiva do mundo.

Maior exportadora de veículos da China, a montadora está entre as 500 maiores empresas do mundo, segundo a revista Forbes, com faturamento anual de R$ 23 bilhões. Em 2012, a Geely superou a marca de mais de 900 mil unidades comercializadas.

A montadora tem oito fábricas na China e dois centros de desenvolvimento de novos produtos, além de ser proprietária da Manganese Bronze, montadora dos tradicionais táxis ingleses, e da DSI, segunda maior fabricante de câmbios automáticos do mundo.

DOIS MODELOS

No primeiro momento, a loja venderá o sedã EC-7, que será produzido na fábrica do Uruguai, inaugurada este ano, e chegará completo por R$ 49,9 mil. O modelo tem motor 1.8 com 138 cavalos de potência e sete opções de cores. Ainda no final do primeiro trimestre, chega o Geely GC2, um hatch compacto que terá motor 1.0 com 68 cavalos de potência, air bag duplo, freios ABS, bancos em couro e cinco opões de cores, por cerca de R$ 30 mil.

O presidente do Grupo Cevel, Jorge Wady Cecilio Filho, conta que optou pela marca para expandir a atuação do grupo diante da perspectiva dos chineses se tornarem líderes de mercado nos próximos anos. Além disso, segundo ele, o fato da montadora ser ligada à marca Volvo, famosa pela alta tecnologia, modernidade e segurança, fez seu conceito crescer mundialmente.

Jorge Cecílio também informa que a montadora já tem uma fábrica prevista para o Brasil em 2015, dando ainda mais segurança ao consumidor. Para instalar a concessionária Geely em Goiânia, o Grupo Cevel está investindo cerca de R$ 1 milhão.

De acordo com Jorge Cecílio, a perspectiva é vender 20 carros por mês no primeiro ano de atuação no mercado local, crescendo gradativamente até atingir a marca de 80 unidades mensais num período médio de três anos. A nova loja vai gerar, inicialmente, 15 empregos diretos.

Fonte: Jornal O Popular