30 de novembro de 2013

Petrobras reajusta gasolina e diesel


Novos preços já foram aplicados. Reajustes serão de 4% e 8% nas refinarias e pretendem atender à nova política de preços implementada pela estatal

A Petrobras anunciou ontem à noite a elevação do preço da gasolina nas refinarias em 4% e do diesel em 8%, já atendendo ao princípio de uma nova política de preços a ser implementada pela empresa. Pelos cálculos da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e Lubrificantes (Fecombustíveis), o reajuste da gasolina chegará à bomba dos postos amortizado e num nível próximo a 2% de aumento para o consumidor final.

Dois são os motivos: a mistura de 25% de etanol no produto e uma carga maior de tributos, que não serão corrigidos, do que os incidentes sobre o diesel. Para o diesel, a previsão é de um reajuste para as frotas, caminhoneiros e demais consumidores de 5% nos postos. O reajuste entrou em vigor às 0h de hoje, segundo fato relevante divulgado pela empresa.

O último reajuste da gasolina ocorreu no dia 30 de janeiro, um aumento de 6,6%. Já o diesel subiu 5,4% e mais 5% no dia 6 de março. Segundo a Petrobras, o reajuste busca alcançar “a convergência dos preços no Brasil” com os preços exercidos no mercado internacional.

O valor do reajuste, segundo a empresa, não inclui os tributos federais (PIS/Cofins e a Cide) e estaduais (ICMS). Hoje o ministro da Fazenda Guido Mantega, que preside o Conselho de Administração da Petrobras, esteve na sede da empresa, em São Paulo, reunido com o conselho, que definiu o valor do reajuste.

Etanol

O aumento de 4% no preço da gasolina comercializada na refinaria, anunciado ontem pela Petrobras após prolongadas discussões com o governo, poderia significar uma leve e pontual melhora na competitividade do etanol comparado com a gasolina, na avaliação da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). Mas a entidade destaca que o aumento de 8% no preço do óleo diesel, também anunciado, elimina qualquer benefício em potencial para o etanol que o aumento da gasolina pudesse produzir.

“O impacto da alta do diesel no custo de produção do etanol é muito significativo. Devido ao grau de mecanização hoje na atividade agrícola, o diesel mais caro afeta plantio, colheita, carregamento e transporte. É um dos insumos mais importantes para a produção do biocombustível de cana”, explica o diretor Técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues. Ele lembra também que o aumento no custo do diesel provoca alta nos custos de outros insumos importantes para a produção do etanol.

Os reajustes anunciados pela Petrobras também deixaram inalterado um dos maiores obstáculos para a ausência de investimentos na retomada do crescimento do setor sucroenergético brasileiro, que é a falta de previsibilidade na formação do preço da gasolina. A Petrobras informou que o Conselho de Administração da empresa aprovou a implementação de uma política de preços, mas por razões comerciais, os parâmetros da metodologia de precificação serão “estritamente internos à companhia”.

“Continuamos sem um sistema, uma fórmula com parâmetros claros e estáveis, que torne possível entender qual o embasamento para manter ou ajustar o preço da gasolina. Sem essa clareza e apenas com ajustes pontuais de forma aleatória, não é possível planejar um futuro com rentabilidade para o etanol,” explica o diretor da Unica.

Para a Unica, a pergunta que fica é a mesma que vem impedindo que o setor sucroenergético possa planejar ações futuras: afinal, quando acontecerá o próximo reajuste da gasolina?

“A Petrobras enfrenta aumentos em seus custos de produção de gasolina da mesma forma que o setor sucroenergético, que paga mais por insumos, equipamentos, salários mais altos, encargos e terras. A diferença é que as perdas da Petrobras são acomodadas pelo governo com dinheiro público, enquanto as perdas do setor sucroenergético resultam em prejuízo para as empresas que produzem etanol, e perdas para toda a sociedade, como o aumento nos custos da saúde pública e a piora na qualidade do ar com o aumento no uso da gasolina e diminuição no uso do etanol, principalmente nas áreas urbanas,” concluiu Rodrigues. (FP/Abr/Unica)

Fonte: Jornal O Hoje

Goiânia vai sediar maior evento da construção da AL


Capital vai receber pela segunda vez o Encontro Nacional da Indústria da Construção, que será realizado em maio de 2014

De 21 a 23 de maio de 2014, Goiânia vai sediar o 86º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic) e se transformará em um espaço nacional para o debate de ideias e soluções para toda a cadeia da construção. O Enic é promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), mas as entidades que capitanearam o evento para Goiás foram o Sindicato da Indústria da Construção do Estado de Goiás (Sinduscon) e a Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi), que depois de um hiato de dez anos vão realizar novamente o evento no Estado.

São esperados cerca de 1,5 mil pessoas, entre empresários da construção, da indústria e comércio de materiais, máquinas, agentes financeiros, políticos, acadêmicos entre outros. O objetivo do evento é avaliar o papel do setor no cenário nacional, propor boas práticas na gestão de pública e buscar soluções inovadoras para o mercado, por meio de debates, discussões e troca de experiências. Dentre uma das propostas do evento diante da presidente Dilma Rousseff sugerir que o programa Minha Casa Minha Vida se torne uma política de Estado.

O lançamento do 86º Enic foi realizado ontem em Goiânia, na presença de empresários, autoridades do setor e imprensa. O presidente do Sinduscon-GO, Carlos Alberto de Paula Moura Júnior, diz que ter um evento desse porte na capital é uma oportunidade para trazer as discussões para Goiás, bem como mostrar o Estado para o País, uma vez que o Enic é o maior evento do setor na América Latina. Moura também ressalta o quanto a realização desse evento é oportuna, uma vez que é ano de eleições e a ideia é construir uma plataforma de pautas, projetos e propor uma agenda positiva do segmento em consonância com as necessidades brasileira, de forma que promovam o desenvolvimento da cadeia da construção no País. “No Brasil e em Goiás, há um déficit muito grande na habitação, que precisa ser corrigido e essa é uma oportunidade de propor soluções. Estamos com as melhores expectativas em relação a este evento”, diz.

O representante da CBIC, o engenheiro Dilson Carlos Rehem, explica que as potencialidades da Região Centro-Oeste e o que ela representa para o Brasil deram a indicação de que o encontro de 2014 deveria ser em Goiás. Ele também ressaltou que a particularidade do congresso goiano será a pauta política. “Será um momento de refletir como a construção pensa o Brasil quais as propostas para dinamizar e otimizar o setor que é um dos mais importantes para o País. Tudo passa pela construção”, destaca.

Segundo dados da CBIC, a construção civil contribui com 5,8% do PIB nacional, toda a cadeia contribui com 9,2% e a indústria da construção é responsável por 22% do PIB brasileiro. Segundo Rehem, o setor da construção movimenta vários segmentos outros durante o ano e no longo prazo também, pois as grandes obras não se erguem em curto prazo.

O presidente da Ademi-GO, Ilézio Inácio Ferreira, o Estado de Goiás tem liderado o crescimento econômico no País – considerando proporcionalmente o PIB nacional –, bem como o número de contratações desde o ano passado. E segundo ele, em Goiás, está o maior exemplo do potencial de crescimento que o Brasil tem e essas são as justificativas para sediar o Enic. O empresário explica que com toda essa perda de competitividade por falta de investimento em infraestrutura, educação, mão de obra, tecnologia e recursos, os goianos tem se sobressaído e que ele espera que no evento estejam na cidade todas as pessoas que decidem. “Assim esperamos direcionar as discussões para o desenvolvimento sob o ponto de vista da construção”, diz.

Feira
Em paralelo com ao 86º Enic será realizada a Feira Internacional da Construção (Fecontech). O evento vai contar com 140 expositores dos mais diversos segmentos da cadeia da construção, que vai da automação aos insumos para construção. O público-alvo da Fecontech são todos os profissionais ligados a cadeia da construção.

Fonte: Jornal O Hoje

Juiz suspende abertura dos envelopes da licitação do VLT


Fernando de Mello Xavier acatou ação impetrada pela CR Almeida S/A Engenharia de Obras que apontou violações cometidas em alterações do edital
Thiago Burigato

O juiz Fernando de Mello Xavier, da 1ª Vara da Fazenda Pública Estadual, concedeu liminar nesta sexta-feira (29/11) determinando a suspensão da sessão pública de recebimento e abertura dos envelopes da licitação para a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Goiânia. O juiz acatou ação impetrada pela CR Almeida S/A Engenharia de Obras que apontou violações cometidas em alterações do edital.

O reclamante afirma que um “aviso de errata” datado de 22 de outubro modificou o edital divulgado no dia 3 daquele mês, alterando os requisitos de qualificação técnica dos concorrentes previstos. Anteriormente, o documento exigia “experiência anterior na operação de sistema metroviário de 145.000 passageiros por dia”, tendo a quantia sido reduzida para 115.000 passageiros por dia. O edital sofreu outra alteração no dia 13 de novembro, permitindo a contratação de instituição financeira para avaliar o plano de negócio dos proponentes.

Para o juiz, tais alterações violam o disposto em artigo da lei 8.666/1993, que prevê a necessária divulgação das modificações de igual forma que se deu o texto original, o que não ocorreu neste caso, tendo sido mantido o cronograma já estabelecido. Fernando Mello ressalta que as alterações foram substanciais, na medida em que propiciam a participação de um maior número de interessados, que não dispõem do mesmo prazo que os demais que já estavam habilitados.

Prevendo “risco de prejuízo irreparável ou de difícil reparação”, o juiz deferiu a liminar suspendendo a sessão pública de recebimento e abertura dos envelopes da licitação, que estava prevista para ocorrer na próxima terça-feira, 3 de dezembro. Por fim, o juiz concede o prazo de quinze dias para a apresentação do instrumento de mandato.

Fonte: Jornal Opção

Seleção Brasileira tem duas datas definidas para jogos pré-Copa na Arena Grêmio e Curitiba ou Goiânia


Que o Brasil fará outros dois amistosos após o jogo contra a África do Sul, antes do início da Copa, já não é novidade. O que falta agora é saber quem serão os adversários, pois as datas e ao menos um local estão definidos. Nos dias 4 e 7 de junho, a Seleção de Luiz Felipe Scolari jogará suas verdadeiras últimas partidas antes da estreia no Mundial.

Querendo repetir a vitoriosa rotina de 2002, quando levou os jogos decisivos contra Paraguai e Chile para o Sul do Brasil, vencendo e criando uma aura positiva. O jogo do dia 7, um sábado, possivelmente será na Arena do Grêmio; três dias antes, duas cidades disputam o privilégio de receber a Seleção: Curitiba e Goiânia.

Como os estádios da Copa já estarão à dispoção da Fifa, o jogo em Curitiba deverá ser no Couto Pereira, casa do Coritiba, e não na Arena da Baixada. No entanto, como o estádio coxa-branca também está em obras, a CBF e a organização do evento têm como plano B o Estádio Serra Dourada, em Goiânia.

Os adversários, ainda em período de definição, não serão nenhuma das 32 seleções classificadas para a Copa. Felipão já sinalizou que pretende pelo menos um grande adversário para os últimos testes. Entre os prováveis rivais, estão Suécia, Paraguai e Ucrânia.

Fonte: Esporte Terra

29 de novembro de 2013

Wanessa em Goiânia 2013 - DNA Tour


Data: 07/12/2013
Local: Boate Disel Lounge
Info: 3215 - 2307

Em dezembro, o show que conquistou Goiânia.

Show:

- Wanessa - DNA Tour

Ingressos:

Pista: R$ 40,00

Camarote: R$ 80,00
Open Bar (Cerveja Skol e Heineken, Coquetel de Furtas com Vodka, Água e Refrigerante)

Ingressos na Boate Disel Lounge

Proibido entrada de Menores de 18 anos.

Prefeitura de Goiânia quer reajuste de 25% a 33% para IPTU e ITU em 2014


O município estima aumentar a arrecadação em R$ 90 milhões para 2014. A proposta segue nesta quinta-feira para aprovação da Câmara Municipal. Oposição promete lutar para barrar o projeto.

O Paço Municipal envia para a Câmara nesta quinta-feira (28) o projeto de lei que reajusta dois dos impostos que mais arrecadam para o município, o Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e o Imposto Predial Urbano (ITU). O aumento para o próximo ano varia de 25% a 33%. O objetivo da proposta é aumentar a arrecadação.

O prefeito Paulo Garcia, assim como os técnicos da prefeitura, justifica o aumento dizendo que o valor é menor que o apresentado pela maioria das metrópoles brasileiras. Para encaminhar a aprovação na Câmara, o vice-prefeito, Agenor Marino (PMDB), que substituiu Paulo Garcia, se reuniu com vereadores da situação e da oposição.

Os vereadores terão até o dia 20 de dezembro para aprovação da proposta. Os votos da base aliada são suficientes para a aprovação do projeto. Dos 35 vereadores da Câmara, 21 compõem a bancada do prefeito Paulo Garcia. A oposição promete tentar barrar o projeto, e para isto tentará convencer alguns componentes da situação.

Caso o projeto seja aprovado, o município deve arrecadar aproximadamente mais R$ 90 milhões em 2014.

Reajuste regionalizado
A região que terá o maior aumento é a que está o Setor Central, Setor Sul, Oeste, Marista e bairros vizinhos que fazem parte da 1ª zona fiscal. Os moradores pagaram 33% a mais em 2014. A região composta pelo Setor Serrinha, Nova Suíço, Jardim América e vizinhança, terá o reajuste de 30%. Para a região onde estão os condomínios fechados e bairros próximos ao autódromo de Goiânia, o reajuste será de 27%.

A partir de 2015, o Paço Municipal quer implantar o imposto progressivo, no qual os imóveis de maior valor paguem o percentual acima dos demais.

Fonte: Portal 730

Parques nacionais vão receber R$ 10 milhões para obras e atrair turistas na Copa


Brasília – Dezesseis parques nacionais vão receber R$ 10,4 milhões do governo federal para obras emergenciais para receber um público maior a partir da Copa do Mundo de 2014. Os ministros do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e do Turismo, Gastão Vieira, visitaram hoje (28) o Parque Nacional de Brasília, conhecido como Água Mineral, que vai receber cerca de R$ 2 milhões para melhorar o acesso, o centro de atendimento ao turista, a sinalização e a manutenção das piscinas e dos banheiros.

A parceria entre os dois ministérios visa a estimular o turismo nas unidades de conservação de 2014 a 2020. Entre os contemplados estão o Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro; o Arquipélago de Fernando de Noronha, em Pernambuco; o Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná; a Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso; e a Chapada dos Veadeiros, em Goiás.

“O grande retorno é aumentar a competitividade do turismo brasileiro. Nesse primeiro momento, é um banho de loja, uma tentativa de dar mais conforto ao turista. Tivemos quase 7 milhões de visitantes nos parques nacionais. Precisamos nos preparar para tratar o turista bem”, disse o ministro.

Para a ministra Izabella, a parceria com o Ministério do Turismo representa um passo importante na consolidação dessas unidades de conservação, ainda pouco conhecidas da maioria dos brasileiros do ponto de vista turístico. No Parque Nacional de Brasília, por exemplo, disse a ministra, as pessoas só conhecem a parte das piscinas da Água Mineral, mas “o parque tem potencial para muito mais com suas trilhas”.

Sobre a falta de manutenção que têm assolado o parque, a ministra informou que “parte dos problemas encontrados era de gestão, houve uma troca de chefia e os contratos de manutenção estão sob revisão”.

“Estamos vivendo um momento de transição dos contratos. Isso impactou a prestação de serviços para os usuários. Nas últimas três semanas, a gente vem tendo dificuldade de prestar o serviço que prestávamos antes. Isso vai ser adequado nas próximas semanas”, disse o chefe do Parque Nacional de Brasília, Paulo Carneiro. Segundo ele, serão feitas obras emergenciais no piso da piscina Areal, que está fechada ao público, e nos banheiros da piscina Pedreira.

O Parque Nacional de Brasília, com cerca de 40 mil hectares, recebe 300 mil visitantes por ano. A unidade tem capacidade para receber até 3 mil pessoas por dia. Com os investimentos previstos, a ideia é aumentar a visitação para até 400 mil pessoas por ano.

Fonte: DM

Etanol sobe de R$ 1,97 para R$ 2,17 de um dia para o outro nos postos de Goiânia


O motorista goianiense recebeu uma má notícia logo no início da manhã de quinta-feira (28). Ao se dirigir aos postos de gasolina da capital, percebeu que o litro do etanol estava em torno de R$ 0,20 mais caro, pulando de R$ 1,97 para R$ 2,17.

O aumento no preço derrubou a competitividade do combustível com a gasolina, que custa em média R$ 2,97 o litro, mas percorre uma distância maior com a mesma quantidade. Desde 2012, esta situação não ocorria.

De acordo com o Centro de Estudos Avançados de Economia Aplicada (Cepea), desde o início deste mês de novembro, o etanol subiu de R$ 1,03 para R$ 1,16 na usina. O reajuste foi de 12,5%.

Ainda segundo o Cepea, de setembro até o último dia 22, o aumento foi de 23% no valor do combustível na usina. No mesmo período, etanol subiu 28% no valor final do produto. Enquanto o valor do produto teve reajuste de R$ 0,22 nos fabricantes, nas bombas o aumento foi de R$ 0,48.

Fonte: Portal 730

Confirmado: Elton John fará show em Goiânia em fevereiro de 2014


Depois de Paul McCartney, o britânico Elton John fará show em Goiânia em 2014. A apresentação que está prevista na capital para 21 de fevereiro será realizada no Estádio Serra Dourada, mesmo local que o ex-beatle cantou mais de 30 músicas para 40 mil pessoas, em maio de 2013.

A turnê de Elton John começará em Fortaleza, e passará também por Rio de Janeiro e Salvador. O cantor passou pelo Brasil neste ano com a turnê “40th anniversary of the Rocket Man”, com shows em São Paulo, Porto Alegre, Brasília e Belo Horizonte.

Serra Dourada

Ao mesmo tempo, o Estádio Serra Dourada tem possibilidade de reforma no primeiro semestre do próximo ano. Como já divulgado pelo Portal 730, em entrevista à Rádio 730, o administrador do estádio, Itamir Campos, afirma que a obra ainda não está confirmada, mas que pode ser iniciada em dezembro ou janeiro com previsão de conclusão até o fim da Copa do Mundo.

28 de novembro de 2013

Agetop mantém obras mesmo com chuvas


O presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Rincón, realizou na tarde de ontem, no auditório da própria agência, uma reunião com o diretor de Obras Rodoviárias, Marcos Musse, e representantes de empresas para tratar sobre o andamento das obras no período chuvoso.
Dar prosseguimento às obras rodoviárias do Rodovida Construção no período chuvoso sem comprometer a qualidade dos serviços é a estratégia adotada pela Agetop no final deste ano para impedir a paralisação dos trabalhos de pavimentação e duplicação.

De acordo com Jayme Rincón, as obras eram paralisadas por causa das chuvas e depois nunca mais eram recomeçadas, e este cenário ele não quer mais para as construções estaduais. “O governador Marconi Perillo nos determinou que buscássemos uma solução para que a população não sofresse com essa angústia de obras paralisadas”, frisou Rincón.

Das obras rodoviárias que estão em andamento no Estado, 33 não sofrerão nenhum tipo de paralisação, entre elas estão as duplicações das GOs 020, 040 (duplicação de um trecho e conclusão do viaduto do Madre Germana) e 070, além dos viadutos da GO-060 e GO-070. Os serviços de construção de pontes e bueiros também serão executados, assim como os serviços de limpeza de faixas de domínio, com remoção de materiais inservíveis e indesejáveis, desmatamento e remoção de árvores, arbustos, além de identificação de área com cascalho, com sua devida análise e execução de serviços de pavimentação em segmento já imprimado.

O presidente da Agetop acrescentou que “alguns tipos de serviços serão efetivamente paralisados em função das condições atmosféricas durante esse período de chuvas. Os serviços que forem possíveis, nós vamos continuar. Como exemplo eu cito as obras de arte, pontes, bueiros, a parte de topografia, remoção de cercas e serviços preliminares em obras novas que podem continuar nesse período.”

O presidente da Agetop afirmou que o Tesouro Estadual tem recursos garantidos para que todas as obras que foram iniciadas ou retomadas de governos anteriores sejam concluídas dentro do cronograma estabelecido nas licitações. “Todas essas obras serão concluídas neste governo. Não existe o risco de chegarmos ao final de 2014 com alguma obra sem conclusão”, frisou.

Balanço

Jayme Rincón fez um breve balanço das obras rodoviárias e civis em execução em todo o Estado de Goiás. “Em 2011, nós organizamos a casa porque o governo estava enfrentando muitas dificuldades. No ano de 2012 nós fizemos as licitações e o governador conseguiu os recursos. Não existe na história de Goiás um volume tão grande de obras sendo executadas. Estamos com as obras rigorosamente dentro do cronograma”, relata.

Entre as principais obras em andamento destacam-se o Centro de Excelência do Esporte, os Credeqs, o Hugo 2, IMLs, presídios, escolas, o Centro de Convenções de Anápolis, o Aeroporto de Cargas, a reforma do Autódromo Internacional de Goiânia, as duplicações de rodovias e a construção de viadutos. (Thais Vaz)

Fonte: Diário de Aparecida

José Eliton recebe investidores chineses


Diretores da Brazil Green Energy e JinggongGroup, que formam um grupo de empresas que está investindo em polos industriais nas cidades de Bela Vista e Uruaçu, foram recebidos ontem pelo vice-governador José Eliton para tratar de novos investimentos no Estado. O grupo é responsável por grandes obras na China, sendo que a mais conhecida por aqui é o Estádio Nacional da China – o Ninho dos Pássaros –, que foi palco das Olimpíadas de Pequim, em 2008. Durante a visita, os diretores anunciaram o interesse em investir em energia solar para o mercado aberto e a mudança da sede deles no País, que sai de São Paulo e vem para Goiânia.

O vice-governador destacou as potencialidades econômicas de Goiás e explicou o conceito do governo de Goiás, que aposta no desenvolvimento econômico para a melhoria da qualidade de vida da população. “Nós temos o Bolsa Futuro, que é o maior programa de qualificação profissional do Brasil, e o Bolsa Universitária, que permite o acesso de estudantes à universidade custeados pelo governo estadual. Goiás tem também a maior universidade estadual do País”, pontuou. Todos os programas preparam os futuros profissionais para as oportunidades que a política de incentivo fiscal deve promover com a chegada de novas indústrias.

Em setembro deste ano, o governo de Goiás assinou um protocolo de intenções com o Grupo Brazil Green Energy, que deve investir cerca de R$ 1 bilhão na construção de dois polos industriais de produtos ecológicos e energia renovável nas cidades de Bela Vista de Goiás e Uruaçu. Na reunião, o vice-presidente da Jinggong, Sr. Chen, manifestou interesse em ampliar os negócios no Estado na área de produção e comercialização de energia solar. “Nós gostamos muito do Estado de Goiás e temos a intenção de permanecer aqui. Nossa sede, que era em São Paulo, está sendo transferida e queremos que nosso grupo faça parte da vida local. Para isso vamos trazer novas tecnologias e projetos para Goiás.”

Os chineses trouxeram o designer que criou a planta industrial de Bela Vista para dar andamento no início das obras em Uruaçu, que, segundo eles, devem começar até janeiro. O presidente da Goiás Fomento, Luiz Maronezi, também participou da audiência ao lado dos diretores da Brazil Green Energy, YulingXiao e Zhi Xing LU, que querem “transformar o Brasil em uma nova China”.

Fonte: Diário de Aparecida

27 de novembro de 2013

Sapejus e Goiás Parceria anunciam abertura de PPP para construção de Complexo Prisional


Às 16 horas desta quarta-feira, dia 27, a Sapejus e a Goiás Parceria vão anunciar a abertura da Parceria Público-Privada (PPP) para a construção de um novo complexo prisional, que vai substituir o antigo Cepaigo, hoje Penitenciária Coronel Odenir Guimarães. Serão 1,6 mil vagas divididas em três unidades penais e uma de triagem (70 vagas). A expectativa é que, iniciadas as obras, o novo Complexo Prisional esteja pronto em dois anos. O lançamento será no auditório do Ipasgo, que fica na Avenida Radial, no Setor Pedro Ludovico, em Goiânia.

Com instalações modernas, mais funcionais e seguras e prioridade à estrutura de segurança, o projeto ainda dedica atenção especial no respeito aos direitos da pessoa humana (assistências médica e psicológica, alimentação, trabalho, estudo, etc). Goiás tem outras seis unidades em construção (quatro no Entorno do DF, uma em Anápolis e o Centro de Triagem em Aparecida de Goiânia) e, juntamente com esta nova PPP, serão abertas mais 3,2 mil vagas que  vão atender a boa parte da demanda do setor, hoje calculada em 5 mil vagas.

Fonte: Goiás Agora 

Goiás tem novo Mapa da Regionalização do Turismo


O novo Mapa da Regionalização do Turismo em Goiás traz os 51 destinos turísticos divididos em dez regiões. Elaborado pela Goiás Turismo, o documento organiza o território goiano e amplia a oferta turística, além de qualificar e promover os destinos. As regiões foram definidas seguindo critérios do perfil de oferta turística, como vocação, cultura, economia e proximidade dos municípios que as compõem. O mapa segue as diretrizes do Ministério do Turismo (MTur).

O gerente de Relações Institucionais da Goiás Turismo e interlocutor estadual do Programa de Regionalização do Ministério do Turismo, Luciano Guimarães, explica que a agência redesenhou o novo mapa alterando algumas subdivisões. Como exemplo, ele cita a nova Região da Chapada dos Veadeiros. “A atual Região da Chapada dos Veadeiros antigamente chamada Reserva da Biosfera. Nós criamos uma nova divisão e passamos a chamá-la realmente de Região da Chapada dos Veadeiros devido ao apelo do nome do destino turístico.”

A nova divisão das regiões turísticas vai facilitar a destinação recursos federais e estaduais para o desenvolvimento dos municípios. “Ao reavaliar a vocação turística das cidades, o ordenamento territorial e o grau de desenvolvimento de cada uma delas, o Ministério do Turismo e a Goiás Turismo conseguem, dessa maneira, canalizar esforços para desenvolvê-las de forma mais eficiente. Na próxima semana, o MTur vai divulgar esse mapa nacionalmente e, no início de 2014, o Ministério vai categorizar os municípios. Cada um dos nossos 51 municípios terá uma nivelação, que varia de 1 a 3, de acordo com a realidade e a necessidade de  cada um. É exatamente essa nivelação que vai direcionar os investimentos das chamadas públicas do MTur e da Goiás Turismo”, explica Luciano Guimarães.

A cidade de Caldas Novas, com a definição dos níveis, deverá receber uma classificação de município pronto para ter suas atrações promovidas, logo receberá recursos para ações promocionais. Enquanto que município menos estruturados receberão outra nivelação que vão apontar que ele precisa receber recursos para uma melhor gestão turística do destino, inclusive para obras de infraestrutura.

Luciano Guimarães destaca ainda que, na outra ponta, o mapeamento facilita também o planejamento de viagem do turista. “O turista não vem de outros estados para conhecer apenas a cidade de Goiás. Ele aproveita também para conhecer Corumbá de Goiás e Pirenópolis, que estão na mesma região. A mesma coisa o turista que vem a Goiânia. ela pode esticar até Trindade e conhecer os santuários religiosos. Isso vai ajudar a ampliar a taxa de permanência do turista em Goiás. “

Fonte: Goiás Agora

Copa 2014: Portugueses visitam CT em Goiânia


Uma semana após conseguir a classificação para a Copa do Mundo de 2014, com a vitória sobre a Suécia na repescagem das Eliminatórias Europeias, a seleção de Portugal já busca local para se hospedar no Brasil durante a competição.

Ontem, dois representantes da equipe – o diretor técnico Carlos Godinho e o auxiliar João Aroso – visitaram o Centro de Treinamento do Atlético, no Setor Urias Magalhães. Mas a seleção já estaria negociando sua hospedagem em Campinas (SP).

Fonte: Jornal O Popular

Ciams Fecha de Surpresa para Reforma


Secretaria Municipal de Saúde diz que unidade passará por reforma, que deve durar 60 dias. Pacientes são encaminhados para outros bairros.

A notícia de que o Centro Integrado de Assistência Médico Sanitária (Ciams) do Setor Urias Magalhães, na Região Norte de Goiânia, será fechado para reforma pegou muita gente de surpresa. Amanhã, representantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vão até o Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) para acertar a data de início da obra. A previsão é de que ela dure em torno de 60 dias e, no período, os pacientes acostumados a recorrer à unidade em situações de emergência terão de buscar atendimento nos Centros de Atendimento Integral à Saúde (Cais) dos Setores Campinas, Vila Nova e Jardim Guanabara 3. Conforme a Prefeitura, a assistência ambulatorial não será interrompida e continuará sendo feita no local.

Ontem O POPULAR visitou o Ciams e verificou que ainda existe muita falta de informação entre os funcionários. Isso foi perceptível por causa das versões destoantes que os pacientes receberam. Meio aos que sequer sabiam da obra, alguns saíram da unidade dizendo que ela ficará fechada por 45 dias, outros que todas as atividades serão paralisadas e teve até quem chegou a dizer que será fechado em definitivo.

O Ciams do Urias Magalhães é considerado referência na região, responsável pelo atendimento de boa parte da população da redondeza que depende do Sistema Único de Saúde (SUS), especialmente de crianças, gestantes e idosos. Apesar da ausência de certezas, um sentimento é quase unânime entre os pacientes, que expressaram preocupação frente aos transtornos que deverão ser enfrentados, alegando dificuldade de locomoção e costume com os funcionários do local. “Não falaram nada ainda para mim e eu dependo do Ciams para seguir com o meu tratamento. É muito difícil me locomover para outro local”, expressou a costureira Dayana Costa, de 27 anos.

Os médicos, enfermeiros e demais servidores serão remanejados para outras unidades, que é para onde os pacientes serão direcionados. Os Cais de Campinas e Vila Nova já começaram a recebê-los e, ao mesmo tempo, sentir o peso do aumento da demanda no setor de emergência, que é a área em que eles prestarão assistência no período de obra. O POPULAR esteve também nas duas unidades e observou que o movimento tem sido intenso.

No Cais Vila Nova, a direção expôs que já era comum receber moradores de localidades próximas ao Urias Magalhães e que, com o aumento de profissionais que serão transferidos para ajudar no atendimento, o impacto será pequeno. Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde explicou que a reforma será realizada pela Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) e será para trocar o telhado e fazer pequenos reparos na estrutura física. Disse, ainda, que o MP tem acompanhado de perto todas as obras realizadas nas unidades básicas para garantir a maior celeridade possível e minimizar os transtornos.

Fonte: Jornal O Popular 

26 de novembro de 2013

Governo vê obras adiantadas e planeja entrega do HUGO 2 para maio de 2014


O governo de Goiás analisa que as obras do Hospital de Urgências da Região Noroeste – Hugo 2 estão adiantadas. A nova unidade é construída no Setor Santos Dumont, em Goiânia, na saída para Inhumas. O custo total é de R$ 57,5 milhões, vindos do Tesouro Estadual, e a intenção é atender a população da região Noroeste da capital e as demandas do interior, seguindo altos padrões no atendimento.

O presidente da Agência Goiana de Transporte e Obras, AGETOP, Jayme Rincón, explica que o trabalho tem sido feito com agilidade e que deve ser encerrado em maio de 2014. “Nós estamos com as obras do HUGO 2 muito adiantadas. A nossa expectativa é que o governador Marconi Perillo entregue a obra até maio do próximo ano,” prevê.

O HUGO 2 terá área de 28 mil metros quadrados destinada a atendimentos de serviço médico de urgência, emergência e queimaduras. Serão terá 360 leitos, um heliponto, 1.000 vagas para estacionamento, auditório para 150 lugares, cinco pavimentos com enfermarias para internação, 40 leitos de UTIs, 10 leitos de observação, entre outras unidades.

Fonte: Portal 730

Macambira: Paço gasta R$ 1,8 mi com obra parada


A Prefeitura de Goiânia pagou no mês de julho quase R$ 130 mil de Unidade Padrão de Vencimento (UPV) para 41 servidores do Programa Urbano Ambiental Macambira Anicuns (Puama), que tem as obras paradas desde setembro do ano passado. Nos últimos 14 meses, foram gastos com a gratificação cerca de R$1,8 milhão. Conforme o documento a que O POPULAR teve acesso, os valores pagos variaram entre R$ 1.422 e R$ 4.266. A mulher do secretário de governo do Paço, Osmar Magalhães, está entre os que receberam o maior valor.

Coordenador do Puama, Denício Trindade afirma que os funcionários do programa continuam trabalhando normalmente e que o pagamento do benefício é legal. Ele acrescenta que quando assumiu a pasta, em 1º de fevereiro, a gratificação já existia. “Há um decreto do prefeito normatizando esta gratificação”, alega.

De acordo com o decreto, de 2010, o coordenador da pasta tem direito a 600 UPVs, o chefe de gabinete, 300, e especialistas e técnicos, 100. Uma UPV é R$ 14,22. Denício diz que nunca recebeu a gratificação. “Achei por bem não receber”, afirma. Segundo ele, seu chefe de gabinete também não.

O procurador-geral do Município, Carlos de Freitas, diz que a opção pelo pagamento das UPVs é usável na Prefeitura e se estende a outros órgãos. “Não existe ilegalidade em atribuir UPV porque ela consta no Estatuto dos Servidores Públicos de Goiânia. O fato de as obras estarem paradas não quer dizer que os funcionários não estão trabalhando”, declara.
Para o vereador Elias Vaz (PSB), que fará representação no Ministério Público do Estado questionando a gratificação, o pagamento de UPV é ilegal. “É inexplicável gastar quase R$ 2 milhões com o Macambira parado”, afirma. O reinício das obras está previsto para janeiro de 2014. Divergências relacionadas a custos levaram o Paço e a empresa executora do serviço a rescindirem o contrato.

Fonte: Jorna O Popular 

Huapa sofre com estrutura


Pacientes reclamam de demora no atendimento em casos de cirurgia e funcionário denuncia precariedades

Funcionários contratados sem carteira assinada, equipes médicas incompletas, falta de material reagente para identificar tipo sanguíneo, demora nos procedimentos cirúrgicos e aparelho de endoscopia que ficou sem funcionar entre o início de setembro e 19 de novembro. A realidade do Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa) é descrita por funcionários e pacientes como “terrível”.

Ontem, a reportagem do POPULAR tentou visitar o local para conversar com as pessoas que estavam aguardando por atendimento na recepção, mas foi impedida de entrar, não podendo passar sequer da guarita. A alegação da direção da unidade, sob responsabilidade da organização social Instituto de Gestão e Humanização (IGH) desde julho deste ano, foi a de que a visita só seria possível desde que acompanhada do diretor geral.

Do lado de fora, as pessoas que saíam do hospital expressaram alguns descontentamentos. Já era fim de tarde e o filho de 19 anos do eletricista Lindomar Patrício da Sílva tinha dado entrada no Huapa às 13 horas. O jovem passou o fim de semana sofrendo de apendicite e, ontem pela manhã, ele foi encaminhado do Cais do Setor Garavelo para o Hospital, onde deveria passar por uma cirurgia imediata. O procedimento foi feito, mas só aconteceu depois de longa espera. A família foi informada, ao chegar, de que o médico estava operando outro paciente e que restava ao rapaz aguardar na enfermaria.

Uma pessoa que trabalha na unidade conta que, assim que o IGH assumiu a administração do Huapa, os servidores da prefeitura de Aparecida que estavam à disposição do hospital foram devolvidos e parte dos que possuíam vínculo com o Estado por meio de aprovação em concurso pediram transferência para outro local. Hoje, segundo a denúncia, mesmo com os funcionários da organização social, ainda existem equipes incompletas, o que estaria prejudicando o atendimento.

Em resposta á reportagem, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) e o IGH defenderam que não existe equipe médica incompleta. Ao todo, seriam 121 médicos, número considerado suficiente para atender toda a demanda do hospital. Dentre eles, 30 são clínicos, 22 cirurgiões, 10 intensivistas, 25 ortopedistas, 15 bucomaxilos e oito pareceristas. Apesar dessa quantidade, no entanto, é corriqueiro encontrar exemplos de pacientes com problemas ortopédicos que não conseguem atendimento imediato.

Ontem à tarde, a separadora de indústria alimentícia Carina Januário, 27, levou o filho Levi Gabriel, de 6 anos, para trocar o gesso do braço porque estava apertado e ele reclamando de dor. Curiosamente, o gesso foi colocado pelos médicos do Huapa na quinta-feira (21), mas ontem ela teve que voltar para casa sem ter o problema solucionado. Enquanto a reportagem estava do lado de fora do hospital conversando com os pacientes, um servidor saiu e relatou, sem se identificar, que casos assim são comuns.

Em setembro, o aparelho de endoscopia estragou e só voltou a funcionar na semana passada. Outro obstáculo enfrentado está sendo a falta de substância reagente para identificar tipos sanguíneos. Conforme a denúncia, como as bolsas de sangue não estão tipadas, algumas cirurgias acabam sendo prejudicadas. Na resposta, o IGH explica que o contrato com o Hemocentro foi cancelado e que a empresa fabricante não está conseguindo fornecer a quantidade de reagente solicitada.

Na semana passada, o POPULAR mostrou a situação do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), cuja superlotação estaria sendo ocasionada pelo encaminhamento indevido de pacientes. Ontem, o diretor de Regulação, Avaliação e Controle da Prefeitura de Goiânia, Cláudio Tavares, acrescentou que outro agravante ao Hugo é o fato de o Huapa não realizar cirurgias ortopédicas. Parte da demanda da unidade de Aparecida estaria sendo encaminhada para a capital e contribuindo para a lotação.

Huana e Hurso: opções para desafogar Hugo

Representantes das secretarias municipal e estadual de Saúde e do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) se reuniram, ontem à tarde, no Ministério Público de Goiás (MP-GO) para discutirem uma solução para o hospital. Dentre as medidas sugeridas, consta a de maior comunicação entre a direção da unidade e a Diretoria de Regulação do município para evitar o encaminhamento indevido de pacientes. A ideia é que o Hugo passe a enviar relatórios frequentes sobre quais casos devem e não ser direcionados.

Além disso, a promotoria do Centro de Apoio Operacional (CAO) da Saúde sugeriu também que os hospitais de Urgências de Anápolis (Huana) e de Urgências da Região Sudoeste (Hurso) sejam as primeiras opções para os pacientes de municípios que ficam próximo, afim de evitar que eles sejam trazidos para Goiânia.

O Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin) também foi citado, mas ele está em processo de transição, com a abertura da seleção da organização social (OS) que vai administrá-lo. O Estado abriu o procedimento na quarta-feira (20) e a intenção é que o contrato siga as mesmas regras do Hugo e do Huapa.

Fonte: Jornal O Popular

Goiás é Show 2° Edição - 2014



Data: 26/04/2014
Local: Espaço Goiás (Aparecida de Goiânia)

Shows:

- Bruno e Marrone
- Victor e Léo
- Bell Marques
- Zé Ricardo e Thiago
- Michel Teló
- César Menotti e Fabiano

Ingressos em Breve

Escola no Bairro da Vitória vira mocó


Obras paralisadas há dois anos provocam questionamentos da população, que espera retomada. Agetop diz que foi realizada nova licitação para reinício

Moradores do Bairro da Vitória estão preocupados com a paralisação das obras de uma escola localizada no cruzamento das ruas A-7 e A-30. Eles relatam que operários não são vistos no local há mais de dois anos. Após o abandono, a quadra da escola tem servido de mocó para usuários de drogas e de habitação para moradores de rua. A Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop) informa que as obras foram paralisadas, mas devem ser retomadas em breve e que no local será construída uma escola de tempo integral com padrão século 21.

Um morador, que prefere não ser identificado, relata diversos furtos em frente à obra parada. Ele mora no bairro há cerca de 12 anos e comenta que os casos de pequenos crimes se tornaram frequentes há cerca de seis meses. “Como tem muitas árvores ao redor do colégio, fica escuro. Eles aproveitam o grande movimento, principalmente à noite, para furtarem celulares, bolsas, mochilas. Acredito que fazem isso para trocar os produtos por drogas”. Ele relata ainda que os homens pulam os muros sem dificuldade, já que a altura não impede a invasão.

Outra moradora reclama que já foi assaltada duas vezes quando voltava da escola. “Está tão perigoso que nem quem mora aqui fica na rua. Quando chego de ônibus, tenho que passar na rua da escola e sempre estou com medo. Não tem pra onde correr”. A mulher teme por crimes mais graves. “Eles entram pra escola, usam drogas, ficam doidos. A gente não sabe o que passa pela cabeça deles, nem o que querem. Um dia furtam, roubam e nada é feito para coibir. Tenho medo deles cometerem algo pior. A gente precisa de segurança”.

Chefe de comunicação da Polícia Militar (PM), tenente-coronel Divino Alves explica que, no caso desta escola, um ofício já foi encaminhado à Secretaria Estadual de Educação com solicitação de providências. “A PM tem feito varreduras em toda cidade e catalogando os prováveis mocós. A PM repassa esses dados para a prefeitura, que deve acionar o dono do imóvel para providências”. Ainda de acordo com o militar, em alguns casos, a demolição é o mais indicado. “Os proprietários de imóveis que estão em desuso devem ser responsabilizados pela falta de manutenção, já que são propriedade particulares”.

A Agetop, que é a responsável pela obra do Colégio Estadual Ismael Silva de Jesus, informou que por solicitação da empresa ganhadora da licitação, houve rescisão contratual da obra do colégio. A nota detalha ainda que, para que a obra tenha prosseguimento, a Agetop realizou nova licitação que foi homologada em 30 de outubro. Como o contrato já está na fase de assinatura, ela deve ser retomada em breve, assegura o órgão.

Casa teria servido de suporte para assalto

Na madrugada de domingo, uma quadrilha tentou roubar a agência da Caixa Econômica Federal da Avenida Goiás, no Centro de Goiânia. Conforme informações colhidas pela PM no local do crime, o grupo usou uma propriedade, vizinha à agência, como apoio para a prática criminosa, que acabou frustrada, pela presença de um vigia, que acionou a PM. Os suspeitos não teriam oferecido resistência e, na fuga, deixaram todo o material usado na ação.

Testemunhas relatam que cerca de oito homens estavam em duas caminhonetes, durante o crime. Três deles estariam com armas de grosso calibre. Eles teriam entrado no lote ao lado da agência, que é utilizado como estacionamento, e feito um buraco na parede. De acordo com a PM, o buraco foi feito onde não havia nenhum móvel recostado, do lado de dentro da agência. Isso, segundo a PM, demonstra conhecimento prévio do local.
Após se depararem com o vigia do local, os suspeitos fugiram e não foram presos. Os materiais abandonados pelos bandidos foram encaminhados para o grupo antirroubo a bancos da Delegacia de Investigação Criminal (Deic). A Polícia Federal (PF) deverá assumir o caso, por se tratar de tentativa de crime contra instituição federal.

Fonte: Jornal O Hoje

24 de novembro de 2013

Chinesa Geely terá concessionária em Goiânia


A capital goiana ganhará mais uma concessionária de automóveis chineses. Em janeiro, o Grupo Cevel inaugura uma concessionária da marca Geely, na Rua 3 com Alameda dos Buritis, Setor Oeste. Em 2010, a Geely Motors adquiriu a sueca Volvo Cars, marca com os melhores índices de segurança e tecnologia automotiva do mundo.

Maior exportadora de veículos da China, a montadora está entre as 500 maiores empresas do mundo, segundo a revista Forbes, com faturamento anual de R$ 23 bilhões. Em 2012, a Geely superou a marca de mais de 900 mil unidades comercializadas.

A montadora tem oito fábricas na China e dois centros de desenvolvimento de novos produtos, além de ser proprietária da Manganese Bronze, montadora dos tradicionais táxis ingleses, e da DSI, segunda maior fabricante de câmbios automáticos do mundo.

DOIS MODELOS

No primeiro momento, a loja venderá o sedã EC-7, que será produzido na fábrica do Uruguai, inaugurada este ano, e chegará completo por R$ 49,9 mil. O modelo tem motor 1.8 com 138 cavalos de potência e sete opções de cores. Ainda no final do primeiro trimestre, chega o Geely GC2, um hatch compacto que terá motor 1.0 com 68 cavalos de potência, air bag duplo, freios ABS, bancos em couro e cinco opões de cores, por cerca de R$ 30 mil.

O presidente do Grupo Cevel, Jorge Wady Cecilio Filho, conta que optou pela marca para expandir a atuação do grupo diante da perspectiva dos chineses se tornarem líderes de mercado nos próximos anos. Além disso, segundo ele, o fato da montadora ser ligada à marca Volvo, famosa pela alta tecnologia, modernidade e segurança, fez seu conceito crescer mundialmente.

Jorge Cecílio também informa que a montadora já tem uma fábrica prevista para o Brasil em 2015, dando ainda mais segurança ao consumidor. Para instalar a concessionária Geely em Goiânia, o Grupo Cevel está investindo cerca de R$ 1 milhão.

De acordo com Jorge Cecílio, a perspectiva é vender 20 carros por mês no primeiro ano de atuação no mercado local, crescendo gradativamente até atingir a marca de 80 unidades mensais num período médio de três anos. A nova loja vai gerar, inicialmente, 15 empregos diretos.

Fonte: Jornal O Popular

Sistema prisional: Aparecida tem 277 “Genoinos”


Complexo prisional abriga quase 300 detentos diagnosticados com as mais diferentes doenças.

Não é fácil padecer de uma enfermidade em qualquer circunstância, mas dentro do cárcere fica ainda mais difícil suportar as dores, os avanços de sintomas e obter tratamento adequado de saúde. Neste caso, os detentos ficam reféns de dois sistemas públicos que são historicamente deficientes, o carcerário e de saúde. O Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia abriga 277 presos diagnosticados como portadores de doenças, das mais variadas.

De patologias infectocontagiosas, como tuberculose e aids, a outras sexualmente transmissíveis, transtornos psiquiátricos, diabetes e hipertensão. Fora os resfriados e diarreias provocadas por contaminações. Os relatos são de que o atendimento melhorou, embora ainda esteja longe do ideal.

O Sistema Único de Saúde (SUS) não funciona da forma apropriada nem para quem está livre. Daí pode-se ter uma ideia do flagelo de quem foi condenado pela Justiça ou está preso enquanto responde judicialmente por um crime.

Nos últimos três anos, a administração penitenciária registrou três mortes causadas por doença dentro do complexo prisional. Duas na Casa de Prisão Provisória (CPP), ambas sem diagnóstico concluso da patologia, e uma na Penitenciária Odenir Guimarães, por complicações decorrentes da aids.
Ao todo, são três médicos assistindo a população carcerária do complexo prisional, composta por cerca de 4 mil homens e mulheres. Esses profissionais são clínicos gerais. Em um processo seletivo aberto em novembro do ano passado, apareceram três candidatos interessados nas 12 vagas destinadas a médicos, justamente o trio que trabalha atualmente no local.

Não há especialistas para cuidar dos nove presos da ala psiquiátrica. Nem ginecologista para atender quase 100 mulheres cumprindo pena na Penitenciária Feminina Consuelo Nasser. Pesquisa divulgada em agosto pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) revela que existem apenas 15 ginecologistas prestando atendimento às mais de 35 mil detentas brasileiras. A média é de um médico para cada 2,3 mil mulheres atrás das grades.

OSTOMIA

A situação mais delicada dentro do complexo prisional diz respeito aos seis reeducandos ostomizados. A ostomia é uma cirurgia que constrói um novo trajeto para saída das fezes ou da urina. Recomenda-se o procedimento geralmente em casos de câncer no intestino, para evitar infecções no local. Após o procedimento cirúrgico, os dejetos são evacuados por meio de uma bolsa coletora, externa ao corpo.
“O que mais me aflige são os pacientes com bolsa de colostomia. Falta higiene, as fezes ficam saindo, vazando. Isso causa mau cheiro e gera todo um constrangimento”, afirma Gilene Coelho Santos, da Pastoral Carcerária, que acompanha de perto o sistema penitenciário superlotado e insalubre.

Um dos presos ostomizados está há cinco anos com a mesma bolsa coletora, aguardando para ser trocada ou retirada de vez.

GRANDE DEMANDA

A demora, de acordo com a gerente de Assistência Biopsicossocial do Estado de Goiás, Renata Batista, deve-se a grande demanda do sistema de saúde. “É uma questão delicada a dos ostomizados, mas a gente tem que aguardar a regulação feita pelo município de Aparecida de Goiânia. Os casos são eletivos, não emergenciais”, afirma.

Ela explica que os pacientes ainda precisam fazer uma série de exames antes da cirurgia de retirada das bolsas coletoras. “Mas nem todos os casos são reversíveis. E existem bolsas para todos. Eles não ficam com as fezes para fora”, rebate.

Um mês à espera de cadeira

Com as duas pernas quebradas, um preso passou mais de um mês sem cadeira de rodas dentro do Núcleo de Custódia. Ele fraturou os membros durante sua recaptura, quando estava foragido, em de 23 de setembro desse ano. O acidente aconteceu quando ele bateu sua moto em um carro no Setor Buriti Sereno, em Aparecida de Goiânia.

Ao verificar a documentação do jovem de 20 anos, a Polícia Militar constatou que ele fugira da cadeia no dia 7 de setembro e que a motocicleta que usava tinha registro de roubo. O rapaz foi preso novamente. Ele foi encaminhado pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas como não tinha vaga, foi transferido para a enfermaria do complexo prisional. Dentro do presídio aguardou um longo tempo pelas cadeiras de banho e de rodas. Enquanto isso, se lavava no chão. Suas fezes escorriam para fora da cela.

Gerente de Assistência Biopsicossocial do Estado de Goiás, Renata Batista argumenta que o preso aguardou o tempo necessário para a indústria - que funciona dentro do complexo prisional e operada com a mão de obra dos próprios detentos - confeccionar as cadeiras.

Um outro presidiário está com uma hérnia inguinal no escroto. O inchaço é tanto que o edema é quase do tamanho de uma bola de futebol. Além da dor, o presidiário sofre o embaraço provocado por essa situação no convívio com os colegas. A explicação para a falta de atendimento a esse detento é a mesma: o tratamento é eletivo e falta capacidade ao SUS, cuja fila de espera obedece o mesmo ritmo de outros pacientes. A situação se tornaria emergencial na hipótese de haver rompimento da hérnia.

Atendimento particular para quem pode pagar

Nesse ano, a Secretaria da Administração Penitenciária e Justiça de Goiás (Sapejus) conseguiu um avanço em relação a assistência à saúde dos presos, que estão sob responsabilidade do Estado, obrigado constitucionalmente a fornecer atendimento. Um convênio da pasta com a rede municipal de saúde de Aparecida de Goiânia permitiu a confecção do cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) dentro do complexo prisional. A medida facilitou a entrada de presos no sistema, pois muitos não tinham o documento exigido.

Mas nem todos utilizam o SUS. Quem pode pagar consegue fazer tratamentos particulares, obedecendo um trâmite. Primeiro, o preso é encaminhado para a rede pública. Caso seja constatado que haverá demora em algum procedimento ou consulta, o condenado pode solicitar a liberação. A família negocia e paga diretamente para a clínica, sem mediação ou interferência da Sapejus.

Os familiares devem levar o recibo de pagamento com os dados da clínica para o presídio. E a secretaria agenda o atendimento, porque a família não pode saber a data do atendimento por questões de segurança. “A vantagem é a agilidade no atendimento, uma vez que há demanda muito grande no SUS e até mesmo nas clínicas particulares”, explica Renata Batista, gerente de Assistência Biopsicossocial do Estado de Goiás.

REGULAÇÃO

As internações ou consultas dos demais presos ocorrem de acordo com a regulação feita pelo município de Aparecida de Goiânia. Os casos podem ser encaminhados para hospitais públicos da região metropolitana da capital, transportados em ambulâncias do Samu.

Dentro do presídio, os médicos atendem em ambulatórios reformados, mas bem simples. Tem o básico: mesa, cadeira e armário. A fila para atendimento é grande, mas uma triagem ajuda a verificar a gravidade das condições de saúde de cada um.

“A enfermaria é precária, pois o presídio é uma construção antiga. Não tem chuveiro e a água fria sai por um cano. O vaso sanitário é daqueles no nível do chão”, descreve Gilene Coelho, da Pastoral Carcerária.
Por outro lado, ela reconhece que a situação vem melhorando. “Não faltam medicamentos na farmácia nos últimos tempos e dois farmacêuticos atuam no complexo prisional”, relata. O aspecto preventivo é o mais prejudicado, segundo Gilene. “Não se vê homens saindo para fazer exames de próstata, por exemplo”.

O secretário Edemundo Dias, da Secretaria da Administração Penitenciária e Justiça de Goiás (Sapejus), defende o atendimento oferecido aos presos. De acordo com ele, a assistência à saúde na penitenciária é a melhor do Brasil e destaca a contratação de quase 300 profissionais da área para atuar em todas as unidades prisionais do Estado.

Junta médica avalia saúde de petista

Brasília - Uma comissão de cinco médicos da Universidade de Brasília (UnB) e do Hospital Universitário de Brasília avaliou ontem o estado de saúde do deputado federal licenciado , José Genoino (PT), que está internado no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (IC-DF).

A junta, formada por determinação do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa (STF), chegou ao hospital no início da tarde. O chefe da junta, Luiz Fernando Junqueira Júnior, informou que o relatório dos médicos será encaminhado diretamente a Joaquim Barbosa, mas ele não estabeleceu um prazo. O médico não forneceu, tampouco, detalhes sobre a avaliação do deputado, argumentando que estava “cumprindo ordem judicial”.

Fonte: Jornal O Popular

Teatros: Palco movimentado, Goiânia abriga mais de 20 teatros


Goiânia abriga mais de 20 teatros, com programações voltadas para todos os gostos e idades e movimentação acima da média nacional em suas principais salas.

As luzes esmaecem, o burburinho vai parando até sumir, um sinal sonoro indica que já vai começar e, então, as cortinas se abrem para um contato próximo entre a realidade de quem assiste e a ficção de quem encena. A experiência de ver uma peça ou até mesmo um show dentro de um teatro é uma das relações mais íntimas da cultura. Em Goiânia não faltam espaços para quem se deleita com essas oportunidades. Ao todo, são mais de 20 estabelecimentos que recebem algum tipo de atividade cênica com programações voltadas para todos os gostos e idades.

O surgimento de novos espaços se deu por conta da demanda. Nos últimos 20 anos, o público das artes cênicas na cidade aumentou consideravelmente. Ainda não se pode falar em uma efervescência cultural, mas os números são positivos. Isso porque, levando em consideração que a média nacional é de 60 pessoas por espetáculo, conforme dados da Confederação Brasileira de Teatro, a capital apresenta um horizonte crescente, com quase todas as casas alcançando praticamente a lotação.

O Teatro Sesi, por exemplo, com capacidade para quase 650 pessoas, conta com uma média de 400 espectadores por encenação, segundo levantamento do diretor do espaço, Nilton Antônio Faleiro, o Teco. O Rio Vermelho, por sua vez, em 2012, recebeu quase 44 mil pessoas no ano, total de 1.500 por evento em uma plateia que comporta 2 mil lugares. O Teatro Goiânia, que reabriu as portas em setembro do ano passado depois de ficar três temporadas fechado, teve 280 espetáculos, com a presença média de 300 pessoas em cada um – o local tem pouco mais de 700 cadeiras.

PREÇOS POPULARES

Os fatores que levaram ao crescimento são os preços praticados – uma parcela significativa dos espetáculos tem ingressos populares ou entrada franca –, qualidade das produções, a variedade de casas e de grupos teatrais e pela presença frequente de artistas globais. “Temos boas montagens feitas aqui e bons grupos. Nos últimos anos, as companhias locais, principalmente de teatro e dança, conseguiram crescer em todos os sentidos. Isso faz com que a produção tenha tido uma crescente tanto em termos de qualidade como de quantidade”, frisa Carlos Brandão, diretor do Teatro Goiânia.

“Nos últimos dois anos triplicou a presença de público nos teatros. As casas estão quase sempre lotadas. O goiano tomou gosto pelo palco. Antigamente um jovem de 16 anos estranhava o assunto, não conhecia determinada peça, os atores, o espaço, mas hoje, por conta das redes sociais, ele está muito antenado, participativo e não deixa de comparecer nas peças e ainda leva a família e os amigos, virou uma teia cultural”, completa Eduardo de Souza, administrador do Madre Esperança Garrido.

Fonte: Jornal O Popular

Intimidação: Aprovada a inclusão do crime de bullying no Código Penal


A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou na última quarta-feira (20) proposta que inclui no Código Penal (Decreto-lei 2.848/40) o crime de intimidação vexatória (ou bullying).

O texto aprovado é o substitutivo do relator, deputado Assis do Couto (PT-PR), ao Projeto de Lei 1011/11, do deputado Fábio Faria (PSD-RN). O projeto original falava em intimidação escolar, porém o relator considera o termo intimidação vexatória mais abrangente. “A incidência dessas agressões não se dá exclusivamente no interior de estabelecimentos escolares”, argumenta.

Pela proposta, o crime consiste em intimidar, constranger, ofender, castigar, submeter, ridicularizar ou expor alguém, entre pares, a sofrimento físico ou moral, de forma reiterada. A pena prevista é de detenção de um a três anos e multa. Se o crime ocorrer em ambiente escolar, a pena será aumentada em 50%.

Cyberbullying

Se o crime for praticado por meio de comunicação (prática conhecida como cyberbullying), a pena será aumentada em dois terços. O cyberbullying não estava previsto na proposta original e foi incluído pelo relator. Se a vítima for deficiente físico ou mental, menor de 12 anos, ou se o crime ocorrer explicitando preconceito de raça, etnia, cor, religião, procedência, gênero, idade, orientação sexual ou aparência física, a pena será aplicada em dobro.

Se do crime de intimidação vexatória resultar lesão corporal ou sequela psicológica grave de natureza temporária, a pena será de reclusão de 1 a 5 anos. Se a lesão for de natureza permanente, a pena aumentará para reclusão de 2 a 8 anos. Já se a intimidação resultar em morte, a pena será de reclusão de 4 a 12 anos.

Em qualquer caso, o juiz poderá deixar de aplicar a pena se a própria vítima do bullying tiver provocado a intimidação, de forma reprovável.

Responsabilidade do diretor

Em seu primeiro substitutivo, o relator previa que o diretor de escola que deixasse de tomar as providências necessárias para cessar o bullying poderia ser responsabilizado e a ele seria aplicada a mesma pena prevista para o crime. Porém, nas negociações durante a votação, Assis do Couto optou por retirar essa responsabilização.

As informações são da Agência Câmara.

Fonte: Jornal O Popular

22 de novembro de 2013

Polícia Federal abre concurso público para preencher 566 vagas


A Polícia Federal (PF) abre concurso público para o preenchimento de 566 vagas de cadastro de formação de reserva. Estas são para o nível médio e superior. As remunerações variam entre R$ 3.316,77 a R$ 5.081,18.

As funções de nível superior são para administrador (curso superior de Administração), arquivista (curso superior de Arquivologia), assistente social (curso superior de Serviço Social), contador (curso superior de Ciências Contábeis e ou Ciências Atuariais) e psicólogo (curso superior de Psicologia). Todos os formandos têm de possuir bacharelado. O salário são de R$ 4.039,32.

As demais vagas de nível superior são para engenheiro civil (Engenharia Civil), engenheiro eletricista (Engenharia Elétrica), engenheiro mecânico (Engenharia Mecânica). Os salários dos engenheiros são de R$ 5.081,18.

Já, para o médio, o cargo é de agente administrativo. A remuneração é de R$ 3.316,77. As inscrições devem ser realizadas, através do site www.cespe.unb.br do dia 1 a 23 de dezembro. O valor das taxas são de R$ 60 reais para nível o médio e R$ 70 nível superior. A seleção será realizada em etapa única, sendo que as objetivas são para todos os cargos e a discursiva nível superior.

Fonte: Jornal O Hoje

Aparecida: Liberado R$ 8 milhões do PAC2


Durante reunião no Ministério das Cidades, em Brasília, o prefeito em exercício de Aparecida, Ozair José (PT), conseguiu a liberação de R$ 8 milhões do PAC 2 para a finalização da segunda etapa das obras de pavimentação dos bairros Cardoso, Cândido de Queiroz e Vila Maria. O saldo dos recursos do PAC 2 também será liberado para a continuidade das obras de implantação de esgoto e posterior pavimentação de mais cinco bairros em 2014. Além de reuniões no Ministério das Cidades, Ozair José conversou com o subchefe para Assuntos Federativos da Presidência, Olavo Noleto, e com a deputada federal Marina Sant’Anna (PT) sobre projetos a serem realizados na cidade.

“Solicitamos o pagamento destes recursos porque temos urgência em dar continuidade às obras nestes setores. Parte do que já foi feito nos bairros Cardoso, Vila Maria e Cândido de Queiroz foi danificada pelas fortes chuvas das últimas semanas e a empresa responsável pela implantação do esgoto nestes bairros teve um prejuízo de cerca de R$ 1 milhão”, explicou o prefeito em exercício de Aparecida ao pedir urgência no pagamento dos recursos na ordem de R$ 8 milhões do PAC 2. A solicitação foi atendida e liberada ontem.

Com o saldo destes recursos do PAC 2, a Prefeitura de Aparecida poderá dar continuidade à pavimentação de mais cinco bairros.

“Vamos, assim, concluir grande parte da pavimentação do Bairro Cardoso e levar o benefício, que inclui redes de água e esgoto, ao Bairro Itapuã e Jardim Primavera”, informou.

SUDECO

Acompanhado do deputado federal Rubens Otoni, Ozair José conseguiu o compromisso do novo superintendente da Sudeco, Cleber Ávila, de que no prazo máximo de dez dias diversos processos de Aparecida já terão um resultado positivo, inclusive com a assinatura de convênios para a liberação de recursos para obras. “Estes processos estavam parados há quase dois anos e conseguimos que tivessem andamento. Os recursos serão utilizados na construção de praças e na capacitação da indústria e comércio do município”, explicou o prefeito em exercício.

Fonte: Diário de Aparecida

Multinacionais querem vir para Aparecida


“Empresas como a IBM, Philips e Indra manifestaram o interesse de apresentar soluções inovadoras para a gestão de Aparecida. “A nossa gestão busca inovar para transformar a cidade e, sobretudo, melhorar a vida das pessoas”, anunciou o prefeito de Aparecida e vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos, Maguito Vilela, que participa em Barcelona da Smart World City durante esta semana.

O prefeito está em Barcelona desde o dia 17 de novembro participando do Congresso Mundial das Cidades Inteligentes como líder da delegação brasileira da Frente Nacional de Prefeitos.

Maguito Vilela, acompanhado do secretário de Governo e Integração Institucional de Aparecida, Euler de Morais, trabalha para trazer o Smart World City para o Brasil. “Nossa expectativa é de garantirmos a realização em Brasília deste importante congresso em abril de 2015, numa parceria da FNP e Fira Barcelona. Queremos realizar este grande evento juntamente com o Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável, promovido pela FNP”, informou Maguito Vilela.

Durante a estada na Espanha, Maguito Vilela tem divulgado as potencialidades de Aparecida por meio de um portfólio elaborado pelas secretarias de Comunicação e da Indústria e Comércio. O material bilíngue, em português e inglês, contém informações sobre a cidade e um videodocumentário que apresenta aos investidores a realidade econômica e social de Aparecida. “Entregamos o documento ao embaixador do Brasil, Sérgio Guerra, que ficou feliz pelo desenvolvimento da cidade e se comprometeu em colaborar com esse processo”, ressaltou o prefeito de Aparecida.

O material tem sido fundamental, segundo o secretário de Governo, Euler de Morais, para despertar o interesse das empresas multinacionais no município.

Entre as empresas que já demonstraram interesse em investir em Aparecida estão a IBM, na área de informática; Philips, com projetos de iluminação pública; e Indra, voltada para modernização da gestão e tecnologia. De acordo com o secretário de Governo, Euler de Morais, até o final de dezembro deve ser confirmada a data da visita técnica da Philips e da Indra, em janeiro de 2014. “Estamos analisando propostas de uma empresa brasileira para a modernização da iluminação pública e dos prédios públicos de Aparecida com o uso das lâmpadas LED, mas achamos importante ver o projeto que nos será apresentado pela Philips”, argumentou o prefeito Maguito Vilela.

“A nossa participação na Smart World City tem sido muito proveitosa. Fizemos diversos contatos com empresas multinacionais e já agendamos visita técnica para janeiro de 2014 com algumas empresas interessadas em desenvolver projetos nas áreas de resíduos sólidos, iluminação pública e modernização administrativa em Aparecida”, ressalta o prefeito e vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos, Maguito Vilela.

Conforme o secretário de Governo e Integração Institucional, Euler de Morais, a IBM tem interesse em aprimorar a Central de Videomonitoramento instalada pela Prefeitura de Aparecida e responsável pela redução da criminalidade na área monitorada.

Fonte: Diário de Aparecida

PIB de Goiás passa de R$ 111 bilhões em 2011


O IBGE e a Segplan divulgaram hoje o PIB consolidado de Goiás, soma de todas as riquezas do Estado, de 2011: a economia cresceu 6,7% e somou R$ 111,2 bilhões. Uma expansão bem acima da média nacional no período, que foi de 2,7%, atingindo um PIB nacional de R$ 4,1 trilhões. Apesar deste crescimento, Goiás ainda continua na nova posição do ranking dos Estados mais ricos do País, lugar que ocupa desde 2002.

Os destaques da economia goiana em 2011 foram a agropecuária, com expansão de 14,1%, o comércio (7%), a indústria (5,7%) e o setor de serviços (5,6%). O PIB per capita de Goiás fechou em R$ 18,2 mil, aumento de 5,3%, e passou a ser o 11º maior do País, subindo uma posição. Mas, ainda assim, é inferior ao PIB per capita nacional, de R$ 21,5 mil.

Fonte: Jornal O Popular

Vereadores denunciam superlotação do Hugo


Secretário estadual de Saúde rebate acusações ao dizer que município não cumpre sua função de gestor da saúde em Goiânia.

Imagens filmadas nos corredores do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) por vereadores mostram a superlotação e falta de estrutura para atender todos os internos na unidade. Pacientes em macas sem aparadores de soro, outros que não sabem quando farão cirurgia, foram ouvidos pelos membros da Câmara. O grupo pretende elaborar um dossiê e denunciar o atendimento do Hugo ao Ministério Público de Goiás (MP-GO).

Pacientes com fraturas falaram na gravação que estão sem condições de atendimento, que faltam médicos, objetos são roubados nos guarda-volumes e quem não é acompanhado por parentes ou amigos fica praticamente abandonado no Hugo. Uma das pessoas disse que o hospital foi “maquiado” para a visita do governador Marconi Perillo (PSDB), realizada na quarta-feira (20). O secretário estadual de Saúde, Antônio Faleiros, contestou a informação em entrevista à TV Anhanguera. “Você pode observar ali, se você quiser filmar, que nós temos mais de 30 câmeras no Hugo e o vereador viu todos esses pacientes da maneira como eles estão lá. É preferível eles estarem ali, mesmo que mal acomodados, do que irem para a rua ou para um hospital que não tem condição de atender um grande trauma.”

Para o vereador Felisberto Tavares (PT), o cidadão de Goiânia não pode ser tratado em um sistema de “tortura” como o do Hugo. “Um horror, um desrespeito total às pessoas que ali estão em busca de atendimento”, denunciou o parlamentar. Em resposta, o diretor do Hugo, Ciro Ricardo de Castro, declarou que “está havendo uma inversão total das responsabilidades”. “É o município de Goiânia que encaminha de maneira indiscriminada e irresponsável todos os pacientes para o Hugo para que a gente resolva o problema.”

De acordo com Ciro Ricardo, o hospital é regulado pelo município de Goiânia, já que a Prefeitura seria responsável pela gestão da saúde pública na capital. “O perfil do Hugo, a população tem que entender isso, é atender o grande trauma, que é atendido de imediato. Estamos fazendo em torno de 40, 50 cirurgias todos os dias”, respondeu o diretor.

Enquanto os vereadores estiveram no Hugo, o grupo ouviu reclamações dos pacientes que aguardam atendimento nos corredores. Tavares considerou a situação um “descalabro” com a população. Para o diretor do Hugo, a superlotação não é novidade para ninguém. “Uma parte a gente tem que atender e tem atendido de maneira eficiente. O problema é que o fluxo de demanda é bem maior do que a nossa capacidade”, disse Ciro Ricardo.

“Todos esses que reclamaram, eu não posso tirar a razão de ser desses que reclamaram.” Ao dizer isso à TV Anhanguera, o diretor do Hugo pediu que os mesmos vereadores que estiveram no Hugo visitem aos outras unidades de saúde pública, aquelas de socorro básico, como os Centros de Apoio Integral à Saúde (Cais) “para saber que todos estão quase que totalmente inoperantes”.

“Eu é que vou cobrar do MP”, diz Faleiros

Sobre o anúncio de que um dossiê será elaborado para denunciar a situação do Hugo ao Ministério Público, o secretário estadual de Saúde atacou a atitude. “Quero salientar também que tem um Termo de Ajustamento de Conduta, e eles falaram lá em encaminhar para o Ministério Público. Eu é que vou pedir para cobrar do Ministério Público para que cumpra esse Termo de Ajustamento de Conduta, de 2010.” Segundo o documento, devem ser encaminhados para o Hugo pacientes com o perfil de atendimento de competência da unidade e para os centros de saúde básica, como os Cais, pessoas que precisam de atendimentos considerados mais simples.

Tanto Faleiros quanto Ciro Ricardo afirmaram que a Organização Social responsável pela gestão do Hugo, Instituto de Gestão em Saúde (Gerir), tem atuado de forma eficiente e teria melhorado o funcionamento do hospital “da água para o vinho”. Segundo o diretor do Hugo, o perfil de atendimento da unidade seria de receber somente casos de traumatismos crânioencefálicos, fraturas expostas e pacientes com risco “iminente” de morte. Os demais deveriam ser atendidos pelos Cais.

Para o Estado e o diretor do Hugo, receber os pacientes, mesmo que não seja prioridade do perfil de atendimento do hospital, é um “preceito constitucional”. “Nós temos que atender”, disse Ciro Ricardo. Segundo o vereador Felisberto Tavares, as denúncias continuarão a ser feitas. “Nós não podemos nos calar neste momento”, afirmou Tavares.

Fonte: Jornal O Hoje

Grande Goiânia: BR-153 será iluminada


Um dos motivos dos acidentes no período noturno na BR-153 é a pouca iluminação que ela tem ao longo da Grande Goiânia. Há lugares totalmente isentos de lâmpadas, o que muito dificulta aos motoristas que trafegam por ela e também para aqueles que em perímetros urbanos precisam caminhar por ela.

Este trecho da BR-153 é considerado um dos mais perigosos do Brasil, tendo um alto índice de acidentes. Ele é também o principal caminho que liga a cidade de Goiânia a Aparecida de Goiânia.

Ciente de tal problema e disposto a mudar essa situação de uma vez por todas, o governador Marconi Perillo determinou que, através da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), fossem feitas a substituição e manutenção da iluminação da BR-153 do trecho Goiânia (Aldeia do Vale)-Aparecida de Goiânia. A obra está orçada em R$ 5,3 milhões e será concluída ainda este ano.

A iluminação ajudará a diminuir o grande número de acidentes no trecho, que atualmente registra 30% dos acidentes do Estado. Serão implantados 646 postes em uma extensão de 27 quilômetros. A manutenção, que ficará a cargo da Agetop, possui contrato de duração de 30 meses.

A Agetop solicitou ao Dnit autorização para elaborar e executar um projeto de iluminação em toda a extensão dessa parte da rodovia federal.

A Agetop definiu que o sistema de iluminação que implantará ao longo de todo o trecho urbano goianiense e aparecidense da BR-153 seguirá o mesmo alto padrão de qualidade do projeto que já implantou na nova Rodovia dos Romeiros (GO-060, entre a Capital e Trindade) e na duplicação da GO-070 (Goiânia–Inhumas), com características especiais como alta capacidade de iluminação e blindagem contra os roubos frequentes de fiação elétrica.

A previsão de entrega da obra por parte da Agetop é de que no máximo até o dia 20 de dezembro todo esse perímetro da BR-153 já esteja totalmente iluminado, evitando mais acidentes no período de férias, quando o número de carros que passam pela rodovia cresce substancialmente.

Fonte: Diário de Aparecida

21 de novembro de 2013

Governo incentivará estudantes a cursarem o francês e o espanhol


O Ministério da Educação (MEC) criará programas para incentivar estudantes a dominar um segundo idioma, com o objetivo de se candidatarem a uma bolsa pelo Programa Ciência sem Fronteiras. A ideia é que, além do Programa Inglês sem Fronteiras, já em vigor, os estudantes tenham a possibilidade de aprender o francês e o espanhol.

Os programas devem seguir o padrão adotado no idioma inglês, que começou a ser executado este ano. Podem participar estudantes de graduação e pós-graduação de universidades públicas e particulares que tenham alcançado no mínimo 600 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em edição posterior a 2009. Suas ações incluem a oferta de cursos à distância e presenciais além da aplicação de testes de proficiência.

Até o dia 29 de novembro, o Ciência sem Fronteiras recebe inscrições de interessados em fazer graduação sanduíche, quando o estudante cumpre metade do curso no Brasil e a outra metade no exterior. Nesta nova chamada, o programa oferece cursos em 20 países, entre eles a Austrália, a Nova Zelândia, o Canadá, os Estados Unidos, a China, a Coreia do Sul e o Japão.

O Programa Ciência sem Fronteiras também disponibiliza cursos na Alemanha, na Áustria, na Bélgica, na Espanha, na Finlândia, na França, na Holanda, na Hungria, na Irlanda, na Itália, na Noruega, no Reino Unido e na Suécia.

O programa objetiva promover a interação dos estudantes brasileiros com sistemas educacionais competitivos nas áreas de tecnologia e inovação e já superou a oferta de 59 mil bolsas de estudos. A bolsa concedida aos candidatos selecionados custeará a permanência do aluno pelo período de até 12 meses para estudos em tempo integral.

Fonte: Portal 730

Governo anuncia expansão do Eixo Anhanguera


O Governo de Goiás irá expandir o Eixo Anhanguera no Jardim das Oliveiras, Vera Cruz e Vila Mutirão. A obra deve ser concluída no próximo ano. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, dia 21, pelo governador Marconi Perillo durante inauguração da reforma do Terminal Padre Pelágio, em Goiânia. O governador também autorizou a Metrobus a comprar 35 ônibus que atuarão nesse trajeto. O recurso para a expansão já está em caixa. O Eixo Anhanguera recebe cerca de 240 mil passageiros por dia, e somente no Padre Pelágio são 80 mil.

“Vamos definitivamente integrar as populações de bairros mais periféricos ao Eixo Anhanguera”, destacou Marconi. O governador informou que o Estado está fazendo um intenso trabalho para melhorar o transporte público que é responsabilidade estadual (Eixo Anhanguera). O governador garantiu  ainda que a tarifa social será mantida, com o subsídio no preço da passagem.

A reforma realizada também contempla outros quatro terminais e 19 plataformas. Ao todo foram investidos cerca de R$ 1 milhão. “O objetivo do governo de uma maneira geral é qualificar todas as ações do governo, todos os órgãos, para que a prestação de serviços seja eficiente, profissional e de muita qualidade”, afirmou Perillo. Ele acrescentou que a orientação é requalificar todos esses espaços para que os usuários do transporte coletivo do Governo do Estado se sintam confortáveis, seguros e tenham acesso a um transporte que efetivamente cumpra sua missão. Cabe agora à prefeitura fazer os reparos no asfalto do Eixo.

Fonte: Goiás Agora

PM adota nova medida para combater crimes


Expectativa é que o programa sirva para aproximar a PM da população. Efetivo terá 105 novos policiais.

Inspirado em um modelo já existente na Colômbia, o programa Ronda de Quarteirão foi lançado ontem pela Polícia Militar (PM) do Estado de Goiás. A ideia é proporcionar à sociedade maior sensação de segurança, com a presença de 105 novos policiais a partir de hoje nas principais avenidas e ruas comerciais de Goiânia, com foco nos setores Central e Campinas.

Os novos policiais estarão presentes nas ruas em horário comercial, em motocicletas caracterizadas na cor verde limão, a mesma utilizada no casaco e no capacete dos oficiais. Eles são egressos do Exército e foram treinados durante um mês por homens do Grupo de Intervenção Rápida e Ostensiva (Giro) antes de iniciar as atividades. No uniforme, o cidadão encontra o número de telefone oficial da PM, o 190, e também o número de celular do policial que está naquela motocicleta.

Segundo o comandante da PM, Sílvio Benedito Alves, o objetivo é aproximar os policiais da população e garantir a segurança de comerciantes e consumidores nos grandes centros comerciais da capital, além de facilitar o atendimento de ocorrências. Ele ressaltou que serão sempre os mesmos policiais que efetuarão as rondas nesses locais, o que permitirá maior interação com a comunidade. “Essa modalidade de policiamento é pioneira no País e a conhecemos em missão oficial na Colômbia, onde o modelo já foi implantado. É filosofia de polícia comunitária. Os policiais estarão mais próximos das pessoas que irão às compras, principalmente neste fim de ano”, explica o comandante.

A solenidade de lançamento foi realizada na Academia de Polícia Militar, no Setor Leste Universitário, com a presença do governador Marconi Perillo e do secretário de Segurança Pública, Joaquim Mesquita. Na ocasião, foram concedidas promoções a 132 policiais e bombeiros militares que trabalharam na operação do césio 137, em 1987, em Goiânia. Novos policiais militares, 80 no total, também foram formados.

Para Mesquita, esta é mais uma forma de combater a criminalidade e amplia a sensação de segurança para a população. “O policiamento ostensivo tem essa função”, afirma. O secretário disse também que esse modelo pode ser implantado nas grandes cidades goianas, já que nesses locais o trânsito é mais complicado e a motocicleta confere mais agilidade no atendimento das ocorrências.

Joaquim Mesquita informou ainda que o número de policiais na capital deve dobrar em novembro, inclusive com a compra das horas de folga dos policiais interessados por parte do Estado. “As escalas dos policiais configuram um turno de trabalho para quatro de folga. Temos a possibilidade de comprar pelo menos um turno adicional dessas folgas. Essa é a intenção e a determinação do governador para que eles possam trabalhar e tenhamos mais policiais nas ruas”, explica.

“União deveria financiar segurança”, diz governador

Em seu discurso, o governador Marconi Perillo ressaltou que a União concentra mais de 70% dos recursos públicos, mas que como ente federado não tem a obrigação de financiar a segurança nos estados e municípios. O governador defendeu a mudança nesse modelo, já que a responsabilidade fica apenas com os Estados, que possuem menos capacidade de investir.

Marconi Perillo se queixou ainda do que chamou de “frouxidão da lei”, já que, segundo ele, a polícia trabalha todos os dias prendendo criminosos, mas que acabam voltando para as ruas por determinações judiciais. Para ele, a legislação também precisa ser alterada nesse quesito. Uma das alterações defendidas pelo chefe do Poder Executivo estadual é a redução da maioridade penal, já que menores de idade cometem graves crimes com frequência.

Fonte: Jornal O Hoje

20 de novembro de 2013

Concurso Prefeitura de Senador Canedo - GO


Concurso da Prefeitura de Senador Canedo, no estado de Goiás, abre 1.126 vagas para profissionais de todos os níveis escolares.

A Prefeitura de Senador Canedo, no estado de Goiás, publicou edital n° 002/2013 de concurso público, para o preenchimento de 1.126 vagas distribuídas entre cargos de níveis fundamental, médio e superior, com salários entre R$ 716,27 e R$ 2.232,42, por carga horária de 20 a 40 horas semanais.

As inscrições serão realizadas no período de 11 de dezembro de 2013 a 2 de janeiro de 2014, exclusivamente via internet, no site www.cs.ufg.br

Cargos e taxas de inscrição

Os valores das taxas de inscrição, conforme o cargo pretendido, são os seguintes:
- Auxiliar Administrativo, Auxiliar Educacional, e Auxiliar Operacional: R$ 35,81.
- Assistente de Saúde, Agente Educacional e Telefonista: R$ 38,80.
- Assistente Administrativo e Educador Social: R$ 41,78.
- Assistente Educacional: R$ 50,74.
- Assistente Operacional: R$ 52,50.
- Condutor de Veículos: R$ 53,72.
- Agente de Inspeção Sanitária e Operador de Máquinas: R$ 60,00.
- Fiscal de Saúde Pública, Fiscal de Serviços Urbanos, Fiscal de Tributos Municipais: R$ 90,97.
-Analista Jurídico, Analista Educacional, Analista de Saúde, Cirurgião-Dentista, Médico: R$ 111,62.

Provas
As provas objetivas serão aplicadas na data prevista de 02 de fevereiro de 2013. Os endereços dos locais das provas, assim como a confirmação da data e do horário, constarão do comunicado a ser impresso pelo candidato, por meio do site www.cs.ufg.br

De acordo com as informações, haverá prova prática para Assistente Operacional e Operador de Máquinas e prova de capacidade física para Auxiliar Administrativo, Auxiliar Educacional e Auxiliar Operacional, possivelmente entre 8 e 19 de março 2014.

O prazo de validade do concurso público será de 2 anos, contado a partir da data de homologação do certame (prevista para 30 de abril de 2014), podendo ser prorrogada uma única vez por igual período.

Fonte: Concursos no Brasil