23 de outubro de 2013

Quase metade dos moradores de Goiânia não nasceu na capital



A  população goianiense é praticamente toda urbana, com um dos maiores índices de urbanização do País (99,62%) sendo as mulheres maioria, representando 52,32%. Do total de seus habitantes, aproximadamente 48% não nasceram em Goiânia e mais de 25% nasceram em outra unidade da federação que não Goiás. Os dados são do novo Informe Técnico do Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos da Secretaria de Gestão e Planejamento.  As informações, segundo a Segplan,  comprovam que, além da heterogeneidade da população de Goiânia, a capital tem vocação hospitaleira e a capacidade de fixar aqueles que para ela se dirigem.

Planejada para 50 mil pessoas, 80 anos depois Goiânia já possui uma população de 1,3 milhão de habitantes. No processo de povoamento da capital, há que se destacar o salto ocorrido entre a década de 1960 e 1970, acarretado pelos impactos da modernização da agricultura em Goiás e pela implantação do Distrito Federal em território goiano. Atualmente, mais de um quinto da população goiana reside na capital.

Economicamente, a capital polariza as atividades no Estado, exercendo grande influência sobre praticamente todos os municípios goianos, além de polarizar algumas cidades nos Estados de Mato Grosso, Pará, Tocantins e Bahia. Goiânia tem se destacado nacionalmente pela qualidade de vida e pela elevada arborização da cidade.

 A capital goiana recebe diariamente um número grande de pessoas que para ela se desloca em virtude de trabalho ou educação. Assim, com esse movimento pendular, no período de apenas um dia, há uma expansão do número de indivíduos nos limites de Goiânia da ordem de 200 mil pessoas. Somando com aqueles que se deslocam para tratamento de saúde ou lazer, tem-se parte da explicação para o problema do transporte e da concentração de veículos na capital.

Em seus 80 anos, já não é aquela criança que Pedro Ludovico declamou no discurso de fundação oficial, mas ainda é jovem e permanece sendo o farol para o progresso de Goiás. Por isso, Goiânia tem muito a comemorar: está entre as capitais brasileiras que possuem melhor qualidade de vida.

Fonte: Goiás Agora
Foto: Rodrigo Rezende