15 de outubro de 2013

Avenida T-63: Ciclovia é dividida em 2 etapas


Proposta da Prefeitura é entregar a primeira parte até o dia 24. Trecho restante das obras não tem previsão para ser iniciado

Trecho da ciclovia, no Jardim América, está com as obras paradas. Sobre o Córrego Cascavel será instalada ponte metálica.

Com as obras da ciclovia da Avenida T-63 atrasadas em todas as partes, a Prefeitura fala em inaugurar uma “primeira etapa” até o aniversário de Goiânia, no próximo dia 24. O trecho prometido compreende a 3,3 quilômetros, saindo do Setor Parque Anhanguera e terminando na Praça Wilson Sales, no Setor Nova Suíça. O reinício das obras se deu na semana passada, com cerca de 15 funcionários da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semob) trabalhando em dois turnos. Os trabalhos na ciclovia da T-63 estavam parados desde o início de julho.

Até agora, apenas servidores especialistas em marcenaria têm atuado na ciclovia. O serviço tem sido a marcação, com madeiras, da pista por onde passarão as bicicletas. No final da tarde de ontem, o madeiramento havia sido feito em uma quadra e meia da Avenida T-63, ou seja, mais de 2 quilômetros ainda faltam ser marcadas. Após isso, o trecho recebe o asfaltamento já pigmentado e, posteriormente, as sinalizações e pinturas.

A assessoria de imprensa da Semob salienta que promete apenas a finalização da sua parte para o dia 24 deste mês. A ciclovia se trata de uma obra conjunta, cujo projeto é realizado pela Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC). Coordenador de Corredores Preferenciais e Bicicletas Públicas da CMTC, Sávio Afonso afirma que todo o projeto já foi finalizado e entregue, restando apenas a obra, de responsabilidade da Semob. Após isso, a Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT) deve fazer a sinalização da ciclovia.

Uma ponte metálica, feita com materiais reaproveitados na Semob, ainda será implantada na transposição ao Córrego Cascavel, enquanto uma ciclorrota será feita no viaduto. No entanto, para a primeira etapa, apenas a ponte será implantada. Afonso conta ainda que a Comurg também já realiza a revitalização da Praça Wilson Sales, onde será instalado um paraciclo, que é uma espécie de estacionamento para as bicicletas, com maior segurança.

No trecho já finalizado, com 700 metros, não há o uso por ciclistas e a pista já sofre deteriorações. Ao todo, a ciclovia terá cerca de 11 quilômetros, ao custo de R$ 3,3 milhões do Tesouro Municipal. Ainda não há qualquer previsão para o que seria a segunda etapa da obra, que seria até o fim da Avenida T-63.

Fonte: Jornal O Popular