19 de setembro de 2013

Retomadas as obras no Santa Genoveva


Ao custo total de R$ 246 milhões, obra é esperada desde a paralisação há sete anos. Novo terminal permitirá receber mais de 8 milhões de passageiros por ano.

Prazo para término do novo terminal é de 18 meses, com nova ampliação prevista para 2020

Sete anos após paralisação das obras do novo terminal de passageiros do Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia, a ordem de serviço para a retomada será assinada hoje, iniciando-se assim um prazo de 18 meses para a execução do novo prédio. A solenidade de assinatura, às 10 horas, no pátio do aeroporto, contará com a presença do ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República (SAC/PR), Moreira Franco, além do presidente da Infraero, Gustavo do Vale, o governador do Estado, Marconi Perillo, representantes da Prefeitura de Goiânia, parlamentares e membros da sociedade civil.

Ao todo, R$ 246,2 milhões serão investidos nas novas instalações, que devem ser concluídas em março de 2015, pelo consórcio Via/Odebrecht. O mesmo consórcio é o que coordenava as obras até 2007, quando o Tribunal de Contas da União (TCU) apontou indícios de superfaturamento e determinou a retenção de 20,2% dos valores que seriam pagos. As empreiteiras decidiram então parar os trabalhos, após entrar com ações judiciais contra a Infraero e a União. Depois de sucessivas tratativas, a Infraero e o consórcio encaminharam ao TCU atualizações dos projetos e o novo orçamento da obra. Em julho, o TCU autorizou a retomada.

Conforme informações da Infraero, o novo terminal de passageiros do Aeroporto de Goiânia terá dois andares e 34,1 mil m², que abrigarão quatro pontes de embarque, 23 balcões de check-in, 11 elevadores, quatro escadas rolantes, três esteiras de restituição de bagagem e sete canais de inspeção (raio X e detector de metal).

Quando concluído, o novo terminal permitirá ao Aeroporto de Goiânia receber até 8,6 milhões de passageiros por ano. A capacidade atual é de 3,5 milhões de passageiros ao ano, em uma área de 7.571 m². Os passageiros também terão à disposição cerca de 60 pontos comerciais, entre lojas de roupas, acessórios, alimentação, serviços, etc.

Paralelamente à construção do novo terminal, a Infraero e o consórcio Via/Odebrecht estão trabalhando para atualizar e complementar as pistas de taxiamento, pátio de aeronaves e estacionamento de veículos. Os documentos necessários deverão ser enviados ao TCU para análise até o final deste ano. Caso sejam aprovados, essa infraestrutura também será executada pelo consórcio e estará pronta juntamente com o terminal.

Ao final das obras, o terminal do Santa Genoveva terá uma infraestrutura capaz de receber 11 aeronaves no pátio (atualmente são 6), sendo quatro em pontes de embarque, e um estacionamento de veículos com 682 vagas – contra as 589 atuais.

Ampliação em 2020
Mesmo com a ordem de serviço assinada ontem, a construção do novo terminal já apresenta um outro projeto de expansão, de mais 7.015 m², com capacidade para mais 2 milhões de passageiros ao ano. Esta nova etapa tem previsão de ser concluída em 2020. Uma nova licitação será realizada pela Infraero, pois os projetos e orçamento estão em elaboração pelo consórcio Via/Odebrecht.

Fonte: Jornal O Hoje