Circo Chinês: Goiânia recebe atração internacional

20:15 1 Comments A+ a-


A magia do tradicional circo chinês volta após cinco anos para encantar o público goiano.

O Circo Nacional da China fará apresentações hoje e amanhã, no Teatro Rio Vermelho. O grupo está com a nova turnê A Bela Adormecida e já passou por países como Argentina, Chile, Paraguai e agora chega ao Brasil. Goiânia, claro, não poderia ficar de fora.

A expectativa era que mais de trinta cidades brasileiras recebessem o circo, mas, de acordo com a organização do evento, apenas nove municípios vão ter o privilégio de assistir o espetáculo. A Capital goiana, Campo Grande (MT), Santos (SP), Campinas (SP), Maceió (AL), Salvador (BA), Recife (PE), Belo Horizonte (MG) e Porto Alegre (RS).

A proposta desta nova turnê é recriar com harmonia os mistérios do clássico conto de fadas, que mostra a história infantil de uma linda princesa enfeitiçada por um sono eterno, mas que é salva por um apaixonado príncipe encantado.

Os artistas aproveitam o tema lúdico, se transformam nos personagens desta tradicional fábula e ainda revelam uma releitura que conscientiza adultos e crianças sobre a valorização da natureza.

Emoção, fascínio, encanto e beleza. Estes são alguns dos motivos que têm levado plateias enormes às apresentações de uma das companhias circenses mais respeitadas do mundo, composta por acrobatas, bailarinos, equilibristas e contorcionistas.

Histórico

Documentos e registros mostram que a China é uma das civilizações mais antigas do mundo com existência contínua. Influências culturais e políticas vindas de toda Ásia e mais tarde, também, da Europa, fundiram-se para criar a atual imagem da cultura chinesa.

Mesmo com o advento das novas tecnologias, o país preserva em manuscritos e desenhos 3 mil anos da história de seu circo. Contorcionistas e equilibristas se apresentavam para as autoridades monárquicas da época. Considerada, portanto, uma tradição milenar, foi calcada na habilidade de seus artistas em levar emoção e diversão às pessoas.

Reinventar antigas tradições e criar novos números se tornou o objetivo do Circo Nacional da China, que tem na arte circense de acrobacias uma paixão nacional comparável ao futebol no Brasil. E é na produção desses espetáculos que a Cia encontrou uma maneira de provar que é possível, sim, ocidentalizar sua arte na conquista de novos públicos, sem perder sua identidade.

Com mais de 50 anos de estrada, é natural que poucos são os lugares onde eles ainda não passaram. Com frequência realizam turnês pela Europa, Américas e Ásia. A companhia já passou por muitos países, como Alemanha, Dinamarca, França, Turquia, Canadá, Estados Unidos e México.

Há cinco anos o Circo da China esteve no Brasil com a maior turnê já realizada em nosso País, onde percorreu cerca de 30 cidades. Inclusive  esteve na Capital. Naquele ano, o Goiânia Arena serviu de palco para o megasucesso das apresentações.

Curiosidades

A trajetória do grupo já rende muitos parágrafos. Desde cedo, as famílias chinesas encaminham para as escolas de arte suas crianças. Os ginastas do circo iniciam o treinamento aos cinco anos de idade com ensaios de até doze horas diárias e ainda, para a estreia como integrante do grupo chegam a treinar dez anos.

O elenco é formado por jovens profissionais, com idade entre 13 e 20 anos. No total são mais de quarenta pessoas trabalhando para que o espetáculo tenha um bom resultado. Cerca de trinta e seis delas se apresentam com acrobacias em um cenário de grande plasticidade. E não são apenas os acrobatas, bailarinos e contorcionistas que fazem um trabalho perfeito. O cenário também é fruto de uma incansável preparação. Toneladas de equipamentos acompanham a trupe nas apresentações.

A Cia é conhecida mundialmente por apresentar uma combinação que emociona e tira o fôlego do público. A nova criação trazida para o Brasil, além de inovadora, é cheia de momentos mágicos. Inclusive todos os espetáculos foram premiados na Olimpíada Nacional da China, um evento que qualifica os melhores e mais tradicionais no mundo quando se trata de circo. Eles já receberam onze medalhas de ouro e duas de prata.

Projeto Social

Diante de uma ideia foi possível levar alegria e descontração para algumas pessoas que estavam internadas por muitos dias e até meses. O Hospital Alberto Rassi, mais conhecido como HGG, recebeu em seus corredores uma breve apresentação do Circo Nacional da China na última quarta-feira.

A iniciativa de apresentar a cultura chinesa para o ambiente hospitalar foi do empresário Lucio Oliveira, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Eventos (Abrape). O empresário e a ART BHZ Produtora estão no mercado de produção e organização de eventos há mais de 30 anos. Com o apoio de sua equipe de produção, ele costuma levar parte das grandes apresentações para diversos hospitais do País.

“A nova temporada do Circo da China já passou por Santos e Campo Grande, onde também fez apresentações breves em hospitais, com o intuito de proporcionar diversão aos pacientes, que por um motivo ou outro não podem ter acesso direto a esse tipo de entretenimento”, diz Camila Machado, produtora integrante da equipe ART BHZ.

Em Goiânia, essa foi uma parceria entre a produção geral do evento e o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech), que já possui um trabalho que envolve artistas e pacientes na tentativa de humanizar o atendimento na unidade do HGG.

No hospital somente uma integrante do grupo de acrobatas arriscava o inglês para tentar manter algum tipo de comunicação com as demais pessoas. "It is good to help" (É bom ajudar!), disse a artista.  A maioria dos circenses só fala mandarim, o idioma de origem, que é falado na China, justamente porque não têm muito tempo de aprender outras línguas.

Sucesso de público

O que faz este espetáculo se tornar algo maravilhoso e único em qualquer lugar (mesmo que seja em um corredor de hospital) é a complexidade das acrobacias e a dificuldade dos números combinados com movimento, equilíbrio, contorcionismo, sonoridade percussiva e efeitos visuais.

Com mais de cinquenta anos de trajetória, não há como precisar quantas milhares de pessoas já assistiram a companhia no mundo inteiro. Mas o que se pode dizer é que são esperadas mais de seis mil pessoas para as três apresentações deste fim de semana aqui em Goiânia.

Circo Nacional da China

Onde: Teatro Rio Vermelho (Rua 4 n° 1400, Setor Central)

Quando: Hoje, às 17h e às 21h e amanhã, às 20h

Quanto: Plateia inferior: R$ 120 (inteira), R$ 60 (meia) - Plateia superior: R$ 100 (inteira), R$ 50 (meia)

Informações: (62) 3219-3400

Fonte: DM

1 comentários:

Write comentários
moinhobranco
AUTHOR
28 de setembro de 2013 20:23 delete

Só pra constar, a cidade de Campo Grande fica no Mato Grosso do Sul (MS) e não MT como está no texto.

Reply
avatar