23 de agosto de 2013

Vereadores registram crime ambiental em construção do shopping Passeio das Águas


Parlamentares goianienses querem empresa responsável pela construção do shopping faça um ressarcimento ao município devido aos crimes ambientais supostamente cometidos. Uma saída pode ser a construção de um viaduto no encontro das avenidas Perimetral e Goiás Norte

Membros da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga irregularidades na Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA) visitaram a construção do shopping Passeio das Águas, na Avenida Perimetral Norte, em Goiânia. Izídio Alves (PMDB), Paulo da Farmácia (PSDC), e Edson Automóveis (PMN) constataram crimes ambientais referentes ao Córrego Caveirinha e uma nascente. Um vídeo foi apresentado no plenário da Câmara mostrando que a empresa responsável não respeitou as regras ambientais e causou danos irreparáveis ao meio ambiente.

Izídio, que preside a CEI afirmou que a prefeitura e a Câmara devem tomar medidas contra o shopping, que deve efetivar alguma reparação ao município. “Primeiro temos que avaliar bem porque é uma questão grave. No dia 19 nós fomos lá e constatamos. No dia 20, avisamos para eles não tomarem nenhuma providência, mas quem tem poder econômico faz as coisas acontecerem bem rápido. A gente espera que a Câmara de Goiânia tome as medidas necessárias. Pode ter certeza que os membros da CEI vão tomar as medidas cabíveis. Nós vamos fazer um estudo e se for possível vamos pedir a interdição. É incabível uma água escorrendo daquele tipo. Eu fico triste porque quem autorizou aquela situação não fiscalizou,” reclama.

A oposição na Câmara defendeu que a empresa responsável pela obra realize algum tipo de compensação à prefeitura, por conta dos crimes ambientais cometidos. Elias Vaz, que está sem partido, condenou a construção e afirma que uma contrapartida deve ser garantida. “Eu acho lamentável que poder público tenha permitido uma lesão grava como esta contra o meio ambiente a sociedade. Agora é muito difícil, porque a lesão já foi feita. Entendo que agora a Câmara deve pedir a interdição da obra, impedir a inauguração até que seja garantida uma contrapartida para a sociedade. De alguma forma esse shopping tem que ser punido,” pede.

Foto: Internet -  Autor Não Identificado.
Fonte: Portal 730