15 de agosto de 2013

Goiânia: Natureza e aventura aqui, bem pertinho


Parques estaduais são boas opções de turismo ecológico perto de casa: passeio diferente e baratinho.

Trilhas, cachoeiras, ar puro, belíssimas paisagens e animais silvestres são algumas das atrações oferecidas pelos parques estaduais de Goiás, muitos deles aqui pertinho da capital, que pouca gente conhece. O Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco (Peamp), por exemplo, está aqui mesmo em Goiânia e são poucos os turistas e goianienses que conhecem as belezas naturais do lugar. A unidade de conservação fica a 21 km do Centro de Goiânia e o acesso é feito pela BR-060, no trecho Goiânia-Anápolis.

O Peamp oferece as trilhas do Peba, de 700 metros e a do Quati, de 4,4 km, para caminhadas. Além da trilha do Lago, de 17 km, destinada somente aos praticantes de mountain bike. Em todas as trilhas é possível observar belas paisagens, plantas típicas do Cerrado, macacos, insetos e aves. Se tiver sorte, o turista pode até ver um animal de pequeno porte, como um quati.

Na trilha do Lago, algumas das plantas do Cerrado estão sinalizadas com placas explicativas com nome e propriedades. Boa parte dos belos cenários que o turista irá contemplar contém água, pois o parque é cortado pelo Reservatório de Abastecimento Público João Leite. Desde a construção da barragem, parte das áreas de visitação foram relocadas. Alguns lugares, por exemplo, só são acessíveis por meio de embarcações.

Porém, não há nenhuma cachoeira ou lago em que o banho seja permitido. O parque dispõe de um Centro de Visitantes com banheiros e água potável, mas não há restaurante, portanto, é recomendado que o turista leve a própria comida e faça um piquenique.

Para quem for de carro, há estacionamento. A entrada é gratuita e o parque está aberto de quarta a domingo das 8h da manhã até às 16h. É importante ressaltar que a trilha das bicicletas, a do Lago, só é aberta à visitação nos finais de semana e em feriados. Visitas em grupos maiores, como um grupo escolar, precisam ser previamente agendadas.

Pescan

Já o Parque Estadual da Serra de Caldas Novas (Pescan) apresenta uma infra-estrutura um pouco melhor. Ele possui estacionamento e também alojamento para pesquisadores e outros grupos. O ingresso custa R$ 5 por pessoa, mas moradores da região e idosos pagam R$ 2 e dos grupos se cobram R$ 4. O Pescan fica a 173 km de Goiânia, e o acesso é pela GO-213, entre as cidades de Caldas Novas e Rio Quente.

As principais atrações são suas trilhas, mas há também um museu com animais típicos do Cerrado empalhados, principalmente aves e mamíferos. São duas trilhas, ambas com cachoeiras. A primeira é a da Cascatinha, com certa de 700 metros e a do Paredão, com cerca de 1,2 km. No momento, ainda não há uma trilha para mountain bike, mas esta já está sendo implementada.

As trilhas atraem muitos ornitólogos devido à grande variedade de espécies de aves que podem ser vistas e ouvidas. Algumas das árvores também estão identificadas e sinalizadas. Por ano, o Pescan recebe cerca de 16 mil visitantes, com um fluxo maior nas férias escolares. A trilha do Paredão também possui um mirante com vista para Caldas Novas. A unidade também não possui restaurante, mas é possível levar lanches e realizar piqueniques. O Pescan fica aberto todo dia das 8h às 17h.

Pireneus

O Parque Estadual de Pirenópolis (PEP), assim como o Peamp, também não cobra pela entrada. Talvez o mais atraente dos três, o parque oferece trilhas, cachoeiras, escalada e rapel. Nele, existem trilhas principais, mas também trilhas menores entre elas, pelas quais o turista pode vagar livremente. Entre as atrações a serem contempladas, há dois belos montes. Em uma das trilhas é possível contemplar o Morro do Cabeludo, que é considerado frágil e ainda não pode ser escalado.

O turista pode subir ao topo do Morro dos Pirineus, o segundo ponto mais alto de Goiás. No topo dele há uma capela que atrai vários fiéis do turismo religioso. Principalmente durante o mês de julho quando é realizada no local a Festa do Morro. Do topo do pico é possível avistar sete cidades diferentes.

Há também uma trilha de mountain bike em vias de ser entregue, só faltando a sinalização.A beleza cênica e as cachoeiras, porém, ainda são os principais atrativos. Um fato curioso é que o parque possui uma espécie de “mascote”: um lobo-guará que visita constantemente o centro administrativo do parque.

Entre as aves, existem harpias e uma águia chilena, muitas delas habitando o Morro do Cabeludo, o que faz dele realmente um local muito frágil para visitação. O parque é grande e abrange três cidades: Pirenópolis, Corumbá de Goiás e Cocalzinho de Goiás, e possui um tipo de Cerrado mais raro e mais rico em espécies. O acesso ao PEP se dá pela BR-414, no Centro da cidade de Cocalzinho de Goiás, de onde dista menos de 2 km.

Não só fauna, mas também uma flora diversade existem na unidade de consaervação. O destaque são as sempre-vivas, plantas típicas e raras do bioma. A reserva tem duas cachoeiras, sendo a mais famosa a do Sonrisal e uma segunda, de difícil acesso. Existem áreas abertas nas entradas para o estacionamento dos carros.

O PEP fica aberto todos os dias das 9h às 17h, com exceção das noites de lua cheia, em que o parque fica aberto até às 19h para que os turistas possam apreciar a beleza do nascer da lua do topo do Morro dos Pirineus. Nenhum dos parques estaduais, porém, possui área de camping e ainda não há planos para que sejam implementadas.

Fonte: Jornal O Hoje