24 de agosto de 2013

Ferrovia Norte-Sul: Obra em Anápolis é retomada


Sem licença ambiental, construção do pátio de manobras, iniciada no dia 13, chegou a ser paralisada por poucos dias.

As obras de construção do pátio de manobras da Ferrovia Norte-Sul, que vai ficar entre o Porto Seco Centro-Oeste e a Plataforma Logística Mutimodal, no Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia), foram retomadas na quinta-feira, depois de uma breve paralisação, devido à falta de uma licença ambiental exigida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para a retirada de uma vegetação nativa no local. A obra, iniciada no dia 13 deste mês, teve que ser interrompida no início desta semana.

Porém, a licença ambiental, de acordo com informação da assessoria de imprensa da Valec - estatal responsável pela obra - está em fase final de liberação, não se constituindo mais em obstáculo para a construção. Ainda de acordo com a assessoria, no momento, a empreiteira cumpre a fase de elaboração do projeto de execução e de mobilização de pessoal (contratação de operários), bem como de equipamentos. “Mas a obra segue em ritmo normal”, afirma em nota, a assessoria.

Mas além da licença, a Valec tem ainda de formalizar a compra da área, que pertencia a antiga Rede Ferroviária Federal e que hoje é de propriedade da Goiásindustrial. Neste sentido, o presidente da estatal goiana, Ridoval Chiarelloto, estará recebendo um representante da Valec, dia 30 deste mês, para concluir a negociação, que encontra-se bastante adiantada, conforme assegura Chiarelloto.

O pátio de manobras de Anápolis, que vai ocupar uma área de 9 alqueires e 38 litros, servirá para as manobras de locomotivas da Ferrovia Norte-Sul e também para o transbordo de mercadorias que chegam ou que vão ser levadas para as Regiões Sul e Sudeste do País - tanto para circulação interna como para importação e exportação - através da Ferrovia Centro-Atlântica.

PASSO IMPORTANTE

De acordo com o superintendente do Porto Seco, Édson Tavares, a construção do pátio será um passo importante para a entrada em operação da Ferrovia Norte-Sul, que vai incrementar a integração econômica do País. Segundo Tavares, só da integração entre as duas ferrovias, a previsão inicial de movimentação de mercadorias será de 1,5 milhão de toneladas por ano, assim que a Norte-Sul começar a operar, e que rapidamente esse volume subirá para mais de 5 milhões de toneladas.

Mas o superintendente levantou uma preocupação relacionada com duas redes de alta tensão - uma de 13 mil kilowatt e outra de 13 mil Kilowatt - que abastecem a cidade de Gameleiras de Goiás e que passam sobre a área do pátio. De acordo com a assessoria de imprensa da Valec, a interferência nas redes de alta tensão, prevista no projeto, é de responsabilidade da construtora, garantindo que a obra não vai comprometer o abastecimento de energia elétrica de Gameleiras de Goiás e nem da região vizinha.

Além de Anápolis, a Valec estará construindo pátios de manobras também em Uruaçu (GO) e Gurupi (TO). Ainda segundo a assessoria de imprensa da Valec, nesses locais as obras ainda não foram iniciadas, mas já estão licitadas, devendo começar nas próximas semanas. Em Anápolis, a construção do pátio está prevista para ser concluída em abril do ano que vem.

Fonte: Jornal O Popular