20 de agosto de 2013

Anatel quer oferecer orelhões com wifi


Empresa também anunciou estudo para antecipar metas para massificação da internet 3G e 4G no País, que estava prevista para 2017 e 2019.

O presidente da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), João Rezende, afirmou ontem que 300 mil orelhões serão modernizados no País e deverão oferecer wifi. Além disso, 400 mil serão desativados – 40% do existente atualmente. “Nós temos hoje 1 milhão de orelhões e a maioria deles é subutilizada. A ideia é modernizarmos 300 mil”, afirmou em evento na Associação Comercial do Rio de Janeiro.

Ele afirmou que uma parte dos orelhões será mantida como hoje, para atender a regiões onde ainda são muito utilizados. A estimativa é que 300 mil sejam mantidos, 300 mil modernizados e 400 mil possam ser desativados. A mudança ocorrerá na revisão do contrato de concessão. A consulta pública começa em março de 2014.

Há, atualmente, projeto piloto de orelhão com wifi no Rio de Janeiro. Segundo Rezende, ainda é preciso estudar um método de tarifação, o formato de utilização do sistema e, também, decidir quem vai instalar o wifi.
A desativação dos 400 mil ocorrerá, pois será preciso fazer uma troca do contrato de concessão. “A empresa, para fazer investimento no wifi, precisa baixar o custo dos orelhões. O contrato de concessão prevê equilíbrio econômico-financeiro deste investimento.” A previsão é que os novos orelhões entrem em funcionamento entre 2015 e 2016.

Internet 3G e 4G
Também ontem, Rezende anunciou que está em estudo a antecipação de metas para a massificação da internet 3G e 4G no País. Pelo cronograma original, a internet 3G chegaria a todo o país até 2017 e a 4G, em 2019. “Se houver condições financeiras, nós vamos calcular o valor da faixa e veremos qual tipo de obrigação pode ser antecipada no leilão da faixa de 700 MHz”, afirmou em evento na Associação Comercial do Rio de Janeiro.

Segundo ele, a antecipação seria de um ou dois anos. Em uma previsão que chamou de conservadora, o 3G iria para 2016 e o 4G, para 2018. Rezende afirmou que o leilão dos 700 MHz deve ocorrer entre abril e maio do ano que vem. Em maio deste ano, ele afirmou que ocorreria entre março e abril.

Entre as dificuldades para a expansão do 4G está o custo de remanejamento de radiodifusores que estão na faixa de 700 MHz. Para levar o 4G para o máximo de cidades possíveis é preciso ter redes de fibra ótica de longa distância. (Folhapress)

Fonte: Jornal O Hoje