19 de julho de 2013

Funcionamento da Ferrovia Norte-Sul é para início de 2014


Trechos que ainda precisam ser concluídos serão entregues para concessões.

As obras da Ferrovia Norte-Sul tiveram início em 1987, durante o governo do então presidente José Sarney. Mas, 25 anos depois, os trilhos ainda não operam em sua totalidade. A promessa da Valec, empresa responsável pelas obras, é de que o trecho da ferrovia que passa em Goiás, ligando Anápolis a Palmas, no Tocantins, comece a funcionar no início de 2014.

O trecho, com 855 km de extensão, foi inaugurado em 2010 pelo presidente Luis Inácio Lula da Silva. Porém, desde então, a ferrovia sequer começou a funcionar, apresentando falhas em vários pontos.  De acordo com o superintendente de Programação e Obras, Télio Macêdo Souza, 94% das obras do trecho central estão concluídas. Para começar a operar de fato, a Valec vai abrir procedimento para novas concessionárias, que serão responsáveis pela manutenção e conservação da linha.

“Alguns serviços remanescentes foram licitados e já estão em execução e a previsão é de que sejam concluídos até 2014. São serviços que ficaram dos contratos anteriores que se encerraram, como alinhamento de superestrutura, recuperação e manutenção do trecho entre Palmas e Anápolis.”, concluiu Télio.

Os anúncios foram feitos durante o evento realizado na Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) nesta manhã de sexta-feira (19) quando representantes dos setores industrial e agropecuário se reuniram para esclarecerem junto à Valec quais os impasses e próximos procedimentos serão realizados para que a ferrovia comece a funcionar.

“Esses problemas (de conservação) existem em qualquer ferrovia, deve haver conservação permanente. Estamos tomando providências para que os problemas sejam minimizados tanto nos trechos concluídos quanto naqueles que ainda ficarão prontos.”, explicou o diretor de operações da Valec, Bento José de Lima

Ao todo, a ferrovia possui 2254 quilômetros de extensão, divididos em três trechos: o primeiro ligando Açailândia, no Maranhão a Palmas, no Tocantins, com 719 km. O segundo trecho liga Palmas a Anápolis e o terceiro liga Ouro Verde, em Goiás, a Estrela d’Oeste, em São Paulo, com 680 km. Este último possui apenas 40% das obras concluídas, com previsão para inauguração em 2015.

Fonte: Jornal O Hoje