29 de junho de 2013

Rumores de greve geral na 2.ª-feira circulam na internet


Rumores de que haverá uma grande paralisação no País começaram a circular nesta semana nas redes sociais na internet. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado de São Paulo e a Polícia Militar (PM) ainda não possuem nenhum tipo de estratégia ou esquema especial por conta do burburinho virtual. A página do grupo AnonymousBrasil, que possui mais de um milhão de seguidores, tem compartilhado banners com a 'chamada' para protestos às 17 horas, em todas as cidades do País.

De acordo com a assessoria da SSP, não há 'até o momento' nenhuma informação de passeata ou protestos na segunda-feira. A assessoria da PM também afirmou que 'como não há nada de concreto e confirmado, ainda não foi estabelecido nenhum esquema especial de segurança'.

O Movimento Passe Livre (MPL) em São Paulo, que promoveu sete protestos na capital paulista desde o dia 6, afirmou no dia 21 feira que não convocaria novas manifestações na cidade. Além disso, há diversos avisos de usuários do Facebook pedindo boicote à suposta greve e alertando que a paralisação seria convocada por 'oportunistas'. Muitos criticam que o primeiro evento no Facebook denominado 'Greve Geral', que chegou a ter milhares de seguidores e fazia referência ao ato de segunda-feira, teria sido feito por um internauta ligado a questões como a defesa do porte de armas. A falta de liderança explícita dos atos é o que tem causado incertezas sobre a ua realização.

Metrô

O Sindicato dos Metroviários da capital divulgou uma nota nesta sexta-feira afirmando que não participará de nenhuma paralisação na segunda-feira e que essa mobilização não tem caráter oficial. Segundo o sindicato, 'diante da falsa informação que circula nas redes sociais sobre uma possível greve geral, marcada para o dia 1.º de julho, segunda-feira, os metroviários, que desde abril tem participado de toda as mobilizações pela redução das tarifas dos transportes coletivos, informam que não vão parar no dia 1.º'. A entidade afirma ainda que a categoria fará uma assembleia na quinta-feira, 4, para discutir como será a participação dos metroviários no Dia Nacional de Luta, marcado para o dia 11, pelos sindicatos e centrais sindicais.

CUT

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) já havia divulgado nota na segunda-feira, 24, afirmando que 'nem a CUT nem as demais centrais sindicais, legítimas representantes da classe trabalhadora, convocaram greve geral para o dia 1.º de julho'. Conforme a CUT, a convocação para a suposta greve 'surgiu numa página anônima do Facebook e é mais uma iniciativa de grupos oportunistas, sem compromisso com os/as trabalhadores/as, que querem confundir e gerar insegurança na população', diz o comunicado.

Fonte: Diário da Manhã